Cine Bijou-Theatre

Cine Bijou-Theatre foi a primeira sala de cinema da cidade de São Paulo. Fundada em 1907 pelos empresários Francisco Serrador e Antônio Gadotti, proprietários da empresa Richebourg, o local se tornou ponto de encontro da alta sociedade paulistana.[1][2][3]

FundaçãoEditar

O Cine Bijou-Theatre foi a primeira sala de cinema paulistana, aberta ao público em 16 de novembro de 1907. Alguns teatros e salões faziam exibições de filmes, mas nenhum deles se dedicava exclusivamente à projeção cinematográfica, eram espaços arrendados por ambulantes.[2][4] Estava localizada na rua São João (atual Av. São João), em terreno arrendado da Companhia Antárctica,[1] e tinha capacidade para 400 pessoas. Anteriormente, no mesmo endereço, funcionava um boliche, inaugurado em 1898, que se transformou em teatro anos depois, chamado Eden Theatro.[3]

O antigo teatro foi adaptado para se transformar em cinema pelos empresários Francisco Serrador e Antônio Gadotti, em seu interior existia um pequeno bar.[3] Foi ampliado em seu tamanho para oferecer capacidade de 800 pessoas, mas sua duração foi curta, pois em 1914 o cinema foi demolido para a reforma do Vale do Anhangabaú e da Av. São João.[3]

O empreendimento tornou Francisco Serrador em um empresário do setor do entretenimento, que chegou a ter 35 unidades.[3]

ExibiçõesEditar

Os filmes exibidos vinham, em sua maioria, da Europa, e uma pequena parte dos Estados Unidos, tinham curta duração, de geralmente 10 minutos. As sessões costumavam ter 5 filmes na sequência. No momento da exibição, uma banda composta por 6 membros executava a trilha sonora ao vivo.[3][1] De segunda a sexta o cinema iniciava a sessão às 18h30, e de domingo em dois horários, às 13h30 e 19h30.[4]

Referências

  1. a b c «Como uma cervejaria influenciou o urbanismo de São Paulo». Terra. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  2. a b «Bijou foi o primeiro cinema da cidade». Estado de S. Paulo. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  3. a b c d e f «A Primeira Sala de Cinema de São Paulo – O Bijou-Theatre». São Paulo in foco. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  4. a b «Cine Recriarte Bijou». Veja. Consultado em 11 de agosto de 2020