Abrir menu principal
Bento Mântua
Nascimento 26 de setembro de 1878
Luanda
Morte 18 de dezembro de 1932 (54 anos)
Lisboa
Cidadania Portugal
Ocupação escritor, dirigente esportivo

Bento Mântua (Luanda, 26 de Setembro de 1878 — Lisboa, 18 de Dezembro de 1932[1]) foi um dramaturgo e escritor português e o 10.º presidente do Sport Lisboa e Benfica (1917-1926).

BiografiaEditar

Com mais de nove anos de exercício de funções, foi o segundo presidente com maior consulado na história do Sport Lisboa e Benfica, logo após Luís Filipe Vieira. O lançamento e conclusão do projecto Campo das Amoreiras, inaugurado em 6 de Dezembro de 1925, constituiu o marco mais importante dos seus mandatos e correspondeu, também, ao momento mais relevante e entusiástico vivido pelo clube até então.

A Bento Mântua, além de uma abnegada acção benemérita a favor do clube, particularmente nas obras das Amoreiras, ficou a dever-se, em 10 de Setembro de 1918, a realização do primeiro jogo nocturno de futebol, no campo da Avenida Gomes Pereira, o incentivo ao primeiro campeonato de hóquei em patins, onde chegou a oferecer os prémios, e a organização do torneio anual de atletismo inter-clubes, único que se realizou durante a Grande Guerra.

À semelhança de Félix Bermudes, Bento Mântua foi um homem de cultura, destacando-se como dramaturgo e escritor dramático. Há quem o considere[quem?] um dos criadores do teatro regionalista. Colaborou na publicação periódica "Atlântida" (1915-1920) e, também, no semanário "Azulejos"[2] (1907-1909).

ObrasEditar

  • Novo altar: peça em 1 acto em verso: representada pela 1a. vez no Teatro Apolo de Lisboa, em 31 de Julho de 1905;
  • Má sina: peça em 3 actos: representada no Teatro Nacional Almeida Garrett em 11 de Abril de 1908;
  • O álcool: peça em um acto;
  • A morte: peça em 1 acto; Ordinário... marche!: peça em 3 actos (1915);
  • O fado: episódio em 1 acto: representado pela primeira vez na festa artística do actor Henrique Alves, no Teatro de S. Carlos em 15 de Março de 1915;
  • Theatro (1913);
  • Freira: episódio dramático em 1 acto (1916);
  • O crime da avenida 33: peça em 4 actos / Bento Mantua, Barreto da Cruz (1918);
  • O cêrco de Tanger: drama historico em 5 actos / Bento Mântua, António Sacramento Junior (1923);
  • Quem me dera ver: diálogo em verso (1932);
  • Daqui a 30 anos: futura cena de família: comédia em 1 acto (1932).

Futebol - 4 Títulos na 1ª CategoriaEditar

  • 2 Campeonatos de Lisboa (1917/1918 e 1919/1920))
  • 2 Taças de Honra (1919/1920 e 1921/1922)

Referências

  1. Centro de Estudos do Teatro (26 de Janeiro de 1999). «Ficha de Pessoa:Bento Mântua». Consultado em 8 de Março de 2018 
  2. Rita Correia (3 de Novembro de 2016). «Ficha histórica: Azulejos : semanario illustrado de sciencias, lettras e artes (1907-1909)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 28 de novembro de 2016 

Ligações externasEditar