Abrir menu principal
Comemoração dos 189 anos da Corporação Musical Euterpe.

A Corporação Musical Euterpe (Pindamonhangaba, 22 de agosto de 1825), é uma associação de músicos que atua com uma banda sinfônica, uma camerata e projetos na área de ensino da teoria e prática musical. Fundada na cidade de Pindamonhangaba em 22 de agosto de 1825 pelo Maestro João Batista de Oliveira [1], a Corporação Musical Euterpe está em atividade desde sua fundação, sendo assim considerada a banda musical mais antiga em atividade ininterrupta do Brasil[2].

A Corporação Musical Euterpe representa um símbolo vivo da tradição de seu povo. É lembrada sempre como a mensageira da poesia do lugar onde nasceu, por meio de retretas na praça ou no caminhar garboso de seus músicos pelas ruas de Pindamonhangaba.

Sua atual sede é próxima a região central da cidade de Pindamonhangaba, na Praça Dr. Emílio Ribas, bairro São Benedito. A corporação musical que é a mais antiga do Brasil em atividade e a quarta da América, continua despertando o interesse das novas gerações para a prática da música de qualidade e esse poder de rejuvenescimento é o segredo de sua longevidade.

A Corporação Musical Euterpe declarada de utilidade pública em 1958[3], pelo então Governador do Estado de São Paulo Jânio Quadros, e incluída como Patrimônio Cultural do Município (artigo 215, inciso VI) em 1990, através de uma Lei Orgânica do Município.

HistóriaEditar

A história é rica de grandes e gloriosos momentos. Passou por vários momentos de reestruturação, com Joaquim Gomes de Araújo (avô do maestro João Gomes de Araújo) em 1848. Mais tarde, Américo José de Farias, e depois João Antonio Romão também tiveram presenças significativas na história da Corporação Musical Euterpe, nome que faz referência a deusa da música da mitologia grega.

Em 1948, Leão Borges (médico e capitão do Exército Brasileiro) reanimou os músicos ao doar novos uniformes e novos instrumentos. Em 1954, o major Mário Agnelo Lacerda (tenente na época) deu uma nova dinâmica à corporação.

A Corporação Musical Euterpe já tocou no Rio de Janeiro a convite do Imperador do Brasil D. Pedro II e para o então governador Jânio Quadros em 1958. A Corporação Musical Euterpe participou de um dos mais famosos programas de rádio que já existiu, o “Lira de Xopotó”, da extinta Rádio Nacional que tinha a sede na cidade do Rio de Janeiro, essa apresentação memorável foi no dia 7 de março de 1964.[4]

Para manter-se jovem e atraente aos novos músicos, o repertório é atualizado e adequado para seu tempo com os tradicionais dobrados, o maxixe, samba e outros ritmos da atualidade. Enquanto muitas bandas morreram, a Corporação Musical Euterpe luta para manter-se viva. Pela história que tem pra contar, sua existência é fundamental porque documentou boa parte da história e cultura de Pindamonhangaba e do Brasil.

Luta pela SobrevivênciaEditar

Seria redundante afirmar que a Corporação Musical Euterpe tem que sobreviver. Isso é fato! Missão deixada por antepassados para que as gerações futuras tenham também um comprometimento com a banda que já tocou para barões e viscondes, governadores, e até imperadores. Qual outra entidade pode ostentar tantas primazias?

E para continuar sempre jovem, atualizada, dinâmica, sobeja e orgulhosa de sua rica história, a banda conta com a união de esforços de todos os segmentos da sociedade.

A Corporação Musical Euterpe não pode mais passar por situações constrangedoras como a de não ter recursos para a renovação de instrumentos, para troca de indumentária ou falta de transporte para apresentações em outras localidades. Preparada como signatária para receber seus alunos e desenvolver-lhes o sentimento de cidadania, civismo e amor pela música, a Corporação Musical Euterpe tem condições de continuar desafiando o tempo e preenchendo os ares com suas maviosas melodias.

Projetos SociaisEditar

A Corporação Musical Euterpe tem acalentado vários projetos sociais, pois acredita-se piamente que um patrimônio como esse que representa a quase bi-centenária corporação, necessita de constante oxigenação.

Alem disso, é possível um trabalho paralelo com as comunidades, fazendo com que a criança ou o jovem sinta prazer em aprender música de qualidade, ficando assim distante do submundo que representa hoje a vida nos bairros.

Pensando assim, o ideal da Corporação Musical Euterpe é trazer para o convívio da música as crianças e adolescentes que residem em bairros de periferia, ou ainda absorver jovens músicos que se desenvolveram no Projeto Guri, mas que agora não encontram locais e oportunidades para darem continuidade a um aprendizado.

Projeto Aprendiz CMEEditar

A banda teve início em 2009 e conta com 20 alunos de idade mínima de 06 anos. O Programa Aprendiz CME , visa a inclusão social formação de novos músicos, para compor a Corporação Musical Euterpe, sempre renovando o quadro de músicos e permitindo a longevidade da quase bicentenária banda, no ano de 2018 a Corporação Musical Euterpe , executa um Projeto na Rede Municipal de Ensino que é o Projeto Musicando na Escola que atende 100 crianças de 07 aos 11 anos .

Regentes TitularesEditar

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. Tribuna do Norte. «Jornal Tribuna do Norte - Curiosidades da Euterpe (2) - A questão da data de fundação e fundador». Consultado em 25 de outubro de 2012. Arquivado do original em 20 de agosto de 2015  |wayb= e |arquivodata= redundantes (ajuda); |wayb= e |arquivourl= redundantes (ajuda)
  2. Rede Vanguarda de Televisão. «Jornal Vanguarda News - Pindamonhangaba: Banda Euterpe quer provar ser a mais antiga do Brasil». Consultado em 25 de outubro de 2012 
  3. «Plano de Trabalho - Corporação Musical Euterpe - Pindamonhangaba» (PDF). Site da Prefeitura Municipal de Pindamonhangaba. 2018. Consultado em 22 de julho de 2018 
  4. «Corporação Musical Euterpe comemora 190 anos». Prefeitura Municipal de Pindamonhangaba. 21 de agosto de 2015. Consultado em 22 de julho de 2018