Carregosa

vila e freguesia de Oliveira de Azeméis, Portugal
Portugal Portugal Carregosa 
  Freguesia  
Símbolos
Bandeira de Carregosa
Bandeira
Brasão de armas de Carregosa
Brasão de armas
Lema
CarregosaVIVA versão final.jpg

Marca CarregosaVIVA®

Gentílico Carregosense
Localização
Carregosa está localizado em: Portugal Continental
Carregosa
Localização de Carregosa em Portugal
Coordenadas 40° 53' N 8° 25' O
Concelho OAZ.png Oliveira de Azeméis
História
Fundação 922 d.C.
Administração
Tipo Junta de freguesia
Presidente Maria Helena da Silva Moreira (CDS)
Características geográficas
Área total 14 km²
População total (2011) 3 419 hab.
Densidade 244,2 hab./km²
Código postal 3720

3720-017 Carregosa - Oliveira de Azeméis

Outras informações
Orago São Salvador
Website www.jf-carregosa.pt

Carregosa é uma freguesia urbana portuguesa do concelho de Oliveira de Azeméis (município da Área Metropolitana do Porto[1] e da Região do Norte[2]) com 14 km² de área e 3 419 habitantes (2011). A sua densidade populacional é de 289,3 hab/km².

Carregosa é uma das 12 freguesias do concelho de Oliveira de Azeméis. Fica na zona nordeste do concelho e faz fronteira com concelhos vizinhos de Vale de Cambra (a este) e de Arouca (a norte). Faz ainda fronteira com as localidades de Pindelo, Nogueira do Cravo e Fajões. Desta freguesia encontram-se referências desde o século X.

Marca CarregosaVIVA ®Editar

A freguesia de Carregosa por decisão da Assembleia de Freguesia de 16 de abril de 2019 adotou a Marca CarregosaVIVA ® 48505, em homenagem à memória e à identidade do povo de Carregosa.

A Marca destaca-se pelo Logotipo em forma de círculo aberto, que reproduz o “C” de Carregosa, em formato de peças de puzzle, para simbolizar a abertura a novas possibilidades e valorizar o povo humilde, bairrista, empreendedor, criativo, incansável, simpático e hospitaleiro.

O logo tem as 7 cores do arco-íris e representam a coragem, a harmonia, a juventude, a esperança, a transparência, a disciplina e a evolução. Ou, para sermos mais pragmáticos, a economia, o associativismo, o social, o ambiente, a educação, a saúde e o património.

O que se pretende com CarregosaVIVA ® é focar a atração deste território na sua história e nas suas tradições, para que, a almejada “fortuna” que possa existir no fim do arco-íris, se projete no Povo Carregosense e no crescimento da freguesia.

CarregosaVIVA ® pretende-se de TODOS, independente de ciclos políticos e de caprichos pessoais momentâneos.

Lugares da FreguesiaEditar

  • Arrifaninha
  • Azagães
  • Barreiro
  • Borralhais
  • Calvário
  • Cardeal
  • Carregosa de Baixo
  • Carregosa de Cima
  • Cavadinha
  • Chão da Silva
  • Costeira de Cima
  • Costeira
  • Currais
  • Fontanheira
  • Igreja
  • Insua
  • Lomba
  • Perrinho
  • Póvoa
  • Presigo
  • Seada
  • Serrado
  • Silvares
  • Teamonde
  • Vacaria
  • Viso

ToponímiaEditar

A freguesia de Carregosa foi elevada a Vila a 13 de julho de 1990. Carregosa é um topónimo que tem origens diversas segundo alguns estudiosos. Pedro Augusto Ferreira, na sua “Tentativa Etimológica – Toponímia” vol. III pág. 417, diz que a palavra “carregosa”, bem como a palavra “carregal” derivam do latim “carrega”, planta de chãos apaulados. Rosa Viterbo no “Dicionário Portátil” define “carrega” como uma espécie de palha, ervanço ou colmo palustre. O Conselheiro Tavares da Costa, no “Achegas para um futuro complemento dos Anais do Município de Oliveira de Azeméis”, põe em causa Carregosa ter sido Zamoza. Ricardo Stocker, num estudo no “Regional”, defende a origem como sendo de “Carregas”, pois era uma zona de matas pertença do Castelo da Feira, onde teria existido um engenho para os carregamentos de madeira, daí Carregosa de Baixo e Carregosa de Cima. O Dr. Maurício Fernandes, no seu “Guia do concelho de Oliveira de Azeméis”, diz que o topónimo é proveniente de “Carrago”, sinónimo de arraial bélico, cercado de carros carregados de armas e munições. Esta hipótese é apoiada pelas pesquisas e registos históricos que levam a concluir que se travou aqui uma importante batalha entre cristãos e islâmicos (1035).

 
Mapa Arruamento da Freguesia de Carregosa

Esta freguesia, com cerca de 4000 habitantes e 14 km2, apesar dos grandes recursos naturais, tem visto na indústria o seu grande motor de progresso.

É uma povoação carregada de história como demonstra a antiguidade de alguns dos seus topónimos (Arrifaninha, Currais, Vacaria, Ínsua, Lomba, Azagães ou Teamonde).

A toponímia da freguesia foi aprovada na Assembleia de Freguesia de 01.07.1993, tendo tido por base um trabalho coletivo no sentido de realçar esta antiguidade histórica e a nobreza do seu povo.

HistóriaEditar

O povoamento de Carregosa remonta aos tempos pré-históricos. A existência de uma mamoa referida nas Inquirições de D. Afonso III, prova o povoamento desta terra pelos Celtas. Por aqui terão passado também os romanos, como testemunham os topónimos “villa de Zagães” e vários “casalia” que aquelas Inquisições também documentam.

O topónimo Teamonde, que o alemão Joseph Piel inclui nos nomes germanos da toponímia portuguesa, vem comprovar a fixação nesta região dos povos bárbaros que invadiram a Península Ibérica, após a queda do Império Romano do Ocidente, em 476.

O documento escrito mais antigo sobre Carregosa é anterior à fundação da Nacionalidade portuguesa e trata-se de uma escritura de doação referida ao livro Preto da Sé de Coimbra e transladada por Alexandre Herculano no Portugaliae Monumenta Histórica. Nesse documento, datado de 922, o rei Ordonho doa ao Bispo Gonçalo e ao Mosteiro de Crestuma bens no lugar de Teamonde.

Administrativamente, Carregosa foi do termo da Feira, comarca de Esgueira e depois comarca da Feira. Actualmente, pertence ao Município e comarca de Oliveira de Azeméis, tendo sido elevada a vila em 13 de Julho de 1990.

Esta vila, plantada num ameno e fértil vale regado pelo rio Antuã, mantém ainda um vasto património edificado e cultural. Aqui abundam as capelas, os cruzeiros e as quintas. As Capelas de Nossa Senhora da Ribeira, de Nossa Senhora da Guia, de Azagães e de Santo António; as Quintas de Santo António, do Padre Aguiar, da Costeira e da Póvoa e a Casa do Souto de Ínsua; os Cruzeiros de Teamonde, de Azagães e da Igreja.

Mas o que distingue e credencia esta freguesia é, sem dúvida, o seu original Santuário de Nossa Senhora de Lourdes, situado no Parque da Quinta da Costeira, o primeiro consagrado a Nossa Senhora de Lourdes, em Portugal.

Obra da autoria do Bispo-Conde de Coimbra, D. Manuel Correia de Bastos Pina e de seu irmão, o conselheiro António Maria Correia Bastos Pina, foi inaugurado em Agosto de 1902, tendo os trabalhos de construção sido iniciados em Março de 1898. Com a preocupação de sugestionar longinquamente o santuário pirenaico, esta é uma obra imaginosa e agradável, bem enquadrada no seu meio.

A Casa do Souto de Ínsua, actualmente casa de campo, merece uma especial referência, dado que é a única unidade de Turismo no Espaço Rural do Município de Oliveira de Azeméis. Esta casa, construída nos princípios do século XVIII teve ampliações posteriores.

A Quinta da Póvoa, outra referência histórica e patrimonial desta freguesia, conserva ainda o antigo carácter do portão da Quinta, de meados do século XVIII, sendo este uma obra rara na zona.

A. Costa, no seu Dicionário Corográfico, refere, de facto, que aqui existiu "uma excelente fábrica de papel, com motor hidráulico, no lugar da Póvoa". E esclarece que esta fábrica, fundada em 1858, pertencia ao Morgado da Póvoa, produzia anualmente "3 contos de réis de papel", e que obtivera uma menção honrosa na Exposição Industrial Portuense de 1861.

A indústria da região baseia-se na metalurgia e é de salientar que nesta terra nasceu a arte de latoaria, que veio mais tarde a expandir-se para Vale de Cambra, Município limítrofe, e Cesar, freguesia vizinha.

Monumento aos CombatentesEditar

Inaugurado em 13 de julho de 2019, o Monumento aos Combatentes, localizado na Praça a Sul do Edf. da Junta de Freguesia, concebido pelo Gabinete de Design da Imago Publicidade, lda, é uma obra singela, evocativa do patriotismo, da fé e da coragem dos Carregosenses que, em momentos de guerra, combateram em defesa da Pátria.

“Muitos foram… Todos voltaram”, é a lembrança que se pretende evidenciar, porque dos muitos que foram, todos voltaram, não havendo baixas entre os combatentes naturais desta Freguesia, em todas as guerras em que há memória de terem combatido carregosenses, realçando-se ser conhecida a participação de naturais desta freguesia ao tempo da Guerra da Restauração de 1640. Apesar das mazelas, quer físicas, quer psicológicas, que alguns carregaram no regresso, "Muitos foram... Todos voltaram".

A obra escultórica alude a uma passagem para um mundo diferente, “o mundo da guerra e dos campos de batalha”.

Uma passagem por onde muitos foram…

Uma passagem por onde todos voltaram.

Este monumento, além da evocação histórica ao patriotismo dos Carregosenses, que partiram para o combate em tempo de guerra, é também o reconhecimento pelos sacrifícios por que passaram em nome da Pátria.

Certos que, jamais se apagará da sua lembrança, o medo que ninguém quer ver, ou alguém lhes devolverá, a vida que queriam viver, este monumento simboliza um pedaço de cada um dos Combatentes desta Freguesia, uma “passagem” que eterniza a nobreza da sua abnegação pela Pátria e pelo Povo de Carregosa.

PopulaçãoEditar

População da freguesia de Carregosa (1864 – 2011) [3]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
1.438 1.485 1.503 1.560 1.774 1.827 1.976 2.124 2.340 2.535 2.603 3.084 3.544 3.552 3.419

Por decreto de 21/11/1895 foi-lhe anexada a freguesia de Vila Cova de Perrinho, do concelho de Vale de Cambra. Por alvará de 21/02/1903 foi desanexada desta freguesia a de Vila Cova de Perrinho.

Notáveis CarregosensesEditar

  • Fernando Pinho Teixeira - empresário de renome nacional, Presidente do Conselho de Administração do Grupo Ferpinta
  • D. Manuel Correia de Bastos Pina - Foi Bispo de Coimbra e conde de Arganil. Foi padrinho de nascimento do Rei D. Manuel II, último rei de Portugal.
  • D.ª Eduarda Elisa de Sousa Vasques
  • Eng. Vicente Carlos Sousa Brandão-Cristalógrafo e Mineralogista
  • Padre Allyrio de Mello
  • Padre Joaquim Baptista Aguiar
  • Abel Pêra, nascido em Carregosa a 16 de novembro de 1891, faleceu com 84 anos na cidade do Rio de Janeiro, Brasil, em 1975.
  • Manuel Maria Soares Pêra, irmão de Abel Pêra, ator, pai das atrizes Marília Pera e Sandra Pêra
  • José Valente Aguiar (O Marinheiro)
  • Conselheiro Manuel Joaquim Tavares da Costa
  • Augusto Pereira dos Santos
  • José Soares Sandiães, mais conhecido como Zé das Ovelhas, cantador popular

PatrimónioEditar

  • Edf. Junta de Freguesia e Auditório D. Melo
  • Praça Comendador Fernando Pinho Teixeira
  • Monumento aos Combatentes
  • Casa Eduarda Vasques
  • Igreja Matriz
  • Capelas de S. António (Silvares e Currais)
  • Capela de S. Miguel (Azagães)
  • Capela de Nossa Senhora da Ribeira (Teamonde)
  • Capela de Nossa Senhora Auxiliadora (Ínsua)
  • Cruzeiros de Carregosa, Silvares, Teamonde e Azagães
  • Quinta da Costeira, Parque e Capela de Nossa Senhora de Lourdes
  • Quinta da Póvoa
  • Quinta do Padre Joaquim Baptista Aguiar e Capela de Nossa Senhora da Guia
  • Casa do Souto de Ínsua

Associações de caráter Cultural, Recreativo, Desportivo, Social e AmbientalEditar

Referências

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.