Conteúdo canadense

A política de conteúdo canadense (em inglês, Canadian content; em francês, Contenu cannadien) é uma política pública da Comissão de Radiodifusão e Telecomunicações Canadenses que exige que as emissoras de rádio e televisão do Canadá (incluindo canais a cabo e via satélite) transmitam uma determinada porcentagem de um produto que foi pelo menos parcialmente escrito, produzido, executado ou criado de outra forma por um canadense.[1][2]

Alguns outros países, como a Austrália, também possuem um sistema de cotas semelhante. O maior impulsionador de tal sistema no Canadá era o receio de que, sem regulamentação governamental, a cultura de massa canadense fosse absorvida pela cultura dos vizinhos Estados Unidos. Os críticos de tal política a comparam ao protecionismo.[carece de fontes?]

Referências

  1. «Broadcasting Policy for Canada». Broadcasting Act. Department of Justice Canada. Consultado em 15 de agosto de 2020 
  2. Ibbitson, John. «It's over, CRTC. Netflix and globalization have won». The Globe and Mail. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  Este artigo sobre o Canadá é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.