Abrir menu principal
Brasão do Piauí
Brasão do Piauí
Detalhes
Adoção 1922
Timbre Estrela de antares em heráldica partida-gironada encimada pela legenda com o nome do estado.
Escudo Escudo néo-clássico na parte superior é em cor ouro contento as três especies de palmeiras abundantes no Piauí e na parte de baixo alternam-se lista em branco e azul representando os principais rios com três piaus em roquete. Na parte externa de baixo está uma fita enlaçada com as datas e com o lema do estado, Impavidum ferient ruinae, disposto classicamente em latim.
Outros elementos Envoltando o escuto há dois ramos em própria com um representado a cana de açucar e outro o algodão.
Versões anteriores Precisando de mais pesquisas para definir versão anterior.
Uso Estadual
O Brasão do Piauí compondo a capa da edição Almanach Piauhyense de 1937.

O Brasão do Estado do Piauí é o emblema heráldico e um dos símbolos oficias do estado brasileiro do Piauí[1].

O Brasão anterior no frontão da escola Anísio Brito, em Piracuruca.

HistóriaEditar

O Anuário do Piauí, de 1935[2], relata que o estado já possuía um brasão anterior e que em 1922 foi substituído pelo atual que foi oficializado pela lei nº 1.050, promulgada em 24 de julho de 1922.

O desenho heráldico é do escritor e intelectual Luís Mendes Ribeiro Gonçalves.[3]

Descrição heráldicaEditar

Obs.: Em ortografia original de 1922.

  • a) um escudo néo-classico cortado, contendo, sobre o campo superior de oiro velho, esmaltados em sinopla, uma lado da outra e equidistantes, as tres palmeiras nativas do Piauhy - carnnahuba (Arrudaria cerifera), à dextra lembrando a phase nomade e pastoril de penetração pelos Bandeirantes do território virgem; Burity (Mauricia vinifera), ao centro marcando a epoca subsequente de fixação e estabelecimento dos núcleos de população e do amanho das tarras, e Babassú ( ), à sinistra, assignalando a evolução da economia; ao campo inferior do escudo, de fundo branco estriado de coticas em faixa de cor azul cobalto, sobre poem-se, dispostos em roquete, três piáus de pratas representando os maiores rios do Piauhy - Parnahyba, Canindé e Poty. As coticas azues, em número de sete, correspondem aos principais affluentes à margem direita do rio Parnahyba. Separando os campos e delimitando o escudo ha ainda um filete e uma bordadura de esmalte goles, ambos estreitos[4].
  • b) uma estrella de prata com cinco pontas, ao alto do chefe do escudo, symbolisando aspiração de progresso.
  • c) um par de ramos, em sinopla, oiro e prata, respectivamente de algodoeiro, à direita e canna de assucar à esquerda do escudo, figurando as duas principais producções agricolas do Estado, atados em cruz de Santo André por uma flammula azul cobalto farpada em ambas as pontas e tendo inscriptas em letras de oiro a legenda que se adopta para o Estado - Impavidum ferient ruinae - e a data de 24 de Janeiro de 1823, da proclamação de sua Independencia[5].

Referências

  1. ALVES. Derly Halfeld. Bandeiras: nacional, históricas e estaduais. Brasília. Edições do Senado Federal, 2011. ISBN 978-85-7018-358-3
  2. Anuário do Piauí, edição 1935, editado pelo governo do Piauí, através da Inspetoria de estatística.
  3. BASTOS, Cláudio de Albuquerque. Dicionário Histórico e Geográfico do Estado do Piauí. Teresina, FCMC/PMT, 1994.
  4. SOARES, Nildomar da Silveira. Leis Básicas do Estado do Piauí. Teresina; O autor, 2000
  5. Artigo 1° da Lei estadual do Piauí 1050 de 1922
Brasões das unidades federativas do Brasil
 
AC
 
AL
 
AP
 
AM
 
BA
 
CE
 
DF
 
ES
 
GO
 
MA
 
MG
 
MS
 
MT
 
PA
 
PB
 
PE
 
PI
 
PR
 
RJ
 
RN
 
RO
 
RR
 
RS
 
SC
 
SE
 
SP
 
TO
  Este artigo sobre heráldica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.