Balada da Praia dos Cães (filme)

Balada da Praia dos Cães é um filme policial luso-espanhol de 1987, realizado por José Fonseca e Costa.[1] Fonseca e Costa também assina o argumento da longa-metragem, com Pedro Bandeira Freire, José Antonio Larreta e o dialoguista Shawn Slovo, adaptando o romance policial homónimo da autoria do escritor José Cardoso Pires.[2] A narrativa acompanha um complexo inquérito policial nos anos 60 liderado pelo Chefe de Brigada Elias Santana (interpretado por Raul Solnado) para determinar a origem do assassinato de um preso político.[3] Balada da Praia dos Cães estreou comercialmente em Portugal a 12 de março de 1987 e em Espanha a 24 de abril do mesmo ano.[4]

Balada da Praia dos Cães
La Playa de los Perros
Portugal Portugal / Flag of Spain.svg Espanha
1987 •  cor •  89 min 
Realização José Fonseca e Costa
Produção António da Cunha Telles
Argumento Pedro Bandeira-Freire
José Fonseca e Costa
António Larreta
Baseado em Balada da Praia dos Cães, de José Cardoso Pires
Elenco Assumpta Serna
Raul Solnado
Género drama policial
Música Alberto Iglesias
Cinematografia Acácio de Almeida
Figurino Miguel Sá Fernandes
Lançamento 12 de março de 1987
Idioma português

SinopseEditar

No começo dos anos 60, entre as dunas da praia portuguesa do Guincho, a oeste de Lisboa, dois cães vadios põe a descoberto e rodeiam o cadáver de um preso político brutalmente assassinado. É identificado como sendo o do Capitão Luís Dantas, um oficial do exército revolucionário procurado pela polícia política, que fugiu da prisão militar do Forte de Elvas com dois companheiros de oposição ao regime salazarista e a colaboração de uma misteriosa mulher.[5]

O acontecimento dá origem a um inquérito policial, não só para determinar a identidade do assassino como também a própria origem do crime.[6] Apanhada de surpresa, a PIDE decide entregar o caso à Polícia Judiciária para que a opinião pública não os acuse de ter cometido o crime.[7] O Chefe de Brigada Elias Santana da Polícia Judiciária, um homem solitário e beato, lidera a investigação. Acredita que o crime pode ter sido motivado por um ajuste de contas por questões políticas.[8]

Mena, a bela jovem que colaborou com a fuga, entrega-se às autoridades. De interrogatório em interrogatório, o Chefe Santana vai penetrando nas personalidades dos suspeitos, reconstituindo e deduzindo o que se terá passado após a fuga do capitão, e o papel que Mena pode ter desempenhado. À medida que avançam as investigações, Elias vai intuindo uma violenta relação amorosa entre Mena e os foragidos.[9]

ElencoEditar

Equipa técnicaEditar

MúsicaEditar

ProduçãoEditar

Balada da Praia dos Cães é uma produção entre Portugal e Espanha[6], envolvendo as empresas produtoras Animatógrafo e Andrea Film, bem como a colaboração da Filmform e de Marcel d'Almeida. A longa-metragem contou com a participação financeira do Instituto Português de Cinema, RTP e do Instituto de la Cinematografía y de las Artes Audiovisuales.[13]

ArgumentoEditar

O guião de Balada da Praia dos Cães é uma adaptação do o romance policial homónimo, publicado originalmente em 1982, da autoria do escritor José Cardoso Pires. Trata-se de uma versão ficcionada de um crime que ocorreu de facto durante a ditadura.[11] A adaptação foi escrita por José Fonseca e CostaPedro Bandeira Freire e José Antonio Larreta. Shawn Slovo contribuiu para os diálogos do filme.[12]

RodagemEditar

As gravações do filme decorreram entre os meses de fevereiro e março de 1986. As cenas exteriores foram rodadas na Praia da Figueirinha (Serra da Arrábida) e o Palácio da Quinta da Comenda (Setúbal) acolheu gravações de interiores.[14]

Temas e estéticaEditar

 
O travelling que abre o filme foi rodado na Praia da Figueirinha.

A longa-metragem abre com linhas de texto que compõem o contexto histórico da ação e contextualizam Portugal enquanto um país enclausurado pelo moralismo do Estado Novo. Segue-se uma das imagens mais marcantes da obra: um travelling na praia até junto dos cães que rodeiam o cadáver de Dantas. Fonseca e Costa pretendia que esta imagem servisse de metáfora para incursão do filme nas agruras do Portugal fascista.[6]

O argumento é intercalado entre em dois momentos temporais: o que aconteceu antes da morte do Capitão Dantas e a linha de investigação encabeçada pelo Chefe de Brigada Santana. Para além disto, surgem cenas de reconstituição real e imaginada, ao que terá sucedido.[15]

DistribuiçãoEditar

Em Portugal, a longa-metragem estreou comercialmente a a 12 de março de 1987, no Cinema Nimas (Lisboa).[4] Em Espanha, a estreia de Balada da Praia dos Cães ocorreu em Sevilha e Madrid, a 24 de abril do mesmo.

O filme contou com um lançamento em DVD em 2013, editado pela Satyricon.[16]

A partir do dia 25 de setembro de 2020, a plataforma de streaming Filmin prestou homenagem a José Fonseca e Costa, ao adicionar seis dos seus filmes ao seu catálogo, entre os quais Balada da Praia dos Cães.[17]

ReceçãoEditar

AudiênciaEditar

O filme ganhou alguma atenção do público, dado o seu elenco, em particular Raul Solnado, popularizado como comediante. Ao longo do seu ciclo de exibições, Balada da Praia dos Cães foi visto por 81.995 espetadores em Portugal.[18] Em Espanha, o filme totalizou 25.203 espetadores.

CríticaEditar

Esta adaptação é considerada por muitos, um dos melhores trabalhos do realizador José Fonseca e Costa, dada a eficácia do argumento.[6] Entre eles está Francisco José Viegas (Correio da Manhã) que considera Balada da Praia dos Cães "um dos momentos altos da sua vida como realizador – e dos grandes momentos do nosso cinema."[19] Jorge Leitão de Ramos (Diário de Lisboa) considera que o melhor deste argumento "está nessa mulher que Assumpta Serna encarna com comedida volúpia e mistério".[20] Num texto sobre o filme, a Cinemateca Portuguesa destaca Raul Solnado: "no papel do inspetor, tem uma notável interpretação."[21]

PremiaçõesEditar

Ano Premiação Categoria Trabalho Resultado Ref.
1987 Imagific Prémio da Melhor Interpretação Feminina Assumpta Serna Venceu [12]
Grande Prémio do IPC-Instituto Português de Cinema Melhor filme Balada da Praia dos Cães, António da Cunha Telles Venceu
1988 Se7es de Ouro Melhor Realização José Fonseca e Costa Venceu [22]
Melhor Fotografia Acácio de Almeida Venceu
Melhor Interpretação Masculina Raul Solnado Venceu
Melhor Interpretação Feminina Carmen Dolores Venceu

Referências

  1. «Ciclo de Cinema Resistência Antifascista: "Balada da Praia dos Cães", de José Fonseca e Costa». www.aconteceagenda.pt. Consultado em 11 de março de 2021 
  2. PIRES, José Cardoso, Balada da Praia dos Cães, 2ª ed., Lisboa: Dom Quixote, 2008. ISBN 978-972-20-3438-8.
  3. «RTP Memória repõe 'Balada da Praia dos Cães'». www.dn.pt. Consultado em 12 de março de 2021 
  4. a b «Raul Solnado - Uma Balada na Praia dos Cães». Raul Solnado - Uma Balada na Praia dos Cães. Consultado em 12 de março de 2021 
  5. «"A Balada da Praia dos Cães" foi exibido no ciclo de cinema organizado pela URAP-Moita». www.urap.pt. Consultado em 11 de março de 2021 
  6. a b c d Público. «A Balada da Praia dos Cães». Cinecartaz. Consultado em 11 de março de 2021 
  7. «Alambique Filmes». alambique.pt. Consultado em 11 de março de 2021 
  8. de Matos-Cruz, José (1999). O Cais do Olhar. [S.l.: s.n.] p. p.227 
  9. Portugal, Rádio e Televisão de. «A Balada da Praia dos Cães - Filmes - Drama - RTP». www.rtp.pt. Consultado em 11 de março de 2021 
  10. a b «Balada da Praia dos Cães [Filme; 1987]». dp.uc.pt. Consultado em 11 de março de 2021 
  11. a b Pereira, Paulo Jorge (1 de novembro de 2020). «"Balada da Praia dos Cães", de José Cardoso Pires». Livroslidos (em inglês). Consultado em 11 de março de 2021 
  12. a b c Nascimento, Frederico Lopes / Marco Oliveira / Guilherme. «Balada da Praia dos Cães». CinePT-Cinema Portugues. Consultado em 11 de março de 2021 
  13. «Balada da Praia dos Cães (1987) • filmes.film-cine.com». filmes.film-cine.com. Consultado em 12 de março de 2021 
  14. «"A Balada da Praia dos Cães" foi exibido no ciclo de cinema organizado pela URAP-Moita». www.urap.pt. Consultado em 11 de março de 2021 
  15. «Balada da Praia dos Cães (1987) de José Fonseca e Costa». À pala de Walsh. 19 de maio de 2014. Consultado em 11 de março de 2021 
  16. Resumo da caixa do DVD, Satyricon 2013
  17. «Filmin dedica Ciclo a José Fonseca e Costa». Cinema Sétima Arte. 24 de setembro de 2020. Consultado em 11 de março de 2021 
  18. Leitão Ramos, Jorge (1989). Dicionário do cinema português 1962–1988. Lisboa: Editorial Caminho. p. 45 
  19. «Blog». www.cmjornal.pt. Consultado em 11 de março de 2021 
  20. Leitão Ramos, José (20 de março de 1987). «Balada da praia dos cães». Diário de Lisboa 
  21. «CICLO: JOSÉ CARDOSO PIRES NO CINEMA PORTUGUÊS – NOS 90 ANOS DO NASCIMENTO». Cinemateca Portuguesa. 2015 
  22. «Cinema Português». cvc.instituto-camoes.pt. Consultado em 12 de março de 2021 

Ligações externasEditar