Disambig grey.svg Nota: Para a peça de jogo, veja Dado (jogo). Para outros significados, veja Dado.

Na busca do conhecimento, os dados são uma coleção de valores discretos que transmitem informações, descrevendo quantidade, qualidade, fatos, estatísticas, outras unidades básicas de significado, ou simplesmente sequências de símbolos que podem ser posteriormente interpretados. Um dado é um valor individual em uma coleção de dados. Os dados geralmente são organizados em estruturas como tabelas que fornecem contexto e significado adicionais e que podem ser usados ​​como dados em estruturas maiores. Os dados podem ser usados ​​como variáveis ​​em um processo computacional.[1][2] Os dados podem representar ideias abstratas ou medidas concretas.[3] Os dados são comumente usados ​​em pesquisas científicas, finanças e em praticamente todas as outras formas de atividade organizacional humana. Exemplos de conjuntos de dados incluem preços de ações, taxas de criminalidade, taxas de desemprego, taxas de alfabetização e dados do censo. Nesse contexto, os dados representam os fatos e números brutos que podem ser usados ​​de maneira a capturar as informações úteis.

Exemplos de tipos de dados

Os dados são coletados usando técnicas como medição, observação, consulta ou análise e normalmente representados como números ou caracteres que podem ser processados ​​posteriormente. Dados de campo são dados coletados em um ambiente in situ não controlado. Dados experimentais são dados gerados no decorrer de um experimento científico controlado. Os dados são analisados ​​usando técnicas como cálculo, raciocínio, discussão, apresentação, visualização ou outras formas de pós-análise. Antes da análise, os dados brutos (ou dados não processados) são normalmente limpos: os valores atípicos são removidos e erros óbvios de entrada de dados ou instrumentos são corrigidos.

Os dados são os átomos da tomada de decisão. Como tal, os dados podem ser vistos como as menores unidades de informação factual que podem ser usadas como base para cálculo, raciocínio ou discussão. Os dados podem variar de ideias abstratas a medições concretas, incluindo, entre outros, estatísticas. Dados conectados tematicamente apresentados em algum contexto relevante podem ser vistos como informações. Informações conectadas contextualmente podem ser descritas como insights de dados ou inteligência. O estoque de insights e inteligência que se acumula ao longo do tempo, resultante da síntese de dados em informações, pode então ser descrito como conhecimento. Os dados foram descritos como "o novo petróleo da economia digital".[4][5] Dados, como conceito geral, referem-se ao fato de que alguma informação ou conhecimento existente é representado ou codificado de alguma forma adequada para melhor uso ou processamento.

Os avanços nas tecnologias de computação levaram ao advento do "Big Data". Big Data geralmente se refere a quantidades muito grandes de dados, geralmente na escala de petabytes. Usando métodos tradicionais de análise de dados e computação, trabalhar com conjuntos de dados tão grandes (e crescentes) é difícil, até mesmo impossível. Em resposta, o campo relativamente novo de "ciência de dados" usa métodos de aprendizado de máquina (e outras inteligências artificiais) que permitem para aplicações eficientes de métodos analíticos para Big Data.

Dado: à luz da Ciência da InformaçãoEditar

Definimos dado como "uma sequência de símbolos quantificados ou quantificáveis".[6] Portanto, um texto é um dado. De fato, as letras são símbolos quantificados, já que o alfabeto por si só constitui uma base numérica. Também são dados imagens, sons e animação, pois todos podem ser quantificados a ponto de alguém que entra em contato com eles ter eventualmente dificuldade de distinguir a sua reprodução, a partir da representação quantificada, com o original. É muito importante notar-se que qualquer texto constitui um dado ou uma sequência de dados, mesmo que ele seja inelegível para o leitor.[7]

O dado, a informação e o conhecimentoEditar

O dado na tecnologia da informação é a representação física de um evento no tempo e espaço que não agrega fundamento para quem o sente ou recebe, não podendo ser possível entender o que ele representa ou para que ele existe, podemos ter como exemplo um número, se somente esse número for disponibilizado para alguém ou para o tempo e espaço, por alguém ou por um evento, não é possível saber o que ele significa ou o que ele representa, podendo representar qualquer coisa ou não representar nada, porém no momento que existir uma agregação com outro dado ele passa a ser ou não uma informação. Dados também podem ser um conjunto de informações que constituem uma informação.

A informação é o dado organizado que possui algum sentido. Um texto, por exemplo, pode ser uma informação, uma fonte de muitas informações ou um conjunto de informações. Se os dados agrupados geram sentido para quem o lê, eles passam a ser o valor de um determinado item ou evento a que se refere. O valor da informação está de acordo com a qualidade em que é disponibilizada, reduzindo ou aumentando a probabilidade de interpretação ambígua pelo emitente. Quanto mais precisa, mais valiosa ela se torna. Um relatório, um boletim escolar, uma folha de pagamento são exemplos de informação, desde que faça sentido para quem os vê.

O conhecimento é resultado de várias informações organizadas de forma lógica o suficiente para criar um evento, tornar possível um evento ainda não conhecido ou entender um evento e suas causas. O conhecimento é uma informação valiosa sendo produto de reflexão e síntese.

"Já o conhecimento, refere-se à habilidade de criar um modelo mental que descreva o objeto e indique as ações a implementar, as decisões a tomar."[8]

O especificado fica nítido ao observar a seguinte tabela:

O dado a informação e o conhecimento
Dado Informação Conhecimento

Simples observações sobre o estado do mundo

Dados dotados de relevância e propósito

Informação valiosa da mente humana Inclui reflexão, síntese, contexto

  • Facilmente estruturado
  • Facilmente obtido por máquinas
  • Freqüentemente quantificado
  • Facilmente transferível
  • Requer unidade de análise
  • Exige consenso em relação ao significado
  • Exige necessariamente a mediação humana
  • De difícil estruturação
  • De difícil captura em máquinas
  • Freqüentemente tácito
  • De difícil transferência

Ver tambémEditar

Referências

  1. OECD Glossary of Statistical Terms. [S.l.]: OECD. 2008. p. 119. ISBN 978-92-64-025561 
  2. «Statistical Language - What are Data?». Australian Bureau of Statistics. 13 de julho de 2013. Consultado em 9 de março de 2020. Cópia arquivada em 19 de abril de 2019 
  3. «Data vs Information - Difference and Comparison | Diffen». www.diffen.com (em inglês). Consultado em 11 de dezembro de 2018 
  4. Yonego, Joris Toonders (23 de julho de 2014). «Data Is the New Oil of the Digital Economy». Wired – via www.wired.com 
  5. «Data is the new oil». 16 de julho de 2018. Cópia arquivada em 27 de outubro de 2021 
  6. SETZER, Valdemar W. Dado, informação, conhecimento e competência. DataGramaZero Revista de Ciência da Informação, n. 0, 1999
  7. DataGramaZero
  8. Solange Oliveira Rezende, Sistemas Inteligentes, (2003) Manole Barueri São Paulo

Ligações externasEditar

  Media relacionados com data no Wikimedia Commons

  Este artigo sobre informática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.