Abrir menu principal
Como ler uma infocaixa de taxonomiaÁsaro
Asarum europaeum 170406.jpg
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Piperales
Família: Aristolochiaceae
Género: Asarum
Espécie: A. europaeum
Nome binomial
Asarum europaeum
L.

O ásaro (Asarum europaeum), é uma planta medicinal da família das Aristolochiaceae.[1]

É uma planta rasteira de até 15 cm de altura, que forma colônias nos bosques. As folhas são grandes e de cor verde-escura,com forma aproximada de um rim humano. Suas flores são solitárias, vermelhas ou esverdeadas. Toda a planta exala um cheiro semelhante ao da terebentina e tem um sabor picante e nauseante. O principal habitat desta planta é nos bosques de árvores frondosas da Europa.

Propriedades e indicaçõesEditar

Toda a planta contém asarina, um poderoso irritante das mucosas digestivas, óleo essencial, taninos, resinas e flavonoides.

É indicado para provocar vômito em casos de intoxicação, induzir diarreias para purgar o gado e eliminar muco nasal através de espirros.

Apesar de ser também expectorante e diurético, seu uso vem sendo evitado, pois em doses altas se torna abortivo e provoca hemorragia gástrica ou intestinal. A planta fresca é mais irritante que a seca.

HistóriaEditar

É usado desde a antiguidade romana. Plínio, o Velho, já o mencionava em seus escritos. Hoje está em desuso, foi substituído pela ipecacuanha, planta brasileira de intenso efeito emético. Na França, o ásaro é popularmente conhecido por cabaret, pois era usado para provocar vômito nos ébrios. Existe na América do Norte outra espécie conhecida como gengibre silvestre (Asarum canadense). Seu aspecto e propriedades são semelhantes, mas os efeitos irritantes menores, sendo usado como sudorífero e carminativo (elimina gases).

Referências

BibliografiaEditar

  • Plantas Mágicas Enciclopédia das Plantas medicinais. Ed.Planeta. Vol.I,1998.

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ásaro