Abrir menu principal

Em Portugal têm estatuto de sapadores os corpos de bombeiros de cariz totalmente profissional, isto é, que não admitem voluntariado. Sob tutela da Camara Municipal apenas, a sua existência justifica-se nas cidades de grande dimensão.

Presentemente os corpos de bombeiros designados sapadores são:


A origem da designação (inspirada nos Sapeurs-Pompiers da França) remonta a 1930, ano em que a Companhia Municipal de Salvação Pública de Lisboa passa a chamar-se Batalhão de Sapadores Bombeiros.[1] Seguiram-se:

  • em 1946 o Corpo de Salvação Pública do Porto passa a Batalhão de Sapadores Bombeiros[2]
  • em 1981 o Corpo de Bombeiros Municipais de Braga passa a Companhia de Bombeiros Sapadores[3]
  • em 1982 o Corpo de Bombeiros Municipais de Setúbal passa a Companhia de Bombeiros Sapadores[4]
  • em 1987 o Corpo de Bombeiros Municipais de Coimbra passa a Companhia de Bombeiros Sapadores[5]
  • em 1988 o Batalhão de Lisboa sobe a Regimento[1]
  • em 2012 o Corpo de Bombeiros Municipais de Faro passa a Companhia de Bombeiros Sapadores[6]
  • em 2016 o Corpo de Bombeiros Municipais do Funchal passa a Companhia de Bombeiros Sapadores


Existem ainda em Portugal os Sapadores Florestais.

Além destes corpos civis, o Exército Português mantém, com a designação de sapador bombeiro, bombeiros sob a arma de engenharia (incorporados no Regimento de Engenharia Nº 3 em Espinho).

Referências

  1. a b «Cronologia do RSB». Consultado em 26 de julho de 2012 
  2. «Histórico do BSB». Consultado em 26 de julho de 2012 
  3. «História da CBS de Braga». Consultado em 26 de julho de 2012 
  4. «História da CBS de Setúbal». Consultado em 26 de julho de 2012 
  5. «Historial da CBS de Coimbra». Consultado em 26 de julho de 2012 
  6. «Regulamento Corpo de Bombeiros Sapadores» (PDF). Consultado em 26 de julho de 2012