Caracul[1] ou caraculo[2] é uma raça de ovinos originária da Ásia Central, caracterizados pelo seu tosão ondulado e longo.[1] Há algumas evidências arqueológicas que apontam a origem da raça, já em 1400 a.C..[3]

Cordeiro da raça caracul

Trata-se de uma raça bem adaptada a condições desérticas extremas. Esta raça é criada na Namíbia, para onde foi levada pelos primeiros colonizadores alemães. É muito apreciada pela qualidade da sua lã, além da carne e do leite que produz.

Até o final do século XIX, a pele do cordeiro caracul recém-nascido ou nado-morto, denominada "astracã"[4] (designação alusiva ao topónimo Astrakhan[5]) era muito apreciada, sendo usada para a confecção de gorros e casacos.[1]

EtimologiaEditar

O nome caracul ou caraculo terá entrado para o português[2] pelo francês «caracul»[6], já alusivo à raça de carneiro. Em última análise, porém, o nome terá chegado ao francês por alusão à cidade uzebeque Caracul.[2][6]

Referências

  1. a b c Bigotte de Carvalho, Maria Irene (1997). Nova Enciclopédia Larousse vol. V. Lisboa: Círculo de Leitores. p. 1435. 1578 páginas. ISBN 972-42-2816-9. OCLC 959016748 
  2. a b c Infopédia. «caraculo | Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». infopedia.pt - Porto Editora. Consultado em 15 de janeiro de 2023 
  3. «Karakul». Breeds of Livestock. Oklahoma State University, Dept. of Animal Science. Consultado em 17 de abril de 2009 
  4. Infopédia. «astracã | Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». infopedia.pt - Porto Editora. Consultado em 15 de janeiro de 2023 
  5. Dicionário Houaiss: 'astracã'
  6. a b Larousse, Éditions. «Définitions : caracul, karakul - Dictionnaire de français Larousse». www.larousse.fr (em francês). Consultado em 16 de janeiro de 2023 
  Este artigo sobre pecuária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.