William "Billy" Rose (Nova York, 1899 - Montego Bay, 10 de fevereiro de 1966), foi um empresário, produtor teatral, jornalista, dono de nightclub e compositor estadunidense.[1]

Billy Rose
Billy Rose
Nascimento William Samuel Rosenberg
6 de setembro de 1899
Bronx
Morte 10 de fevereiro de 1966 (66 anos)
Montego Bay
Sepultamento Cemitério de Westchester Hills
Cidadania Estados Unidos
Etnia judeus
Cônjuge Fanny Brice, Eleanor Holm, Joyce Mathews, Doris Warner
Ocupação letrista, autor-compositor, empresário
Obras destacadas It's Only a Paper Moon
Causa da morte pneumonia

Fez sua fortuna numa combinação "pouco provável" de "extravagâncias, curvas femininas e mercado de ações".[1]

Biografia editar

Rose ganhou notoriedade ainda com 17 anos de idade, ao ganhar uma competição nacional de velocidade taquigráfica, e dois anos mais tarde era o estenógrafo-chefe do financista Bernard M. Baruch, que era o principal nome da indústria bélica durante a I Guerra Mundial.[1]

Compôs canções que fizeram bastante sucesso como "That Old Gang of Mine", "Without a Song" ou "Me and My Shadow".[1]

Em 1939 ele se casou com a nadadora artística, Eleanor Holm, de quem se separou em 1954.[2] Ela fora a estrela do espetáculo aquático que ele montara para a Feira Mundial de Nova York daquele ano, chamado "Aquacade", que foi a principal atração e grande sucesso - ao cabo de três meses do evento ele fizera seu primeiro milhão de dólares.[1]

Ele se casou outras quatro vezes: com Fanny Brice (1929-1938), a comediante cuja vida foi contada no musical da Broadway Funny Girl; com Doris Warner (1964-1965), filha do dono de estúdio de cinema Harry Warner, e duas vezes com a mesma mulher, Joyce Mattews (1956-1959, 1961-1963).[1]

O célebre jornalista Earl Wilson narrou em sua coluna distribuída nacionalmente "It Happened Last Night" que no carnaval de 1961 Rose viera com Joyce para o Rio de Janeiro, integrando o grupo de astros e estrelas do show business convidados de Jorge Guinle; numa das festas um rapaz brasileiro lhe jogou um lança-perfume no rosto e ele devolveu jogando água na cara do desafeto - no dia seguinte Joyce Mattews estava com o rapaz, para a infelicidade de Rose.[3]

Morte editar

Em dezembro de 1965 ele havia se submetido a uma cirurgia cardio-vascular, em Houston, Texas; a fim de recuperar-se voou para sua casa de inverno na Jamaica, em Montego Bay; no dia 22 de dezembro ele voltou para sua casa, em Nova York, mas retornou ao calor caribenho em 8 de fevereiro de 1966 em companhia de sua irmã, Polly, esposa do produtor de cinema e escritor Alex Gottlieb, apesar de os médicos terem prescrito seis semanas de repouso; um amigo depois declarou que ele o fizera por estar se sentindo melhor.[1]

No dia de sua chegada ele pegou um resfriado que no dia seguinte evoluíra para uma pneumonia lobar; internado no Eldmire Nursing Home, veio a falecer um dia após; a irmã cuidou do translado do corpo a Nova York, onde ocorreu o funeral.[1]

Quando morreu deixou uma fortuna estimada, com valores da época, em 30 milhões de dólares.[2] Ele brincava, dizendo que se a sua sorte continuasse até 1970, ficaria então um homem rico.[1]

Pós-morte: disputa da ex-mulher editar

Eleanor Holm pleiteou num processo contra o espólio de Rose em 19 de outubro de 1966 que ela fora enganada no acordo de separação, dizendo que recebera como compensação dois quadros atribuídos a Renoir que valeriam 1 milhão de dólares cada mas, depois, constatara serem falsificações que valiam somente 10 mil dólares; o juiz distrital Inzer B. Wyatt não acolheu as alegações, dizendo que ela contara com assessoria jurídica adequada quando da separação e que o acordo então celebrado o fora feito livremente.[2]

Referências

  1. a b c d e f g h i AP (10 de fevereiro de 1966). «Colorful Career Ends: Billy Rose Dies In Jamaica». Courier (Prescott, Arizona), p. 5. Consultado em 6 de abril de 2016 
  2. a b c AP (20 de junho de 1967). «Eleanor Holm loses claim on estate of late Billy Rose». Ocala Star Banner, p. 9. Consultado em 6 de abril de 2016 
  3. Earl Wilson (22 de fevereiro de 1961). «Even Stickup Guys Were Jolly At Rio Show: But Billy Rose Wasn't». Pittisburgh Post-Gazette. Consultado em 9 de abril de 2016 

Ligações externas editar

Billy Rose. no IMDb.