Citologia em base líquida

Citologia é um método em citologia que apresenta vantagens em relação aos métodos convencionais. Seu surgimento se deu visando atender ao tratamento computadorizado das amostras e suas análises, na leitura das lâminas. O objetivo era uma preparação que apresentasse o mínimo número de sobreposições e objetos não necessários ao diagnóstico no conjunto de células em análise. Foram a princípio, por este motivo, chamados de citologia de monocamada ou camada fina.[1][2]

É realizado sem a produção de esfregaços desidratados e fixados e destina-se a citologia e histologia de aplicação em medicina, no diagnósticos laboratorial de patologias em diversos tecidos.[3]

Apresenta um conjunto de vantagens comparado com os métodos convencionais. Permite a melhor diusposição das células analisadas, propiciando melhor interpretação do quadro, propicia redução da presença de mucos, exsudatos inflamatórios e hemáceas. Permite a divisão da amostra em lâminas adicionais sem a necessidade de nova coleta de material. Permite a utilização de resíduos para testes por biologia molecular de vírus, como o HPV,[4][5] e de diversos outros organismos patogênicos ou associados. Para diversas aplicações, como a citopatologia, permite uma detecção mais precisa de lesões, quando comparado com o método clássico, como no Papanicolau, na citologia cervical.[6] Apresenta também menor produção de amostras limitadas ou inadequadas ao diagnóstico.

Ver tambémEditar

Referências

  1. Velasco J Citología Líquida. VPH Hoje. 1: 8-9, 2001
  2. Takahashi M; Naito M. Application of the cytorich monolayer preparation system for cervical cytology: a prelude to automated primary screening. Acta Cytol; 41:1785-1789, 1997.
  3. Sonia M. M. PEREIRA; Avaliação da celularidade citológica em preparados de base líqüida; Rev. Inst. Adolfo Lutz, 62(1): 35 - 39,2003 Arquivado em 23 de março de 2005, no Wayback Machine.
  4. Gupta PK et al. Processing liquid-based gynecologic specimens; comparison of the available techniques. Acta Cytol ; 45: 995-998, 2001.
  5. Bernstein SJ.; Sanchez-ramos L.; Ndubisi B. Liquid – based cervical cytologic smear study and conventional Papanicolaou smears: A metaanalysis of prospective studies comparing cytologic diagnosis and sample adequacy. Am J Obstet Gynecol ; 185: 308-17, 2001.
  6. Solomon D et al. The 2001 Bethesda System: Terminology for reporting results of cervical cytology. JAMA; 287(16), 2002.
  Este artigo sobre medicina é um esboço relacionado ao Projeto Saúde. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.