Abrir menu principal

Castelo de Valença

castelo medieval em Valença que foi demolido para construção de uma fortaleza no século XVII
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Camera-photo.svg
Ajude a melhorar este artigo sobre Arquitetura ilustrando-o com uma imagem. Consulte Política de imagens e Como usar imagens.
Castelo de Valença
Mapa de Portugal - Distritos plain.png
Construção ()
Estilo
Conservação
Homologação
(IGESPAR)
N/D
Aberto ao público

O Castelo de Valença localiza-se na povoação, Freguesia e Concelho de mesmo nome, Distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

No extremo Norte do país, em posição dominante sobre a margem esquerda do rio Minho, fronteira a Tui, controlava o principal ponto de travessia daquele rio, entre o Minho e a Galiza.

Índice

HistóriaEditar

AntecedentesEditar

Acredita-se que a primitiva ocupação deste sítio remonte à Invasão romana da Península Ibérica.

O castelo medievalEditar

A actual povoação remonta ao reinado de D. Sancho I (1185-1211), que a entregou a Paio Carramundo, com a obrigação de a povoar e organizar. Este fez erguer um reduto para a defesa do núcleo nascente, sucessivamente reformado e ampliado ao longo dos séculos.

Recebeu Carta de Foral em 1217, passando a vila, época em que se acredita que as suas muralhas estivessem concluídas. Posteriormente, em 1262, o rei D. Afonso III (1248-1279) determinou uma grande ampliação nas defesas da vila, cujas muralhas passaram a abraçar toda a povoação.

À época do reinado de D. Afonso V (1438-1481), o nome da vila foi alterado de Contrasta ("a que fica em frente") para Valença ("a valente").

Sob o reinado de D. Manuel I (1495-1521) a povoação e o seu castelo encontram-se figurados por Duarte de Armas (Livro das Fortalezas, c. 1509), onde se descortina a vila cintada por muralhas, defesa complementada por barbacãs e uma couraça.

A Guerra da Restauração e a Praça-forte de ValençaEditar

 Ver artigo principal: Praça-forte de Valença

No contexto da Guerra da Restauração da independência de Portugal, a posição de Valença readquiriu importância estratégica. Desse modo, uma nova etapa construtiva teve lugar, demolindo-se para esse fim a antiga cerca medieval, reaproveitando-se a sua pedra para erguer baluartes adaptados à então moderna artilharia.

CaracterísticasEditar

Os vestígios que ainda subsistem do castelo medieval remontam às ampliações de D. Afonso III:

  • a Porta do Açougue, a norte, ainda ostenta um escudo medieval na pedra de fecho;
  • a Porta da Gambiarra, a leste, que comunicava para a zona ribeirinha e para a barca que fazia a travessia do rio Minho constituía a entrada principal da fortificação, era ladeada por duas imponentes torres de planta quadrangular.

Ligações externasEditar