Assassinato de Dee Dee Blanchard

O assassinato de Dee Dee Blanchard refere-se ao homicídio de Clauddine "Dee Dee" Blanchard (nascida "Pitre"; Louisiana, 3 de maio de 1967Springfield, 14 de junho de 2015). O corpo foi encontrado em decúbito dorsal no quarto de sua casa, nos arredores de Montreal, em uma poça de sangue resultante das facadas. No local, não havia sinal de Gypsy Rose, que, segundo Blanchard, sofria de leucemia, asma, distrofia muscular e outras condições crônicas que alteravam a sua capacidade mental.[1]

Depois de ler mensagens desconcertantes no Facebook no início da noite, os vizinhos notificaram a polícia, relatando que Dee Dee poderia ter sido vítima de um crime e que Gypsy Rose, na época cadeirante, poderia ter sido vítima de sequestro. No dia seguinte, a polícia encontrou Gypsy Rose em Wisconsin, lugar para o qual viajou com o namorado Nicholas Godejohn, conhecido virtualmente. Quando os investigadores anunciaram que ela era realmente adulta e não sofria de nenhum problema de saúde, a indignação pública com o possível sequestro de uma garota deficiente deu lugar ao choque e à simpatia por Gypsy King.[2]

Investigações futuras descobriram que alguns dos médicos que examinaram Gypsy Rose não haviam encontrado nenhuma evidência patológica. Inicialmente, um médico suspeitou da Síndrome de Münchhausen, um distúrbio mental em que um dos pais ou outro cuidador exagera, fabrica ou induz uma doença para que uma pessoa receba atenção. Dee Dee havia trocado de nome, uma vez que sua família acreditava que ela tinha envenenado sua madrasta e, além disso, devido ao questionamentos constantes em relação aos cuidados de Gypsy Rose. No entanto, muitas pessoas aceitaram a história como verdadeira e ambas foram beneficiadas por diversas instituições de caridade, incluindo a Fundação Make-A-Wish.[3][4]

Dee Dee estava fazendo sua filha passar por mais jovem e fingir estar incapacitada e cronicamente doente, sujeitando-a a cirurgias e medicações desnecessárias, além de abusá-la fisicamente e psicologicamente. O médico Marc Feldman, especialista em distúrbios fictícios, afirmou que este é o primeiro caso do seu histórico profissional no qual uma criança abusada matou os pais.[5] Gypsy Rose declarou-se culpada do assassinato e, atualmente, cumpre uma sentença de 10 anos.[6] Após um breve julgamento em 2018, Godejohn foi condenado por homicídio e sentenciado à forca .[7]

O caso foi tema do documentário de 2017, Mommy Dead and Dearest, da HBO.[8] A empresa de streaming Hulu produziu a série The Act, estreada em 2019.[9][10]

Referências

  1. Keegan, Harrison (10 de maio de 2017). «Gypsy Blanchard: Everything you need to know about the case». Springfield News-Leader. Springfield, Missouri: Gannett Company. Consultado em 2 de junho de 2017 
  2. Dean, Michelle (18 de agosto de 2016). «Dee Dee Wanted Her Daughter To Be Sick, Gypsy Wanted Her Mom To Be Murdered». BuzzFeed. New York City: BuzzFeed Entertainment Group. Consultado em 28 de maio de 2017 
  3. Herzog, Kenny (15 de maio de 2017). «Mommy Dead and Dearest: How It Handles Munchausen Syndrome». Vulture. New York City: New York Media. Consultado em 3 de junho de 2017 
  4. Brian Lowry (12 de maio de 2017). «HBO's 'Mommy Dead and Dearest' is true crime at its best». Cable News Network. Turner Broadcasting System, Inc. Consultado em 4 de dezembro de 2018 
  5. Keegan, Harrison (6 de julho de 2016). «Munchausen expert says Gypsy Blanchard case is unprecedented». Springfield News-Leader. Springfield, Missouri: Gannett Company. Consultado em 2 de junho de 2017 
  6. Barcella, Laura (15 de maio de 2017). «'Mommy Dead and Dearest' Doc on Gypsy Blanchard: What We Learned». Rolling Stone. New York City: Wenner Media LLC. Consultado em 28 de maio de 2017 
  7. Keegan, Harrison (16 de novembro de 2018). «Nicholas Godejohn found guilty in Blanchard murder». Springfield News-Leader. Springfield, Missouri: Gannett Company. Consultado em 17 de novembro de 2018 
  8. Jung, Helin (16 de maio de 2017). «The 10 Most Disturbing Reveals From HBO's True-Crime Documentary Mommy Dead and Dearest». Cosmopolitan. New York City: Hearst Corporation. Consultado em 28 de maio de 2017 
  9. Kirkland, Justin (20 de março de 2019). «Everything You Need to Know About The Act and Gypsy Rose Blanchard». Esquire. Consultado em 2 de julho de 2019 
  10. Bricker, Tierney (26 de março de 2019). «Victim or Villain? The Horrifying Truth Behind the Story of Gypsy Rose Blanchard's Escape From Her Mother». E!. Consultado em 2 de julho de 2019 
  Este artigo sobre um crime ou atividade criminosa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.