Carucango

Carucango (Moçambique, século XVIII - Conceição de Macabu ou Macaé, 01 de abril de 1831[1]) foi escravo e líder de um dos maiores quilombos do Estado do Rio de Janeiro.. O nome é muitas vezes grafado como Carocango ou Querucango. Carucango é homenageado em Conceição de Macabu com nome de localidade, rio e serra [nota 1]. Em Macaé seu nome batiza uma rua.



Nome de batismo cristãoEditar

Os escravos que chegavam nas Américas vindos da África, eram batizados com sobrenomes associados ao local de origem no continente africano[2]. Carucango, chegando ao porto de Macaé, Estado do Rio de Janeiro, foi batizado e recebeu o nome de Antônio e sobrenome Moçambique – Antônio Moçambique.[3]

BiografiaEditar

Foi um escravo baixo, corcunda, manco da perna esquerda, conhecido por seus dotes de líder espiritual, ou nos dizeres da época: feiticeiro[4]. Nasceu em Moçambique[5] e foi levado já adulto como escravo para Macaé[6]. Foi vendido a Francisco Gomes Pinto[7], fazendeiro da Freguesia de Nossa Senhora das Neves e Santa Rita. Carucango não aprendeu português, nem abandonou suas crenças religiosas. Estabeleceu liderança sobre os outros escravos da fazenda e organizou uma fuga[8].

Os escravos fundaram o denominado Quilombo do Carucango nas montanhas da Serra do Deitado[9]. O quilombo foi destruído e Carucango foi linchado ao ser capturado. O seu corpo foi retalhado, seus membros e tronco exibido nas fazendas e na Freguesia das Neves[10]. A cabeça foi espetada numa lança e colocada na estrada de Farumbongo, a maior movimento da região, onde permaneceu até decompor-se por completo[11].

A Lança do QuilomboEditar

Em 1990 durante um desmatamento na localidade do Carucango em Conceição de Macabu, foi encontrada uma ponta de lança feita de ferro e bronze de quase 60 centímetros com um formato peculiar. Na opinião da Dra. Marta Heloísa Leuba Salum, especialista em Cultura Africana da USP, a ponta de lança tem um formato típico da cultura basongue, habitantes do sudeste da República Democrática do Congo. De acordo com a Dra. Salum tem-se conhecimento de métodos de fabrico de obetos de metal na África Central desde o Século XVIII. A ponta de lança foi tema de um programa da History Channel, Detetives da História[12][13].

Notas

  1. Rio Carucango, Serra do Carucango, Localidade do Carucango

Referências

  1. Livro 01- B - Registro de Óbitos de Dois Escravos que Lutaram no Quilombo ao Pé do Rio Macabu, do Registro de Óbitos da Paróquia de Nossa Senhora das Neves e Santa Rita (1809 a 1847) de óbitos dos anos de 1809 a 1847.pág. 109 v e 110.
  2. RODRIGUES, Cláudia; FRANCO, Maria da C. V. Notas sobre a presença e a atuação da Igreja Católica na Antiga Macaé. In: AMANTINO, Márcia; RODRIGUES, Cláudia; ENGEMAN, Carlos; FREIRE, Jonis (orgs). Povoamento, Catolicismo e Escravidão na Antiga Macaé (séculos XVII ao XIX). Rio de Janeiro: Apicuri, 2011.
  3. AUTO DE DEVASSA A QUE MANDOU PROCEDER O JUIZ PELO CAPITÃO JOAQUIM ALVES DE BRITO PELA MORTE DE SEBASTIÃO JOSÉ PACHECO E FRANCISCO JOSÉ PINTO CUNHA, Nº 32, FOLHAS 01-34.
  4. VASCONCELLOS, Antão de. Evocações – Crimes Célebres em Macaé. Rio de Janeiro: B. Aguilla Editora, 1911.p.47
  5. VASCONCELLOS, Antão de. Evocações – Crimes Célebres em Macaé. Rio de Janeiro: B. Aguilla Editora, 1911.p.48
  6. VASCONCELLOS, Antão de. Evocações – Crimes Célebres em Macaé. Rio de Janeiro: B. Aguilla Editora, 1911.p.46
  7. AUTO DE DEVASSA A QUE MANDOU PROCEDER O JUIZ PELO CAPITÃO JOAQUIM ALVES DE BRITO PELA MORTE DE SEBASTIÃO JOSÉ PACHECO E FRANCISCO JOSÉ PINTO CUNHA, Nº 32, FOLHAS 01-34.
  8. VASCONCELLOS, Antão de. Evocações – Crimes Célebres em Macaé. Rio de Janeiro: B. Aguilla Editora, 1911.p.50
  9. GOMES, Marcelo Abreu. ABC de Macabu - Dicionário de topônimos e curiosidades. Conceição de Macabu, Gráfica Macuco, 2004.p.55
  10. VASCONCELLOS, Antão de. Evocações – Crimes Célebres em Macaé. Rio de Janeiro: B. Aguilla Editora, 1911.p.60.
  11. VASCONCELLOS, Antão de. Evocações – Crimes Célebres em Macaé. Rio de Janeiro: B. Aguilla Editora, 1911.p.61
  12. DETETIVES DA HISTÓRIA – A LANÇA DO QUILOMBO – The History Channel, 18 de julho de 2006.
  13. https://www.youtube.com/watch?v=h6mOF5eCAbc&t=1456s

BibliografiaEditar

  • GOMES, Marcelo Abreu. ABC de Macabu - Dicionário de topônimos e curiosidades. Conceição de Macabu, Gráfica Macuco, 2004.
  • GOMES, Marcelo Abreu. Macabu - a história até 1900. Conceição de Macabu, Gráfica Macuco, 1997.
  • TAVARES, Godofredo Guimarães. Imagens da Nossa Terra. Prymil, 2002.
  • AUTO DE DEVASSA A QUE MANDOU PROCEDER O JUIZ PELO CAPITÃO JOAQUIM ALVES DE BRITO PELA MORTE DE SEBASTIÃO JOSÉ PACHECO E FRANCISCO JOSÉ PINTO CUNHA, Nº 32, FOLHAS 01-34.
  • RODRIGUES, Cláudia; FRANCO, Maria da C. V. Notas sobre a presença e a atuação da Igreja Católica na Antiga Macaé. In: AMANTINO, Márcia; RODRIGUES, Cláudia; ENGEMAN, Carlos; FREIRE, Jonis (orgs). Povoamento, Catolicismo e Escravidão na Antiga Macaé (séculos XVII ao XIX). Rio de Janeiro: Apicuri, 2011.
  • SILVA, Herculano Gomes da; GOMES, Marcelo Abreu. Macabu: a história até 1900. Conceição de Macabu: Gráfica Macuco, 1997. p. 58.
  • SILVA, José Carneiro da. Memória sobre a abertura de um canal para facilitar a comunicação entre a cidade de Campos e a Villa de São João de Macahé. 1836.
  • VASCONCELLOS, Antão de. Evocações – Crimes Célebres em Macaé. Rio de Janeiro: B. Aguilla Editora, 1911.