O Barroco Espanhol ou Barroco na Espanha é um conceito da historiografia da arte, da literatura e da música, e genericamente da história da cultura, usado para classificar e definir as manifestações culturais do período barroco (aproximadamente o século e meio entre 1600 e 1750) localizado na Espanha.

Cristo y la Virgen en Nazaret, de Francisco de Zurbarán
Ver artigo principal: Pintura do Barroco Espanhol

História

editar

Embora seja mais apropriado para a época chamar de Monarquia Católica ou Império Espanhol o espaço político governado pelo rei da Espanha ou Sua Majestade Católica (a Casa de Habsburgo menor - Filipe III de Espanha, Filipe IV de Espanha e Carlos II de Espanha - e o primeiro Bourbon - Filipe V de Espanha -), a bibliografia costuma delimitar a extensão do uso da expressão Barroco Espanhol às produções artísticas da Corte (em Madrid exceto no breve período de 1601-1605 quando esteve em Valladolid) e a dos territórios das Coroas de Castela e de Aragão e do reino de Navarra. Neste espaço não homogêneo distinguem-se também as escolas locais, sobretudo a escola madrileña (ou barroco madrileño), a escola sevilhana (ou barroco sevilhano), a escola valenciana (ou barroco Valenciano), a escola de Valladolid (também chamada castelhana ou Gregorio Fernández - Barroco de Valladolid ou Castelhano), a escola de Salamanca (ou Barroco de Salamanca ou Churrigueresco), a escola Galega (ou Galego Barroco), a escola catalã (ou Barroco Catalão), a escola aragonesa (ou Barroco Aragonês), etc. Para a região de Múrcia e do Levante foi definido um estilo local denominado Barroco Mediterrâneo.

Nem o barroco português (Portugal torna-se independente em 1640), nem o barroco italiano de Milão, Sicília ou Nápoles (com a presença de José de Ribera), nem o barroco flamengo são habitualmente incluídos no termo barroco espanhol, nem até mesmo o barroco colonial americano ou filipino (arte colonial hispano-americana), embora às vezes seja usada a expressão Barroco Espanhol na América ou Barroco Hispano-Americano. O chamado Barroco da Nova Espanha refere-se ao Vice-Reino da Nova Espanha.

Artes Plásticas no Barroco Espanhol

editar

Barroco nas Colônias Espanholas da América

editar
 Ver artigo principal: Arte colonial hispanoamericana

Referências

Bibliografia

editar
  • AA.VV. (1991). Enciclopedia del Arte Garzanti. [S.l.]: Ediciones B, Barcelona. ISBN 84-406-2261-9 
  • Burke, Marcus y Cherry, Peter, (1997). Collections of paintings in Madrid, 1601-1755. [S.l.]: Getty Publications, Los Ángeles. ISBN 0-89236-496-3 
  • Francisco Calvo Serraller|Calvo Serraller, F., Los géneros de la pintura, Taurus, Madrid, © Santillana Ediciones Generales, S.L., 2005, ISBN 84-306-0517-7
  • De Antonio, Trinidad (1989). El siglo XVII español. [S.l.]: Historia 16, Madrid 
  • Marías, Fernando (1989). El largo siglo XVI. [S.l.]: Madrid, Taurus. ISBN 84-306-0102-3 
  • Alfonso Pérez Sánchez:
    • EL SIGLO XVII: EL SIGLO DE ORO, en el artículo «España» (págs. 582 y 583) del Diccionario Larousse de la Pintura, I, Planeta-Agostini, Barcelona, 1987. ISBN 84-395-0649-X
    • «El barroco español. Pintura», págs. 575-598, en Historia del arte, Madrid, © Ed. Anaya, 1986, ISBN 84-207-1408-9
    • Pintura barroca en España (1600-1750). [S.l.]: Madrid, Cátedra. 1992. ISBN 84-376-0994-9 Verifique |isbn= (ajuda) 

Ver também

editar

Ligações externas

editar
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Pinturas barrocas na Espanha
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Pintores barrocos espanhóis
  Este artigo sobre arte ou história da arte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.