Cesar (Portugal)

vila e freguesia do município de Oliveira de Azeméis, Portugal
(Redirecionado de Cesar (Oliveira de Azeméis))

Cesar é uma vila portuguesa sede da Freguesia de Cesar do Município de Oliveira de Azeméis, freguesia com 5,43 km² de área[1] e 3072 habitantes (censo de 2021)[2], tendo, por isso, uma densidade populacional de 565,7 hab./km².

Portugal Portugal Cesar 
  Freguesia  
Sede da Junta de Freguesia - Centro Cívico Justino Portal (1914)
Sede da Junta de Freguesia - Centro Cívico Justino Portal (1914)
Sede da Junta de Freguesia - Centro Cívico Justino Portal (1914)
Gentílico Cesarense
Localização
Cesar está localizado em: Portugal Continental
Cesar
Localização de Cesar em Portugal
Coordenadas 40° 55' N 8° 26' O
Região Norte
Sub-região Área Metropolitana do Porto
Distrito Aveiro
Município Oliveira de Azeméis
Código 011302
História
Fundação Império Romano (origem anterior)
Administração
Tipo Junta de freguesia
Características geográficas
Área total 5,43 km²
População total (2021) 3 072 hab.
Densidade 565,7 hab./km²
Código postal 3700
Igreja Matriz e Pelourinho datado de 1862
Entrada da "Quinta do Outeiro" com a capela do século XVII praticamente arruinada
Casa de 1912 construída por César Jorge e vulgarmente chamada de "Casa do Monte"
Quinta Verde - Construída por Isaura Branco. O portão (não visível) tem a forma de uma borboleta ao gosto arte nova
Casa datando de 1909 vulgarmente conhecida por Casa Azul
Vestígio de construção no Castro Calbo

A povoação de Cesar foi elevada à categoria de vila em 13 de julho de 1990.[3]

História editar

Cesar nasceu na base do monte Calbo, serra onde existiu até à Baixa Idade Média um importante castro, o Castro Calbo.

Nesta região estabeleceu-se a capital do povo Lusitano "terduli-veteres".

Com as invasões romanas, nomeadamente após o consulado de Caio Júlio César, que viria a ser ditador de Roma, e que aqui esteve como governador da "Ulterior" no século I a.C., todo o norte de Portugal foi ocupado e pacificadas as cidades dos lusitanos, incluindo o Castro Calbo, Castro de Romariz, etc.

Apesar de tudo o Castro Calbo terá mantido a sua importância pelo menos até à reconquista em 1035 por Bermudo III pois há fontes que referem a sua utilização até essa data e posterior, provavelmente em virtude do retrocesso das "Villae" que se deu com o início do processo de reconquista por Afonso I e que levou ao despovoamento das estruturas sociais estabelecidas, à desorganização social e o retorno aos "castros" como forma da população se proteger das pilhagens que estiveram associadas ao período deste Rei e dos seguintes até à pacificação ulterior do território.

Em Cesar a ocupação romana terá sido feita na planície que hoje é realmente habitada, visto o castro estar totalmente soterrado, senão mesmo destruído.

Os topónimos actuais – Vilarinho e Cimo de Vila – provavelmente indicam as possíveis localizações das primeiras vilas romanas e onde se terão estabelecido, pois estes topónimos estão quase sempre relacionados com a ocupação romana.

Aliás, o lugar de Cimo de Vila foi o centro de Cesar até que, com a destruição da igreja original, uma das mais antigas da região e que estava em Cimo de Vila no campo de Carregais (hoje Casa Azul), e com a construção das duas sucessivas igrejas, primeiro abadia e depois a actual igreja, se iniciou a descentralização do foco populacional.

Demografia editar

A população registada nos censos foi:[2]

População da freguesia de Cesar[4]
AnoPop.±%
1864 835—    
1878 810−3.0%
1890 703−13.2%
1900 812+15.5%
1911 991+22.0%
1920 1 057+6.7%
1930 1 154+9.2%
1940 1 276+10.6%
1950 1 415+10.9%
1960 1 692+19.6%
1970 2 107+24.5%
1981 2 529+20.0%
1991 2 739+8.3%
2001 3 288+20.0%
2011 3 166−3.7%
2021 3 072−3.0%
Distribuição da População por Grupos Etários[5]
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 588 521 1794 385
2011 487 339 1843 497
2021 382 342 1716 632

Economia editar

Atualmente Cesar é um importante centro industrial, predominando a indústria da louça de alumínio e aço inoxidável, dos moldes e calçado. Estão sediadas na vila de Cesar as empresas: - Combinação Equilibrada (PUBLICIDADE), Afer, Eumel, Silampos [1], Sonecol, S.A.,Ibotec, Fersil, Irmãos Azevedo, Celar, MYX Design www.myxdesign.com, Dias Verdes (Green Days) entre outras.

Em Cesar encontra-se uma das mais puras e ricas jazidas de caulino, havendo também zonas ricas em quartzo de grande pureza.

Festas e feiras editar

  • A vila de Cesar é visitada por dezenas de milhares de pessoas na altura das Festas Grandes, na primeira semana de Julho, em honra de São Pedro, do Mártir São Sebastião e de Nossa Senhora da Graça. Nesta ocasião organiza-se uma procissão religiosa, acompanhada por diversas bandas de música assim como uma festa profana com diversas diversões.
  • Todos os meses (dia 18) realiza-se uma das mais importantes feiras da região, tendo já tradição secular.
  • No início do ano realiza-se no centro da vila a Prova de Atletismo de Cesar, organizada pela Villa Cesari e com apoio técnico da Lap2Go.

Coletividades e associações editar

Património editar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Cesar (Portugal)

Referências

  1. «Carta Administrativa Oficial de Portugal CAOP 2013». descarrega ficheiro zip/Excel. IGP Instituto Geográfico Português. Consultado em 10 de dezembro de 2013. Arquivado do original em 9 de dezembro de 2013 
  2. a b Instituto Nacional de Estatística (23 de novembro de 2022). «Censos 2021 - resultados definitivos» 
  3. «Lei n.º 34/93, de 2 de julho». diariodarepublica.pt. Consultado em 4 de dezembro de 2023 
  4. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  5. INE. «Censos 2011». Consultado em 11 de dezembro de 2022 
  Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.