Conservatório do Jardim do Deserto

Entrance to the Desert Garden Conservatory by Antonio H. Miguel

O Conservatório do Jardim do Deserto (em inglês: Desert Garden Conservatory) é um grande jardim botânico na The Huntington Library, em San Marino, Califórnia[1], construído em 1985. Esta grande coleção de plantas dos desertos encontra-se adjacente ao próprio Jardim do Deserto, numa área de 10 acres (40.469 metros quadrados). Abriga uma das mais importantes e diversificadas coleções de cactos e outras plantas suculentas, nos Estados Unidos, incluindo um grande número de espécies raras e ameaçadas. A estufa do Jardim do Deserto, com 300 metros quadrados, serve ao público da biblioteca Huntington e à comunidade como um mecanismo de conservação, recurso de investigação e preservação da diversidade genética. O Sr. John N. Trager é o curador da Coleção do Deserto.

Vista interior

Estima-se que existem 10.000 suculentas em todo o mundo, cerca de 1500 das quais classificadas como cactos. A Estufa do Jardim do Deserto da biblioteca Huntington reúne acima de 2.200 entradas, representando cerca de 43 famílias de plantas, 1261 espécies e subespécies diferentes, e 246 gêneros. A coleção reúne plantas de grandes regiões desérticas de todo o mundo, incluindo o sul dos Estados Unidos, Argentina, Bolívia, Chile, Brasil, Ilhas Canárias, Madagáscar, Malawi, México e África do Sul. A estufa do Jardim do Deserto desempenha um grande papel como repositório da biodiversidade, além de servir como centro de sensibilização e educação do público.

Programa de propagação para salvar plantas raras e ameaçadasEditar

Alguns estudos estimam que cerca de dois terços da flora e da fauna do mundo podem se tornar extintas durante o curso do século XXI, como resultado do aquecimento global, desenvolvimento invasor, agricultura excessiva e predatória, e uso inadequado de herbicidas. Cientistas alarmados com estas perspectivas estão se empenhando para propagar plantas fora dos seus habitats naturais, em áreas protegidas. O cultivo ex-situ, como essa prática é conhecida, pode servir como uma medida temporária para as plantas que serão perdidas no mundo, em face do desaparecimento dos seus habitats. Nesse sentido, o Huntington tem um programa para proteger e propagar espécies vegetais ameaçadas, designado Introduções Internacionais de Suculentas (ISI).

O objetivo do programa ISI é de propagar e distribuir suculentas novas ou raras para colecionadores, berçários e instituições de investigação, visando aumentar a apreciação destas notáveis plantas. O ISI distribui cerca de 40 novas variedades de suculenta todos os anos. Plantas coletadas em campo, sementes ou estacas não são vendidas; apenas mudas, estacas enraizadas e enxertos produzidos sob condições de viveiro, sem perturbação de populações selvagens.

Os híbridos SchickEditar

Os híbridos Schick[2] são essencialmente derivados de cruzamentos híbridos Paramount de Harry Johnson, criados na década de 1930 e 40, e de sucessivos cruzamentos de seus descendentes. Tal como os híbridos Paramount, os híbridos Schick podem florir várias vezes em uma temporada e, com o aumento da idade, podem produzir um maior número de flores. Em termos das condições de crescimento, no Huntington, a primeira floração ocorre tipicamente em abril, com sucessivas florações ocorrendo em maio, junho e julho, e, em alguns híbridos, até mesmo em agosto, setembro e outubro. Estes cultivares horticulturalmente significantes estão também disponíveis através do programa [ISI]do Huntington.

Imagens do interior do Conservatório do Jardim do DesertoEditar

Plantas no Conservatório do Jardim do DesertoEditar

Cactaceae

Outras famílias representadasEditar

Ligações externasEditar

  1. The Huntington Library website
  2. «ISI Schick Hybrids». Consultado em 17 de maio de 2008. Arquivado do original em 15 de maio de 2008 

Cactus and Succulent Society of America [1]

Veja tambémEditar