Abrir menu principal

Baltasar de la Cueva Enríquez

Castellar5.jpg

Don Baltasar de la Cueva y Enríquez de Cabrera, (também conhecido como Baltasar de la Cueva Henríquez Arias de Saavedra), (Madrid, 1626 – 2 de abril de 1686[1]), foi vice-rei do Peru de 15 de agosto de 1674 até 7 de julho de 1678.

AdministraçãoEditar

Para celebrar a sua chegada ao Peru no porto de El Callao, em 11 de agosto de 1674, foi realizada uma tourada. Também houve touradas em Lima, em 6 de novembro de 1674.[2]

Em 15 novembro de 1674, informou ao Tribunal espanhol que era necessário reduzir o número de feriados no vice-reinado, pois o número "excedia 35 que, juntamente com os feriados religiosos, significava que a maior parte do ano era feriado". Em 14 de maio de 1676, o Tribunal aprovou a redução.

Durante seu período de administração, as leis dos Índios foram elaboradas. [3]O vice-rei Cueva tomou medidas para proteger a costa do Pacífico dos piratas ingleses e holandeses. Em 1675 enviou Antonio de Vea para investigar relatos de que os ingleses haviam se estabelecido na Patagônia.

Ilyas ibn Hanna al-MawsiliEditar

Ilyas ibn Hanna al-Mawsili (Elias, filho de Jonh de Mossul), um cristão caldeu de descendência assíria, partiu de Cádis, Espanha para o Peru, em 13 de fevereiro de 1675. Foi quase certamente o primeiro assírio a visitar o Novo Mundo. Sua missão era arrecadar dinheiro para a restauração de uma igreja caldéia em Bagdá, bem como tentar converter tantas pessoas quanto possível. Ilyas viajou para muitos lugares do vice-reinado, também encontrou-se com o vice-rei em Lima, tornando-se seu amigo.[4]

Revolta de Pedro Bohórquez (Inca Hualpa)Editar

Durante esse período uma fraude inusitada ocorreu, resultando em uma revolta indígena. Começaram a circular rumores de enormes tesouros que pertenciam a gerações anteriores e que teriam sido escondidos pelos indígenas em cavernas e lagos. Um camponês nascido em Quito (algumas fontes dizem que ele nasceu na Espanha) chamado Pedro Bohórquez aproveitou-se desses boatos. Ele anunciou que era Inca Hualpa, um descendente de Atahualpa, e um príncipe dos Andes. Falava kichwa fluentemente e foi aceito como um príncipe das tribos andinas de Tucumán (Argentina). Alegou que seus súditos sabiam a localização dos tesouros escondidos, e com esse pretexto ele foi capaz de hospedar o governador do Rio da Prata, Alonso Mercado y Villacorta.

Inca Hualpa disse ao governador que, para ele ser capaz de obter as informações dos poucos que ainda sabiam, o governador teria que reconhecê-lo como o Príncipe da Terra. Somente este ato lhe daria a autoridade para tomar posse do tesouro escondido. O governador permitiu que o indígena fosse proclamado o príncipe, e ele próprio veio com sua comitiva para felicitar Inca Huallpa. Este marcou um encontro com o governador em Tafí, onde trocaram elogios.

Quando o vice-rei Cueva soube da fraude, ele ordenou que Bohórquez (Inca Hualpa) fosse preso. Bohórquez retornou para junto de seus seguidores nos Andes, onde denunciou a "traição" dos espanhóis incitando os indígenas à revolta. Os Calchaquíes empunharam as armas, mas foram completamente derrotados. Os sobreviventes foram distribuídos em várias encomiendas. Outras tribos associadas foram retiradas de seus vales e montanhas e transportadas para lugares distantes. Os quilmes foram transportados para Buenos Aires, onde uma cidade ainda carrega esse nome. O próprio Bohórquez foi levado para Lima e enforcado.

Outros relatos afirmam que Bohórquez já havia enganado o vice-rei Cueva, fazendo-o pensar que tinha descoberto a "fabulosa região de Enin, e visitado palácios de ouro e tesouros preciosos". O vice-rei foi enganado, e deu-lhe 36 soldados. Bohórquez então desapareceu.

DestituiçãoEditar

Um conflito com os comerciantes influentes da colônia levou à destituição de Cueva Enríquez. Em 7 de julho de 1678, Melchor Liñán y Cisneros tomou seu lugar. Morreu em 1686.

Referências

  1. «Biografía de Baltasar de la Cueva Enríquez». biografiasyvidas.com. Consultado em 1 de dezembro de 2010 
  2. «Toros en Peru». portaltaurino.com. Consultado em 1 de dezembro de 2010 
  3. «Pueblos Indígenas de Bolivia». amazonia.bo. Consultado em 1 de dezembro de 2010 
  4. «Saudi Aramco World - The New World Through Arab Eyes». saudiaramcoworld.com. Consultado em 1 de dezembro de 2010 
Precedido por
Bernardo de Iturriaza
Vice-rei do Peru
16741678
Sucedido por
Melchor Liñán y Cisneros
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.