Abrir menu principal
Companhia das Naus
Tipo Associação
Fundação 1380
Propósito Reembolsamento para proprietários de navios mercantes portugueses sinistrados
Sede
Línguas oficiais Português
Filiação Coroa Portuguesa
Executores Lopo Martins e Gonçalo Peres Canellas
Organização D. Fernando I (fundador)

A Companhia das Naus foi uma associação mutualista portuguesa. A sua instituição constituiu uma importante medida que se revelaria precursora da expansão ultramarina portuguesa.

HistóriaEditar

Foi instituída por Fernando I de Portugal em 1380 .

Funcionava como uma espécie de companhia de seguros, proporcionando aos proprietários de navios uma certa segurança em caso de sinistro e fomentando, assim, o desenvolvimento da marinha portuguesa.

Todos os navios de peso superior a cinquenta tonéis tinham que ser registados, pagando uma percentagem dos lucros de cada carga fretada para uma caixa comum. Estes fundos serviam não só para cobrir os prejuízos das embarcações que se afundassem ou sofressem qualquer tipo de avarias, mas também para financiar a construção de novas embarcações.

O soberano nomeou Lopo Martins e Gonçalo Peres Canellas para executores da Companhia e forneceu-lhes um escrivão que tinha como dever registar as receitas e despesas. Os fundos comuns eram conservados numa arca de três trancas (uma chave para cada executor e outra para o escrivão). Os executores eram remunerados em cinquenta libras anuais e o escrivão em trinta, dos fundos comuns da Companhia.

Ver tambémEditar

BibliografiaEditar


  Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.