Cabezas cortadas

filme de 1970 dirigido por Glauber Rocha

Cabeças Cortadas é um filme hispano-brasileiro de 1970, do gênero ficção, cuja direção e roteiro são do cineasta Glauber Rocha.[1][2][3][4][5][6]

Cabezas Cortadas
Cabeças Cortadas (BRA)
Flag of Spain.svg Espanha
 Brasil
1970 •  cor •  94 min 
Direção Glauber Rocha
Roteiro Glauber Rocha
Gênero drama
Idioma espanhol

SinopseEditar

Barcelona, 1970. Neste Clássico de Glauber Rocha, uma fusão de um delírio déspota na terra de General Franco, já que o filme foi filmado na Espanha dos anos 70. Diaz, vivido por Francisco Rabal foi o regente de Eldorado, e vive dentro de um castelo que é sua clausura mental, e em seus delírios sonha nostálgico com o poder que possuía naquele pais imaginário de Terra em Transe.

A história se desenrola neste delírio de opressão aos índios, trabalhadores e camponeses que, na ilusão de Diaz, pretendem matá-lo, entre eles um pastor, vivido por Pierre Clementi, que realiza milagres ao redor do castelo. A loucura de Diaz cresce à proporção que ele percebe que já não possui nenhum poder, aprisionando uma camponesa, (Rosa Maria Penna), que para ele é o símbolo da pureza.

O Título "Cabezas Cortadas" Faz alusão ao pensamento grego simbolizado por suas estátuas e na cabeça está a criação de tudo, da razão, a loucura, artes, realizações. A cabeça cortada é de uma estátua grega.

ElencoEditar

Produção ArtísticaEditar

  • Diretor de fotografia: Jaime Deu Casas;
  • Música: Cuesta Abajo, Gardel, Le Pera, Alla en el Rancho Grande, Castello, Del Moral, Uranga, Manresana, Manen, Chamaco Gran Torero, Gomila, Fallaste Corazon, Sanchez, Sabor a Mi, Carillo, Buenos Aires, Joves, Romero, Misa Flamenca, La Torre, Torre Grosa;
  • Montador: Eduardo Escorel;
  • Produtores associados: Ricardo Muñoz Suay, Pedro Fages, Juan Palomeras e Glauber Rocha;

PrêmiosEditar

  • Cabezas Cortadas ganhou apenas um prêmio: o São Saruê, da Federação de Cineclubes do Estado do Rio de Janeiro, em 1979, 9 anos após sua estreia na Europa.

Referências

  1. Gregor, Keith (26 de setembro de 2014). «Shakespeare and Tyranny: Regimes of Reading in Europe and Beyond». Cambridge Scholars Publishing – via Google Books 
  2. Johnson, Randal; Stam, Robert (14 de fevereiro de 1995). «Brazilian Cinema». Columbia University Press – via Google Books 
  3. Armes, Roy (29 de julho de 1987). «Third World Film Making and the West». University of California Press – via Google Books 
  4. Elena, Alberto; López, Marina Díaz (24 de março de 2004). «The Cinema of Latin America». Columbia University Press – via Google Books 
  5. Shaw, Lisa; Dennison, Stephanie (1 de maio de 2014). «Brazilian National Cinema». Routledge – via Google Books 
  6. Bayman, Louis; Pinazza, Natália (14 de fevereiro de 2019). «Directory of World Cinema: Brazil». Intellect Books – via Google Books