Empresário

pessoa envolvida em atividades econômicas
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o conceito geral de empresário. Para a definição jurídica de empresário no direito empresarial, veja Empresário (direito empresarial).

Empresário ou empresária é um termo de amplo significado, mais ou menos relacionado a empresa, cujo significado evoluiu e se modificou ao longo dos tempos. A sua definição atual foi trabalhada sobretudo por Joseph Schumpeter, ao longo do século XX, que o descreve como um empreendedor movido pelo lucro, assumindo uma função de liderança económica, constituindo-se como um agente de mudança e renovação tanto no plano económico como no social. O significado do termo continua, no entanto, aberto e em permanente evolução.[1]

HistóriaEditar

O termo deriva do latim imprehensa, pelo italiano impresa e impresario.[2][3] O conceito de empresário na perspectiva que mais se aproxima da atual foi introduzido no francês entrepreneur no século XVIII por Richard Cantillon, no seu Essai sur la nature du commerce en général. O empresário era definido aqui como um comerciante que age em condições de incerteza, um especulador que arrisca sob despesas conhecidas e lucros incertos, por não poder conjecturar a procura, e um indivíduo que arrisca com o objetivo de obter lucro. À definição de Cantillon, Jean Baptiste Say acrescentou à função empresarial os atributos de coordenação e supervisão, celebrizando a definição de empresário que vigorou até o final do século XIX: o empresário passou a ser o agente que combina todo o percurso desde a produção à venda dos bens, dominando os recursos e sendo o principal agente de produção, gerindo os custos - sobretudo relacionados com o pessoal empregado na atividade - e os lucros dessa atividade. Neste período, o empresário era exclusivamente um agente económico, capaz de dinamizar a economia pelas suas capacidades de articular os recursos naturais com os processos produtivos, e de especular sobre os preços e produtos.[1]

Posteriormente, Adam Smith, David Ricardo e Alfred Marshall redefiniram o empresário passando-o para um papel essencialmente no interior da empresa, retirando do conceito as imlicações das suas ações para o crescimento económico. Smith, no seu modelo, define o empresário simplesmente como a pessoa que financia com capital a atividade industrial.[1]

No século XX a definição de empresário foi especialmente trabalhada por Joseph Schumpeter, que ao contrário de Stuart Mill, não valorizava o termo entrepreneur, mas sim o reconhecimento da função distinta do empresário como agente económico, aceitando expressões como "líder de negócios" e "inovador" na sua definição. Para Schumpeter, Marshall e Ricardo tinham uma visão automatizada do processo de produção e do comércio, que não contemplava as funções de concepção e liderança. O empresário é descrito como um empreendedor movido pelo lucro, assumindo uma função de liderança económica, constituindo-se como um agente de mudança e renovação tanto no plano económico como no social. São líderes capazes de mobilizar recursos materiais e humanos para, através da produção de novas combinações económicas, explorar oportunidades que possam conduzir ao desenvolvimento económico e à mudança social.[1]

Referências

  1. a b c d Oliveira, Catarina Reis (14 de outubro de 2019). Empregadores e Empreendedores Imigrantes: Tipologia de Estratégias Empresariais. [S.l.]: Observatório das Migrações, ACM, I.P. pp. 28–29 
  2. Infopédia. «empresário | Definição ou significado de empresário no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 10 de fevereiro de 2022 
  3. Infopédia. «empresa | Definição ou significado de empresa no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 10 de fevereiro de 2022