Abrir menu principal
Batalha de Hohenlinden
Guerra da Segunda Coligação
Bataille de Hohenlinden.jpg
Data 3 de dezembro de 1800
Local Hohenlinden, próximo de Munique
Desfecho Importante vitória francesa[1][2]
Beligerantes
França França Flag of the Habsburg Monarchy.svg Áustria
Flag of Bavaria (lozengy).svg Eleitorado da Baviera
Comandantes
França Jean Moreau Flag of the Habsburg Monarchy.svg Johann von Österreich
Forças
41 990 na infantaria,
11 805 na cavalaria,
99 canhões[3]
46 130 na infantaria,
14 131 na cavalaria,
214 canhões[4]
Baixas
3 000 mortos ou feridos 4 600 mortos ou feridos,
8 950 capturados

A Batalha de Hohenlinden foi travada a 3 de Dezembro de 1800 durante as Guerras revolucionárias francesas. Um exército francês sob o comando do general Jean Victor Marie Moreau obteve uma vitória decisiva sobre as tropas austríacas e do Eleitorado da Baviera que se encontravam sob comando do arquiduque João da Áustria (Johann von Österreich). Depois de terem sido forçados a uma retirada desastrosa, os aliados foram obrigados a solicitar um armistício que pôs um fim efectivo à Guerra da Segunda Coligação. Hohenlinden situa-se a cerca de 33 Km para Leste de Munique, na Alemanha actual.[5]

O general Moreau dispunha de uma força de 56.000 homens e enfrentou 64.000 austríacos e aliados. Os austríacos, convencidos que perseguiam um inimigo derrotado, marcharam através de um terreno densamente arborizado em quatro colunas que não mantiveram a ligação entre si. Por seu lado, os franceses estavam à espera dos austríacos e, quando estes emergiram da floresta de Ebersberg, a divisão do general Antoine Richepanse executou uma manobra de envolvimento sobre o flanco esquerdo austríaco. Mostrando grande iniciativa individual, os generais sob o comando de Moreau manobraram por forma a cercarem e esmagaram a maior coluna austríaca.[6]

Esta vitória esmagadora, juntamente com a vitória de Napoleão Bonaparte na Batalha de Marengo a 14 de Junho de 1800, provocou o fim da Guerra da Segunda Coligação. Em Fevereiro de 1801, os Austríacos assinaram o Tratado de Lunéville, nos termos do qual aceitaram o controlo francês sobre os território do Reno e os estados satélite na Itália e Holanda.[7]

Referências

  1. Russell F. Weigley (1 de abril de 2004). The Age of Battles: The Quest for Decisive Warfare from Breitenfeld to Waterloo. [S.l.]: Indiana University Press. p. 373. ISBN 978-0-253-21707-3. Consultado em 4 de novembro de 2013 
  2. Terry Crowdy (18 de setembro de 2012). Incomparable: Napoleon's 9th Light Infantry Regiment. [S.l.]: Osprey Publishing. p. 175. ISBN 978-1-78200-184-3. Consultado em 4 de novembro de 2013 
  3. Arnold, p 275
  4. Arnold, p 277
  5. Arnold, James R. Marengo & Hohenlinden. Barnsley, South Yorkshire, UK: Pen & Sword, 2005. ISBN 1-84415-279-0
  6. Chandler, David. Dictionary of the Napoleonic Wars. New York: Macmillan, 1979. ISBN 0-02-523670-9
  7. Rothenberg, Gunther E. Napoleon's Great Adversaries, The Archduke Charles and the Austrian Army, 1792–1814. Bloomington, Ind.: Indiana University Press, 1982 ISBN 0-253-33969-3
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Batalha de Hohenlinden