Abrir menu principal

Deslizamento de terra em Sujuão de 2017

Um deslizamento de terra abalou Diexi, no Condado de Mao, Sujuão às 5 horas e 38 minutos (hora local).[1] Destruiu quarenta casas na aldeia Xinmo e matou quinze pessoas, além disso, há noventa e três pessoas desaparecido, a 25 de Junho. Houve outro desabamento menor por volta das 20:15 que impediu a entrada das equipas de salvamento à zona da catástrofe.

Índice

ContextoEditar

 
O Lago Diexi, situado a 1,9 quilómetros do sítio do desabamento de 2017, foi criado por um deslizamento acima do rio Minjiang durante o terramoto de 1933.

A localização do Condado de Mao entre o Planalto do Tibete e a Bacia do Sujuão, é caracterizada por profundos canhões geológicos com batólitos na superfície. Em 1933, o local do deslizamento tornou-se especialmente instável depois do terramoto de Diexi, de magnitude 7.3, cujo epicentro estava a uns poucos quilómetros de distância da aldeia Xinmo.[2] Estes perigosos fenómenos naturais ocorrem quase todos os anos.[3]

A Prefeitura Autónoma Tibetana e Qiang de Ngawa, também conhecida pelo nome seu nome chinês Aba, onde o Condado de Mao está localizado, foi uma das regiões mais devastadas pelo terramoto do Sujuão de 2008.[1] Durante o sismo, 20.258 pessoas em Aba e 3.933 no Condado de Mao foram confirmadas como mortas e 8.183 pessoas no Condado de Mao foram feridas.[4]

A maioria dos moradores do Condado de Mao, são da étnia Qiang, perfazendo 90%. O sítio de desabamento está localizado perto da área de Songpinggou, uma zona conhecida localmente, na qual estavam alojados muitos turistas quando começou o deslizamento.[4]

O deslizamentoEditar

O deslizamento ocorreu na manhã do dia 24 de Junho de 2017 às 5:38 (hora local; 21:38 do dia 23 de Junho UTC). Foi causado por uma chuva torrencial.[5][6] Quarenta casas foram destruidas na aldeia Xinmo (新磨村), onde mais de cento e quarenta pessoas de pelo menos sessenta e duas famílias foram inicialmente consideradas soterradas.[7] O desabamento também bloqueou uma faixa de 2 quilómetros da corrento do Songping (松坪沟),[8][9] e também 1,6 quilómetros de estrada.[6] Estima-se que o deslizamento de terra durou aproximadamento cem segundos.[10]

Houve outro desabamento menor por volta das 20:15 no dia 24 de Junho de afectou o trabalho das equipas de salvamento. Pelo menos 1.959 efectivos médicos e membros das equipas de salvamento estiveram envolvidos nos esforços de salvamento.[10]

Às 10 da manhã do dia 25 de Junho, quinze pessoas tinham sido confirmadas como mortas, com 118 desaparecidas.[11] Às 14 do mesmo dia, o número de desaparecido desceu até noventa e três, depois de mais gente ter sido achada viva ou resgatada.[6]

ConsequênciasEditar

Pelo menos trezentas pessoas que sobreviveram ao desabamento foram realojadas na vila de Diexi, incluindo numa escola e num hotel. A Secretaria dos Assuntos Civis da prefeitura enviou roupa, dous geradores eléctricos, vinte tendas e quatrocentas colchas para os sobreviventes.[12][13]

Referências

  1. a b «牵挂·守望·搜救——四川茂县山体垮塌灾害36小时救援纪实-新华网». news.xinhuanet.com. Consultado em 28 de junho de 2017 
  2. Cheng, Genwei; Wang, Xiaodan; He, Xiubin; Fan, Jihui; Fan, Jianrong. «Outburst risk of barrier lakes in Sichuan, China». Journal of Mountain Science (em inglês). 5 (3): 189–193. ISSN 1672-6316. doi:10.1007/s11629-008-0208-7 
  3. «专家:历史上两次地震深刻影响茂县山体,监测暂无法完全覆盖_绿政公署_澎湃新闻-The Paper». www.thepaper.cn. Consultado em 28 de junho de 2017 
  4. a b «四川山体垮塌上百人被掩埋 民众喊号子搬碎石(图)_腾讯网触屏版». wxn.qq.com. Consultado em 28 de junho de 2017 
  5. «China landslide: 15 dead, over 100 missing in Sichuan». BBC News (em inglês). 24 de junho de 2017 
  6. a b c 陈子琰. «Xi urges all-out rescue effort after landslide buries 62 homes[1]- Chinadaily.com.cn». www.chinadaily.com.cn. Consultado em 28 de junho de 2017 
  7. Reuters (25 de junho de 2017). «China landslide: more than 100 people feared dead in village disaster». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  8. Denyer, Simon (25 de junho de 2017). «China landslide: more than 100 feared buried as village destroyed». The Sydney Morning Herald (em inglês) 
  9. 刘更田 (2013). 四川省地图册 [Atlas of Sichuan Province] (Mapa) (em Mandarim). 星球地图出版社. p. 159. ISBN 978-7-5471-0915-1 
  10. a b «China landslide: more than 100 feared buried as village destroyed». The Sunday Morning Herald. Consultado em 28 de Junho de 2017 
  11. «临近救援黄金72小时 四川茂县山体垮塌118人失踪». 南洋视界. Consultado em 28 de junho de 2017 
  12. «Hopes fade in grim search for Xinmo landslide survivors». www.aljazeera.com. Consultado em 28 de junho de 2017 
  13. «Villagers begin to mourn dead after deadly China landslide». Reuters. 26 de Junho de 2017