Caio Vetúrio Cicurino

Caio Vetúrio Cicurino (em latim: Gaius Veturius Cicurinus) foi um político da gente Vetúria nos primeiros anos da República Romana eleito cônsul em 455 a.C. com Tito Romílio Roco Vaticano.

Caio Vetúrio Cicurino
Cônsul da República Romana
Consulado 455 a.C.

ConsuladoEditar

Caio Vetúrio foi eleito cônsul em 455 a.C. juntamente com Tito Romílio Roco Vaticano[1].

Seu consulado se iniciou com uma forte dissensão entre os cônsules e os tribunos da plebe por causa da necessidade de um novo alistamento militar. Os tribunos afirmavam que tratava-se de mais uma manobra para impedir a distribuição de terras públicas. No final, era aparente que os plebeus conseguiriam colocar a lei em votação, mas os patrícios se opuseram, impedindo, fisicamente, que as tribos se formassem para a votação ou atrapalhando as atividades dos que tentavam votar. Chegou-se ao ponto de convocar os mais arruaceiros entre os oponentes dos patrícios, que acabaram multados, mas que tiveram as multas pagas por membros de sua classe. A tentativa de colocar a lei em votação foi, porém, interrompida pela notícia de um raide dos équos e de um ataque à cidade aliada de Túsculo[2].

Os tuscolanos pediram a ajuda dos romanos contra os équos, que os dois cônsules enfrentaram e derrotaram numa batalha, como sempre, perto do monte Álgido. Romílio e Cicurino decidiram vender o butim capturado para re-estabelecer o caixa estatal, fazendo assim mais inimigos entre os plebeus, que constituíam a grande parte do exército, e que esperavam a sua justa parte dos espólios[3].

Anos seguintesEditar

No ano seguinte (454 a.C.), foi processado pelo tribuno da plebe Caio Calvo Cicerônio, sob a acusação de haver ilicitamente impedido que o butim fosse dividido entre os soldados e, condenado, foi obrigado a pagar uma pesada multa de 10 000 asses[3].

Ver tambémEditar

Cônsul da República Romana
 
Precedido por:
'Marco Valério Máximo Latuca

com Espúrio Vergínio Tricosto Celimontano

Tito Romílio Roco Vaticano
455 a.C.

com Caio Vetúrio Cicurino

Sucedido por:
'Espúrio Tarpeio Montano Capitolino

com Aulo Atérnio Varo


Referências

  1. Dionísio, Antiguidades Romanas X, 33.
  2. Dionísio, Antiguidades Romanas X, 33-43.
  3. a b Lívio, Ab Urbe Condita Libri III, 2, 31.

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar