Daniela Thomas

Daniela Thomas
Nascimento 1959 (61 anos)
Rio de Janeiro
Cidadania Brasil
Progenitores Pai:Ziraldo Alves Pinto
Irmão(s) Antonio Pinto
Ocupação diretor de cinema, roteirista, dramaturga

Daniela Thomas, nascida Daniela Gontijo Alves Pinto (Rio de Janeiro, 1959), é uma cineasta, diretora teatral, dramaturga, iluminadora, cenógrafa e figurinista brasileira.[1][2]

BiografiaEditar

Filha do cartunista Ziraldo e irmã do compositor Antonio Pinto, nomeado ao Globo de Ouro, seu primeiro trabalho teatral foi a cenografia para All Strange Away de Samuel Beckett no Teatro La MaMa, Nova York, em 1983. No Brasil desde 1985, Daniela foi responsável por várias cenografias do teatro nacional e destacou-se também escrevendo para o teatro e cinema.

Em 1994 co-dirigiu com Walter Salles o filme Terra Estrangeira. Em 2007, novamente com Walter Salles, dirigiu o filme Linha de Passe, que conquistou o prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes para Sandra Corveloni.

Em 2016, dirigiu junto com Fernando Meirelles e Andrucha Waddington a Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos de Verão, no Rio de Janeiro.

CarreiraEditar

CinemaEditar

Como diretora
Ano Título
1996 Terra Estrangeira
1998 O Primeiro Dia
1998 Somos Todos Filhos da Terra
2002 Armas e Paz
2002 Castanha e caju contra o encouraçado Titanic (curta-metragem)
2006 Paris, je t'aime (segmento "Loin du 16ème")
2007 Linha de Passe
2009 Insolação
2017 Vazante
2018 O Banquete
Como roteirista
Ano Título
1996 Terra Estrangeira
1998 Menino Maluquinho 2: A Aventura
1998 O Primeiro Dia
2001 Abril Despedaçado (diálogos adicionais)
2006 Paris, je t'aime (segmento "Loin du 16ème")
2007 Linha de Passe
2017 Vazante
2018 O Banquete

PrêmiosEditar

  • Grande Prêmio Cinema Brasil de melhor direção, por O Primeiro Dia (1998).
  • Prêmio Ariel de Prata de melhor filme latino-americano, no México Academy Awards, por O Primeiro Dia (1998).
  • Indicação ao Grande Prêmio Cinema Brasil de Melhor Lançamento de Cinema, por O Primeiro Dia (1998).
  • Prêmio Rosa Camuna de Ouro, no Encontro de Filmes de Bérgamo, por Terra Estrangeira (1995).
  • Indicação à Palma de Ouro (melhor filme) no Festival de Cannes (2008)
  • Prêmio Carlos Gomes 2009 - melhor cenário pela ópera O Castelo do Barba-Azul

Referências

Ligações externasEditar