Bellis perennis

Disambig grey.svg Nota: Se procura as Sempre-Vivas do Cerrado Brasileiro, veja Eriocaulaceae.

A espécie Bellis perennis, também designada pelos nomes populares margarida, margarita, margarida-vulgar, margarida-menor, margarida-comum, margarida-inglesa, bonina, bela-margarida, sempre-viva, margaridinha, mãe-de-família, margarida-rasteira, rapazinho ou rapazinhos, é uma planta vivaz da família das Asteraceae. Existem muitas variedades híbridas, utilizadas em floricultura, com lígulas brancas, rosadas, vermelhas ou roxas, de forma simples ou dobrada.

Como ler uma infocaixa de taxonomiaMargarida-vulgar
Bellis perennis ou margarida-vulgar em ilustração
Bellis perennis ou margarida-vulgar em ilustração
Classificação científica
Reino: Plantae
Clado: angiospérmicas
Clado: eudicotiledóneas
Ordem: Asterales
Família: Asteraceae
Género: Bellis

Lineu

Espécies
Bellis perennis

DescriçãoEditar

 
Margaridas-amarelas

As suas inflorescências aparecem isoladas, sobre um comprido pedúnculo que parte de uma roseta basal (as folhas ficam dispostas no chão, em forma circular). Não atingem grandes dimensões, variando a sua altura entre 2 e 5 centímetros. Multiplica-se por pequenos estolhos que formam um rizoma. As folhas têm forma espatulada (ligeiramente semelhantes a colheres, com o pecíolo medindo cerca de metade do comprimento do limbo), com algumas variações, com margem crenada ou serrada, com alguma penugem, pelo menos na sua forma juvenil. As flores, hermafroditas, têm a forma de pequenos tubos amarelos, dispostos em capítulo (o disco amarelo, no centro), com lígulas ou flores femininas brancas ou avermelhadas à sua volta (chamadas impropriamente de pétalas pela linguagem corrente). As suas sementes são ovadas (cipsela) e pubescentes (com penugem).

DistribuiçãoEditar

É uma planta comum no continente europeu, onde é espontânea junto aos caminhos e nos pastos de erva rasteira. Durante a época colonial, foram levadas para o continente americano. É espontânea também nos Açores e na Madeira.

HistóriaEditar

Na Idade Média, era costume alimentar algumas crianças com as suas flores para, supostamente, impedir o seu crescimento, já que os anões eram muito populares entre as classes nobres para o seu entretenimento.[carece de fontes?]

Plantas semelhantesEditar


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Definições no Wikcionário
  Imagens e media no Commons
  Diretório no Wikispecies
  Este artigo sobre asteráceas, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.