Abrir menu principal

Wikipédia β

Batalha de Mossul

Batalha parte da Guerra Civil Iraquiana e da Guerra contra o Estado Islâmico

A Batalha de Mossul (em árabe: معركة الموصل) foi uma grande ofensiva militar lançada por forças do governo iraquiano e milícias aliadas, junto com tropas curdas e contando com apoio de forças multi-nacionais (encabeçadas pelos Estados Unidos, França e Reino Unido) com o objetivo de conquistar a cidade de Mossul, até então a maior cidade do Iraque em mãos de militantes do grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL).[28][29][30]

Batalha de Mossul
Guerra Civil Iraquiana, Guerra contra o Estado Islâmico
ISOF APC on the street of Mosul, Northern Iraq, Western Asia. 16 November, 2016.jpg
Map of Iraq - Battle of Mosul.png
Mapa mostrando a ofensiva inicial contra Mossul.
Data 16 de outubro de 2016 - 20 de julho de 2017[1]
Local Norte do Iraque (nas províncias de Arbil e Ninawa)
Desfecho Vitória do governo iraquiano e da coalizão internacional[2]
Beligerantes
 Iraque

Apoio:

Seal of Combined Joint Task Force – Operation Inherent Resolve.svg CJTF–OIR:


Flag of the Ba'ath Party.svg Lealistas Baathistas
No god but God.jpg Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL)
Comandantes
Iraque Haidar al-Abadi
Iraque Ten-Gen. Abdul Amir Rashid Yarallah
Iraque Ten-Gen. Talib Shaghati al-Kenan
Iraque Major-Gen. Fadhil Jalil al-Barwari
Iraque Ten-Gen. Abdul Ghani al-Assadi
Iraque Abu Mahdi al-Muhandis
Flag of Kurdistan.png Omer Huseyin[9]
InfoboxHez.PNG Muhammad Kawarithmi
Estados Unidos Ten-Gen Stephen J. Townsend
No god but God.jpg Abu Bakr al-Baghdadi (líder do EIIL)
No god but God.jpg Haqqi Esmaeil Owaid
No god but God.jpg Ahmad Khalaf al-Jabouri
No god but God.jpg Aziz Ali [10]
No god but God.jpg Aymam al-Mosuli [11]
No god but God.jpg Abu Yakoub [12]
Forças
Iraque 56 000 – 60 000 soldados e milicianos[13][14]

Flag of Kurdistan.png 40 000 combatentes Peshmerga[13]

Seal of Combined Joint Task Force – Operation Inherent Resolve.svg 450 militares[15]
9 000 – 12 000 militantes[16][17]
Baixas
Iraque ~ 1 200 mortos,
6 000 feridos[18]
Flag of Kurdistan.png 30 mortos, 100 feridos[19]
Estados Unidos 2 mortos[20]
Irã 3 mortos[21]
~ 8 622 – 9 622 mortos[22][23][24]
(estimativa)
+ 8 000 civis mortos ou feridos[25]
860 000 civis deslocados de suas casas[26][27]
Um tanque americano M109A6 disparando contra Qayyarah, durante a ofensiva, em outubro de 2016.

A batalha por Mossul durou quase nove meses e terminou com a cidade em ruínas, milhares de mortos e boa parte da população local expulsa de suas casas. No final, o governo iraquiano foi vitorioso, expulsando os guerrilheiros islamitas da região.[31]

Índice

HistóricoEditar

 
Destruição nas cercanias de Mossul, no norte do Iraque, em novembro de 2016.

As ofensivas para tomar a região começaram em 24 de março de 2016 e a campanha terrestre contra a cidade em si foi iniciada formalmente em 16 de outubro.[9][32][33]

A batalha por Mossul é considerada crucial no andamento da guerra contra o Estado Islâmico, após a queda da cidade para os terroristas em junho de 2014.[34] A região é o último grande reduto urbano do EIIL no Iraque, contém várias estradas que interconectam o país a vizinha Síria e é o centro nervoso de operações dos jihadistas na área.[35] Para retomar a região, o governo iraquiano mobilizou a maior força de combate do país desde a invasão americana do país em 2003.[36]

Mossul é a terceira cidade mais populada do Iraque, apenas atrás de Bagdá e Basra. Em junho de 2014, cerca de 800 militantes do EIIL ocuparam a cidade após um ataque relâmpago, conseguindo tomar a região devido à desconfiança da população maioritariamente sunita relativamente ao governo iraquiano xiita e às forças armadas corruptas.[37] Foi na Grande Mesquita de Al-Nuri que Abu Bakr al-Baghdadi, líder do Estado Islâmico (EI), proclamou o seu califado na região.[38] A população diminuiu de 2,5 milhões para 1,5 milhões após 2 anos de liderança por parte dos terroristas. A cidade foi outrora extremamente diversa, com minorias como os armênios, yazidis, assírios, turcomanos e shabaks, que sofreram muito sob a liderança do EI.[39] Mossul permanecia a última fortaleza urbana do Estado Islâmico no Iraque[40] e a ofensiva antecipada para reivindicá-la foi exaltada como a "mãe de todas as batalhas" pelo governo iraquiano.[41][42][43][44]

Esta batalha foi o desdobramento final de duas grandes ofensivas (uma lançada em 2015 e outra no começo de 2016) lançadas por forças iraquianas. Com muitos civis inocentes sendo pegos no fogo cruzado, a situação humanitária na região se deteriorou.[45] Segundo a liderança curda, as forças do Estado Islâmico estavam sofrendo pesadas baixas enquanto as forças aliadas reportavam vários progressos na sua marcha contra Mossul. Ainda assim, o EIIL estava bem entrincheirado enquanto uma das maiores batalhas da guerra civil iraquiana estava acontecendo.[46]

A batalha por Mossul se desenrolou, inicialmente, de forma rápida. O exército iraquiano foi capaz de cercar a cidade e tomar boa parte da zona rural. Civis começaram a evacuar a região aos milhares, mas muitos foram pegos no fogo cruzado. Conforme as tropas do governo se infiltravam em Mossul, um grande combate urbano começou. Aviões da Coalizão Ocidental (e suas forças especiais no solo) apoiaram as tropas de Bagdá. O exército foi avançando de forma lenta, com os guerrilheiros do Estado Islâmico esboçando feroz resistência. Foi necessário oito meses e três semanas para que os terroristas fossem enfim sobrepujados. Atentados a bomba, maus tratos a civis e violentos combates casa por casa marcaram a luta na cidade (que terminou em ruínas).[47]

A 9 de julho de 2017, após quase nove meses de lutas, o governo iraquiano declarou vitória contra o Estado Islâmico em Mossul.[48][49][50] Contudo, combates esporádicos ainda eram reportados na parte oeste do rio Tigre.[51] Foi só um dias depois, a 10 de julho, que de fato o primeiro-ministro iraquiano, Haidar al-Abadi, confirmou a retomada da cidade.[52]

Apesar dos anúncios e das celebrações feitas pelo governo, violentos combates na região de "Cidade Velha", no centro de Mossul, continuaram, com bolsões de guerrilheiros islamitas ainda resistindo.[53] A operação de "limpeza" das últimas posições do Estado Islâmico durou mais de duas semana, mas o governo iraquiano conseguiu se sair vitorioso.[54][55] Entre 20 e 22 de julho, atentados a bomba foram reportados na cidade velha de Mossul, mas os combates cairam de intensidade logo em seguida, com o governo fazendo múltiplas prisões de simpatizantes do Estado Islâmico na região central da cidade. Nesse meio tempo, foi reportado nenhum outro confronto entre forças iraquianas e os terroristas.[56]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Combates contra bolsões de resistência isolados prosseguiram até pelo menos 18 de julho de 2017, embora a cidade tenha sido oficialmente tomada uma semana antes.
  2. «Mosul completely freed from ISIS: What's next for the city left in ruins?». Cable News Network. 10 de julho de 2017. Consultado em 18 de julho de 2017 
  3. a b c «Mosul offensive: forces launch mass attack on Iraqi city in bid to oust Isis». the guardian. 17 de outubro de 2016 
  4. «Australia to have role in battle for Mosul». Sky News Australia. 17 de outubro de 2016. Consultado em 18 de outubro de 2016 
  5. «Danish soldiers have a role on the attack on Islamic State in Mosul». TV2 Danmark. 17 de outubro de 2016 
  6. «Turkey will fight Isis in Mosul, President Erdogan says». The Independent. 17 de outubro de 2016. Consultado em 18 de outubro de 2016 
  7. Arab, The New. «Germany 'will take part in the battle for Mosul'». Al Araby. Consultado em 18 de outubro de 2016 
  8. "Mosul, l’Italia in prima linea: elicotteri da attacco e incursori per i blitz. A 20 km dal fronte i bersaglieri presidiano la diga". Página acessada em 18 de outubro de 2016.
  9. a b Haddad, Tareq (16 de outubro de 2016). «'US military has started shelling Mosul' says Peshmerga commander». International Business Times. Consultado em 17 de outubro de 2016 
  10. «Airstrike kills senior ISIS leader killed in Tel al-Sheer village, Nineveh». Iraqi News. 20 de outubro de 2016. Consultado em 23 de outubro de 2016 
  11. «Report: ISIS 'Rambo' killed in battle south of Mosul». Jerusalem Post. 27 de outubro de 2016. Consultado em 2 de novembro de 2016 
  12. «Senior ISIS official killed in al-Shallalat district of Mosul». Iraqi News. 1 de novembro de 2016. Consultado em 2 de novembro de 2016 
  13. a b Walsh, Nick Paton; Blau, Max; Park, Madison; McLaughlin, Eliott C. (17 de outubro de 2016). «Battle for Mosul: Iraqi forces inflict 'heavy losses'». CNN. Consultado em 18 de outubro de 2016 
  14. «Mossoul : les forces en présence». Le Figaro (em francês). Consultado em 17 de outubro de 2016 
  15. «Iraq launches offensive on ISIL in Anbar province». The National. Consultado em 9 de julho de 2017 
  16. «Irak : l'opération pour reprendre Mossoul des mains de l'EI est lancée». Le Monde (em francês). Consultado em 17 de outubro de 2016 
  17. "Over 12,000 ISIS militants fighting for Mosul". Página acessada em 27 de janeiro de 2017.
  18. «2 American Soldiers Killed in Iraq, U.S. Military Says». Consultado em 30 de agosto de 2017 
  19. «IS trickling out of Mosul as losses mount: US general». AFP. Consultado em 27 de outubro de 2016 
  20. «First US Service Member Killed In Mosul Offensive». Military.com. 20 de outubro de 2016. Consultado em 21 de outubro de 2016 
  21. «Iranian sniper embedded in Iraqi militia killed near Mosul – FDD's Long War Journal». Consultado em 13 de abril de 2017 
  22. «Islamic State leader Baghdadi abandons Mosul fight to field commanders, U.S. and Iraqi sources say». 8 de março de 2017 – via Reuters 
  23. «Car bombs Target Civilians in Mosul; 25 Killed in Iraq». Antiwar.com 
  24. «Iraqi forces fight to break through ISIS' last five defenses in Mosul». Rudaw. 21 de maio de 2017. Consultado em 21 de maio de 2017 
  25. «Mosul offensive: Iraqi army launches 'final push' as army attacks Isil from north-west». The Telegraph. Consultado em 18 de julho de 2017 
  26. «UN believes up to 150,000 civilians are trapped in Mosul». Chicago Tribune. 17 de junho de 2017 
  27. «Battle for Mosul: United Nations says 200,000 civilians in grave danger as conflict draws to close». Firstpost. 29 de maio de 2017 
  28. Dunford, Daniel. «Battle for Mosul: UN prepares for aftermath 'chaos'». BBC News. Consultado em 15 de outubro de 2016 
  29. «The Coming Battle for Mosul». The New York Times. 14 de outubro de 2016. Consultado em 17 de outubro de 2016 
  30. von Hein, Matthias (14 de outubro de 2016). «Interview: Battle for Mosul likely to lead to power struggle». Deutsche Welle. Consultado em 17 de outubro de 2016 
  31. «Mosul completely freed from ISIS: What's next for the city left in ruins?». CNN. Consultado em 18 de julho de 2017 
  32. «Battle for Mosul: Iraq and Kurdish troops make gains». BBC News. 17 de outubro de 2016. Consultado em 18 de outubro de 2016 
  33. Blau, Max; Park, Madison; McLaughlin, Eliott C. «Battle for Mosul: Iraqi forces close in». CNN. Consultado em 17 de outubro de 2016 
  34. Yan, Holly; Muaddi, Nadeem. «Why the battle for Mosul matters in the fight against ISIS». CNN. Consultado em 17 de outubro de 2016 
  35. "Why the Battle for Mosul Is Important". Página acessada em 22 de outubro de 2016.
  36. «What is the battle for Mosul? Everything you need to know about the fight to liberate Isil's last bastion of power in Iraq». The Daily Telegraph. Consultado em 17 de outubro de 2016 
  37. «Irak : l'opération pour reprendre Mossoul des mains de l'EI est lancée». Le Monde.fr (em francês). 14 de dezembro de 2016. ISSN 1950-6244 
  38. «Factbox: Once-tolerant Mosul site of Iraq push against Islamic State» 
  39. «The battle in Iraq that could turn the tide against Islamic State: The fight for Mosul is about to begin». latimes.com. Consultado em 14 de dezembro de 2016 
  40. Gordon, Michael R.; Tim (14 de dezembro de 2016). «East of Mosul, Kurdish Troops Advance on ISIS-Held Villages». The New York Times. ISSN 0362-4331 
  41. «Iraqi army begins 'mother of all battles' to reclaim Mosul». www.msn.com. Consultado em 14 de dezembro de 2016 
  42. Hughes, Chris (14 de dezembro de 2016). «ISIS under devastating attack as 'mother of all battles' begins in Mosul». mirror 
  43. «Will ISIS be pushed easily from Mosul?». CNN. Consultado em 14 de dezembro de 2016 
  44. «Isil 'launches suicide attacks' on Kurdish forces in Mosul as bloody battle to retake terror group's Iraq stronghold begins». The Telegraph 
  45. «Battle for Mosul sparks fears of humanitarian crisis». Times LIVE. Agence France Press. Consultado em 17 de outubro de 2016 
  46. "Estado Islâmico sofreu 'pesadas perdas', diz líder curdo no Iraque". Página acessada em 18 de outubro de 2016.
  47. «Battle for Mosul: The story so far». BBC. Consultado em 9 de julho de 2017 
  48. Arango, Tim; Gordon, Michael R. (9 de julho de 2017). «Iraqi Prime Minister Arrives in Mosul to Declare Victory Over ISIS». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 9 de julho de 2017 
  49. «Abadi hails 'great victory' against ISIL in Mosul». www.aljazeera.com. Consultado em 9 de julho de 2017 
  50. «Batalha de Mossul: entenda os nove meses de luta que culminaram com a retomada da cidade». G1. Consultado em 9 de julho de 2017 
  51. «Battle for Mosul: Iraqi troops clearing last IS militants». BBC News. Consultado em 10 de julho de 2017 
  52. «Battle for Mosul: Iraq PM Abadi formally declares victory». BBC. Consultado em 10 de junho de 2017 
  53. «Iraque segue combate contra Estado Islâmico em Mossul mesmo após declarar vitória». G1. Consultado em 12 de junho de 2017 
  54. «Iraq faces pockets of Islamic State resistance in Mosul's Old City». Reuters. Consultado em 15 de julho de 2017 
  55. «Soldier killed in clashes with IS vestiges in Mosul's Old City». Iraqi News. 17 de julho de 2017. Consultado em 18 de julho de 2017 
  56. «Civilians return to Mosul as Iraqi forces mop up residual ISIS fighters». Stars and Stripes. 21 de julho de 2017. Consultado em 22 de julho de 2017. Cópia arquivada em 21 de julho de 2017 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Batalha de Mossul
  Este artigo sobre um conflito armado é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.