Abrir menu principal

"Conquistador" foi a canção selecionada para representar Portugal no Festival Eurovisão da Canção 1989, interpretada em língua portuguesa pela banda Da Vinci. Foi a nona canção a ser interpretada na noite do evento, a seguir à canção norueguesa Venners nærhet, interpretada por Britt Synnøve e antes da canção sueca En Dag, interpretada por Tommy Nilsson. A canção ficou classificada em 16.º, com 39 pontos.[1]

Portugal "Conquistador"
Festival Eurovisão da Canção 1989
País
[[Portugal Portugal no Festival Eurovisão da Canção|Portugal Portugal]]
Grupo
Língua
Línguas
Compositor(es)
Letrista(s)
Maestro
Luís Duarte
Performance das finais
Resultado da final
16.º
Pontos da final
39
◄ "Voltarei" (1988)   
"Há Sempre Alguém" (1990) ►

Índice

AutoresEditar

LetraEditar

A canção fala-nos dos descobrimentos portugueses/expansão portuguesa, a aventura dos portugueses em descobrir ou achar novas terras : "Foram mil epopeias, Vidas tão cheias, Foram oceanos de amor". Faz-se referência que a expansão portuguesa não foi fruto de apenas uns aventureiros, mas de todo um povo (das várias classes sociais: clero, nobreza e povo) que se espalhou pelo mundo, deixando vestígios culturais: "Era todo um povo Guiado pelos céus Espalhou-se pelo mundo Seguindo os seus heróis E levaram a luz da cultura Semearam laços de ternura".

A vocalista da banda (Iei Or) põe-se na pele de uma conquistadora diz que já tinha ido ao Brasil, Praia (Cabo Verde), Angola, Goa, Macau e Timor (referência a Timor-Leste). Todos aqueles locais foram antigas possessões portuguesas

Referências

  1. Inês Ameixa (19 de Agosto de 2017). «Os Da Vinci navegam agora entre livros, partituras e jardinagem». Jornal Público. publico.pt. Consultado em 3 de setembro de 2018 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

  "Conquistador", canção de Portugal no Festival Eurovisão da Canção 1989.

  A Wikipédia possui o
Portal da Música
  Este artigo sobre uma canção é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.