Corujão

(Redirecionado de Bubo)
 Nota: Para outros significados, veja Corujão (desambiguação).

Os corujões Americanos (América do Norte e do Sul) e os bufos do Velho Mundo compõem o gênero Bubo, pelo menos como tradicionalmente descrito. O nome do gênero Bubo é o latim para coruja.

Corujões e bufos
Intervalo temporal: Plioceno Superior até o presente
Bufo-indiano, Bubo bengalensis
Classificação científica e
Domínio: Eukaryota
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Strigiformes
Família: Strigidae
Gênero: Bubo
Duméril, 1805
Espécie-tipo
Strix bubo
Linnaeus, 1758
Espécies

Ver texto

Sinónimos
  • Huhua
  • Nyctea Stephens, 1826
  • Ophthalmomegas Dejaut, 1911[1]

e veja o texto

Este gênero contém dez espécies que são encontradas em muitas partes do mundo. Alguns dos maiores Strigiformes vivos estão em Bubo. Tradicionalmente, apenas corujas com tufos de orelhas eram incluídas neste gênero, mas esse não é mais o caso.

Bufo-real com um rato no bico

Taxonomia editar

 
Detalhe de um olho de um bufo

O gênero Bubo foi introduzido em 1805 pelo zoólogo francês André Duméril para os corujões.[2] A espécie-tipo é o bufo-real.[3] A palavra bubo é o latim para o bufo-real e foi usado como epíteto específico para a espécie por Carl Linnaeus em 1758.[4]

Um estudo filogenético molecular publicado em 2020 descobriu que espécies dos gêneros Scotopelia e Ketupa foram incorporados ao clado contendo membros do gênero Bubo, fazendo o gênero Bubo parafilético. Para criar gêneros monofiléticos, nove espécies foram movidas de Bubo para Ketupa.[5][6]

Espécies editar

O gênero contém 10 espécies existentes:[6]

 
Bufo-real (Bubo bubo)

Às vezes incluído neste gênero:

Registro fóssil editar

Espécies Bubo nomeadas e distintas são:

  • Bubo florianae (Mioceno Superior[necessário verificar] de Csákvár, Hungria, provisoriamente colocado aqui)
  • Bubo leakeyae (Pleistoceno Inferior da Tanzânia)
  • Bubo binagadensis (Pleistoceno Superior de Binagady, Azerbaijão)
  • Bubo osvaldoi (Pleistoceno de Cuba)[7]
  • Bubo insularis (Pleistoceno da Sardenha)

Alguns fósseis notáveis ​​não descritos de corujões pré-históricos, geralmente restos bastante fragmentados, também foram registrados:

  • Bubo sp. (Plioceno Superior de Senèze, França)[8]
  • Bubo sp. (Plioceno Superior de Rębielice Królewskie, Polônia; provisoriamente colocado aqui)[9]
  • Bubo sp. (Pleistoceno Superior da Caverna de San Josecito, México)[10]

O espécime UMMP V31030, um coracóide do Plioceno Superior da Formação Rexroad do Kansas (EUA), não pode ser conclusivamente atribuído a Bubo ou Strix. Este fóssil é de um táxon semelhante em tamanho ao da jacurutu (B. virginianus) ou à coruja-lapónica (S. nebulosa).[11]

A coruja-de-sinclair (Bubo sinclairi) do Pleistoceno Superior na Califórnia pode ter sido uma paleosubespécie da jacurutu,[12] enquanto a aproximadamente contemporânea Bubo insularis do centro e leste do Mediterrâneo tem sido considerado um sinônimo júnior de uma paleosubespécie do bufo-pescador.[13] Outras paleosubespécies são discutidas na página da espécie apropriada.

Vários supostos fósseis de Bubo acabaram se revelando como sendo de aves diferentes. As corujas-orelhudas do Eoceno Superior/Oligoceno Inferior "Bubo" incertus e "Bubo" arvernensis são agora colocadas nos gêneros fósseis de titonídeos Nocturnavis e Necrobyas, respectivamente. O "Bubo" leptosteus é agora reconhecido como coruja primitiva no gênero Minerva (anteriormente Protostrix). O "Bubo" poirreiri do Oligoceno Superior ou Mioceno Inferior de Saint-Gérard-le-Puy, na França, é agora colocado em Mioglaux.

Por outro lado, o suposto fóssil da garça "Ardea" lignitum do Plioceno Superior de Plaue-Rippersroda (Alemanha) aparentemente era uma coruja e estava próximo de Bubo ou, mais provavelmente, pertence de fato a esse grupo. Devido à sua idade – cerca de 2 milhões de anos atrás, mais ou menos – ela é normalmente incluída no bufo-real atualmente.[14]

Interações com humanos editar

Devido a seus hábitos noturnos, a maioria das corujas não interage diretamente com os seres humanos. Entretanto, em 2015, um bufo em Purmerend, Holanda, atacou cerca de cinquenta pessoas antes de ser capturado por um falcoeiro contratado.[15]

Referências

  1. Possivelmente um sinônimo júnior de Ketupa, se esse é um gênero válido: Pavia (1999), Mlíkovský (2002, 2003).
  2. Duméril, A. M. Constant (1805). Zoologie analytique : ou, Méthode naturelle de classification des animaux; endue plus facile a l'aide de tableaux synoptiques (em French). Paris: Allais. p. 34  O livro traz a data de 1806 na página de título, mas na verdade foi publicado em 1805. Ver: Gregory, Steven M.S. (2010). «The two 'editions' of Duméril's Zoologie analytique, and the potential confusion caused by Froriep's translation Analytische Zoologie» (PDF). Zoological Bibliography. 1 (1): 6–8 
  3. Peters, James Lee, ed. (1940). Check-List of Birds of the World. 4. Cambridge, Massachusetts: Harvard University Press. p. 110 
  4. Jobling, James A. (2010). The Helm Dictionary of Scientific Bird Names. London: Christopher Helm. p. 179. ISBN 978-1-4081-2501-4 
  5. Salter, J.F.; Oliveros, C.H.; Hosner, P.A.; Manthey, J.D.; Robbins, M.B.; Moyle, R.G.; Brumfield, R.T.; Faircloth, B.C. (2020). «Extensive paraphyly in the typical owl family (Strigidae)». The Auk. 137 (ukz070). doi:10.1093/auk/ukz070 . hdl:2346/93048  
  6. a b Gill, Frank; Donsker, David; Rasmussen, Pamela, eds. (janeiro de 2023). «Owls». IOC World Bird List Version 13.1. International Ornithologists' Union. Consultado em 31 de janeiro de 2022 
  7. Arredondo, O; Olson, SL. «A New Species of Owl of the Genus Bubo from the Pleistocene of Cuba (Aves: Strigiformes)» (PDF). Proc. Biol. Soc. Wash. 107 (3): 436–444. Consultado em 2 de dezembro de 2012 
  8. Lambrecht (1933): p. 616
  9. Mlíkovský (2002)
  10. Um único osso de um grande corujão distinto de B. virginianus: Steadman et al. (1994)
  11. Feduccia (1970)
  12. Howard (1947)
  13. Mlíkovský (2002, 2003)
  14. Olson (1985): p. 167, Mlíkovský (2002)
  15. «"Horror owl" caught in Purmerend; had attacked 50 people». NL Times. 13 de março de 2015. Consultado em 6 de julho de 2021 

Notas de rodapé editar

Ligações externas editar

  •   Media relacionados com Corujão no Wikimedia Commons