Conchectomia

Detalhe cão da raça American staffordshire terrier com orelha cortada.

Conchectomia, também chamada de conchotomia, é um procedimento cirúrgico veterinário, que consiste em realizar o corte de orelhas de cães, geralmente para fins estéticos.[1] Evidências apontam que a prática do corte de orelhas em cães tenha surgido há cerca de 2000 anos[carece de fontes?] com base na estátua Jennings Dog do museu britânico e similares. A prática era originalmente realizada em grandes cães que guardavam rebanhos, e neste caso o corte servia como proteção preventiva aos cães no combate contra predadores. Esta forma de uso primitiva do corte de orelhas é vista ainda hoje em cães antigos da Ásia central, a exemplo do kangal e pastor-do-cáucaso. No século XX, contudo, no ocidente o corte de orelhas começou a ser realizado por motivos estéticos, visando as exposições de cães.[2]

ProibiçãoEditar

A conchectomia, antes realizada livremente, foi proibida no Brasil em 2008 pela resolução 877 do CFMV (Conselho Federal de Medicina Veterinária), Artigo 7º, §1º. É considerada, desde então, como mutilação de animais, juntamente com a prática do corte de cauda (caudectomia).[3][4]

Referências

  1. Edgard Morales Brito.Corte de orelha - conchectomia. dog times. Visitado em 18 de junho de 2015
  2. «Ear Cropping History - Learn the origins of ear cropping». Puppy's Place (em inglês). 9 de agosto de 2015 
  3. «RESOLUÇÃO Nº 877, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2008 - Artigo 7º; parágrafo 1º» (PDF). CFMV. Junho de 2017. Consultado em 29 de março de 2016. Arquivado do original (PDF) em 4 de março de 2016 
  4. Veterinária, Conselho Federal de Medicina. «Portal CFMV/CRMV's». portal.cfmv.gov.br. Consultado em 28 de julho de 2018 
  Este artigo sobre Medicina veterinária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.