Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: "Coruja" redireciona para este artigo. Para outros significados de "coruja", veja Coruja (desambiguação).
Como ler uma infocaixa de taxonomiaStrigiformes
Northern Spotted Owl.USFWS.jpg
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Strigiformes
Famílias
Strigidae
Tytonidae

Estrigiformes são aves da ordem Strigiformes, que inclui aves de rapina noturnas, tais como corujas, mochos e murutucus. São caçadoras eficientes, usando sobretudo seus olhos extremamente aguçados e movimentos rápidos. Além disso, são extremamente atentas ao ambiente, têm grande capacidade de girar o pescoço e voar silenciosamente devido a penas especiais muito macias e numerosas que compõem suas asas. São aves tímidas, geralmente solitárias. São providas, muitas vezes, de penachos na zona superior da cabeça, olhos grandes e frontais. Tais aves possuem hábitos notívagos e voo silencioso devido à estrutura das penas, alimentando-se de pequenos mamíferos (principalmente de roedores e morcegos), insetos e aranhas. Engolem suas refeições por inteiro, para depois vomitarem pelotas com pêlos e fragmentos de ossos. Os filhotes de corujas podem ser vítimas de outros predadores, como o gavião.[carece de fontes?]

Podem girar sua cabeça e pescoço em até 270 graus em qualquer direção e,[1][2][3] apesar do tamanho do seus olhos, elas não conseguem mexer os seus globos oculares.[4]

O símbolo da Deusa grega da sabedoria, Atena, é uma coruja do gênero Athene: o mocho-galego.[5] Também considerada o símbolo da filosofia.

CaracterísticasEditar

ReproduçãoEditar

O período da reprodução depende da espécie. A prole é de cerca de cinco ovos por gestação. Depois da eclosão, o macho cuida dos filhotes por dois meses até que estes aprendam a se defender. A maioria das espécies fica em árvores. Mas algumas corujas fazem o ninho em áreas de relvas baixas, junto às árvores. Cavam no chão verticalmente e depois prosseguem horizontalmente até o ponto definido para colocar o ninho livre de predadores. O macho fica de sentinela na árvore, cuidando do ninho, principalmente durante o dia. Na presença de um possível invasor, os filhotes podem imitar sons de serpente (similar), fazendo o agressor desistir do ataque.

TaxonomiaEditar

 
Coruja-preta (Strix huhula)

Famílias:

A taxonomia de Sibley-Ahlquist também inclui nos Strigiformes as espécies usualmente classificadas nos Caprimulgiformes:

Algumas subfamílias e seus gêneros e espécies:

Subfamilia Surniinae
Subfamilia Striginae

Algumas espécies:

 
Coruja buraqueira - casal e filhotes

Referências

  1. San Diego Zoo Birds: Owl
  2. «A Parliament of Owls». Consultado em 14 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 16 de janeiro de 2011 
  3. The Owls of Big Bend
  4. Patricia, Karlla (Novembro de 2012). «É verdade que a coruja pode virar a cabeça 360 graus?». Diário de Biologia. Consultado em 2 de Março de 2016 
  5. Thompson, D'Arcy Wentworth. A glossary of Greek birds. Oxford, Clarendon Press 1895, p 46.
  6. «Normas oficiales mexicanas para la protección ambiental» (PDF). Consultado em 3 de junho de 2013. Arquivado do original (PDF) em 28 de agosto de 2008 
  7. a b c d e f g «Avifaunas Estatales de México». Consultado em 3 de junho de 2013. Arquivado do original em 22 de outubro de 2008 

Ligações externasEditar