Abrir menu principal

Castro Menezes

Poeta, escritor e jornalista brasileiro
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Castro Menezes
Retrato de Castro Menezes, por Décio Villarez.
Nome completo Álvaro Sá de Castro Menezes
Nascimento 3 de junho de 1883
Niterói, Rio de Janeiro
Morte 7 de março de 1920 (36 anos)
Rio de Janeiro, Distrito Federal
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Progenitores Mãe: Brittes Maria de Castro Menezes
Pai: CC Frederico de Castro Menezes
Ocupação Poeta, escritor, jornalista, promotor de justiça, juiz, lente (professor catedrático)
Prêmios Patrono da Academia Fluminense de Letras (Cadeira nº 14)
Magnum opus Mythos

Álvaro Sá de Castro Menezes (Niterói, 3 de junho de 1883Rio de Janeiro, 7 de março de 1920) foi um poeta, escritor, jornalista, promotor público, juiz e lente (professor catedrático) de Economia Rural e Estatística da antiga Escola Superior de Agricultura (atualmente Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro).

Foi um dos grandes expoentes do Simbolismo no Brasil[1][2], patrono[3] da cadeira nº 14 da Academia Fluminense de Letras. Influenciou toda uma geração de poetas e escritores brasileiros, como Manuel Bandeira[4], Coelho Neto, Catulo da Paixão Cearense, Gilka Machado, Humberto de Campos, Antonio Joaquim Pereira da Silva, Herbert Moses, entre outros.[5]

Capa da Edição nº 41, Ano V da Revista Souza Cruz, homenageando o poeta Castro Menezes, falecido no mês anterior

Índice

ObraEditar

PoesiaEditar

  • Mythos - (Poesias) - 1898 (esgotado)
  • Estrada de Damasco - 1922 - Ed. Póstuma
 
Ex-Líbris de Castro Menezes

ProsaEditar

  • Quadros da Guerra - 1916 (esgotado)
  • O Problema Econômico e Financeiro do Brasil
  • O Algodão nos Estados Unidos - 1917
  • O Futuro Econômico do Brasil
  • O Jardim de Heloisa - 1919[6]


Referências

  1. «Cruz e Sousa - o eterno simbolista». Recanto das Letras. Consultado em 25 de janeiro de 2019 
  2. BANDEIRA, Manuel (2009). Poesia Completa e Prosa 5ª ed. Rio de Janeiro: Nova Aguilar. pp. 438, 439 
  3. «acadfluletras | PATRONOS». Academia Fluminense de Letras. Consultado em 25 de janeiro de 2019 
  4. «Cruz e Sousa - o eterno simbolista». Recanto das Letras. Consultado em 25 de janeiro de 2019 
  5. MENEZES, Castro (1922) [1920]. Biografia in Estrada de Damasco. Biografia escrita por Pereira da Silva in Estrada de Damasco. Rio de Janeiro: Jacintho Ribeiro dos Santos. pp. 281 a 284 
  6. CAMPOS, Humberto (15 de março de 1942). «Castro Menezes» (PDF). Autores e Livros - Suplemento Literário de "A Manhã" - Publicado semanalmente sobre a direção de Múcio Leão (da Academia Brasileira de Letras). Consultado em 27 de janeiro de 2019