Ciclo-hexilamina

composto químico
Ciclo-hexilamina
Alerta sobre risco à saúde[1]
Cyclohexylamine-2D-skeletal.png
Cyclohexylamine-side-3D-balls.png
Nome IUPAC Cyclohexanamine
Outros nomes Aminociclohexano
Aminohexahidrobenzeno
Hexahidroanilina
Identificadores
Número CAS 108-91-8
PubChem 7965
Número EINECS 203-629-0
Número RTECS GX0700000
SMILES
Propriedades
Fórmula química C6H13N
Massa molar 99.17 g mol-1
Aparência líquido claro a amarelado
Densidade 0.8647
Ponto de fusão

-17.7 °C, 255 K, 0 °F

Ponto de ebulição

134.5 °C, 408 K, 274 °F

Solubilidade em água Miscível
Riscos associados
Frases S S36 S37 S39
Frases R/S R21 R23 R25 R36 R37 R38 R41
Ponto de fulgor 28.6 °C
Compostos relacionados
Outros aniões/ânions Ciclo-hexanol
Aminas relacionados Ciclopentilamina
Hexilamina
Dicicloexilamina
Ciclo-heptilamina
Compostos relacionados Anilina (fenilamina)
Ciclamato (cicloexilsulfamato)
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

A ciclo-hexilamina (ou cicloexilamina), também chamado hexa-hidroanilina, 1-aminociclo-hexano, ou amino-hexa-hidrobenzeno, é um composto orgânico, uma amina derivada do ciclo-hexano.

É um líquido claro a amarelado, com odor de peixe, ponto de fusão de —17,7°C e ponto de ebulição de 134,5°C, miscível com água. Como outras aminas, é medianamente alcalina, comparada a bases fortes tais como o NaOH, mas é uma é uma base mais forte que sua correspondente aromática, a anilina, a qual difere somente em que seu anel é aromático. É inflamável, com ponto de fulgor a 28,6°C. Misturas explosivas com o ar podem ser formadas acima de 26°C. É tóxica por inalação e ingestão; a inalação por si pode ser fatal. É facilmente absorvível pela pele, à qual irrita. É corrosiva. A ciclo-hexilamina é listada como uma substância extremamente perigosa.

A ciclo-hexalamina é usada como um intermediário em síntese de alguns herbicidas, antioxidantes, aceleradores para vulcanização, fármacos (por exemplo, mucolíticos, analgésicos, broncodilatadores, inibidores de corrosão, alguns adoçantes (notadamente os ciclamatos), etc.

Referências

  1. Merck Index, 11th Edition, 2735.