A Conquista da Lua

filme de 1950 dirigido por Irving Pichel
(Redirecionado de Destination Moon)
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre um filme de ficção científica. Para a missão Apollo 11, veja Corrida espacial.
A Conquista da Lua
Destination Moon
Cartaz promocional
 Estados Unidos
1950 •  cor •  92 min 
Direção Irving Pichel
Produção George Pal
Roteiro
Narração Rocketship Galileo, de Robert A. Heinlein
Elenco
Género
Música Leith Stevens
Cinematografia Lionel Lindon
Direção de arte
  • Ernst Fegté
  • George Sawley
Efeitos especiais Lee Zavitz
Edição Duke Goldstone
Companhia(s) produtora(s) George Pal Productions
Distribuição Estados Unidos Eagle-Lion Films
Lançamento Estados Unidos 27 de junho de 1950
Idioma inglês

Destination Moon (bra/prt: A Conquista da Lua)[1][2][3] é um filme estadunidense de 1950, dos gêneros ficção científica e aventura, dirigido por Irving Pichel, com roteiro de James O'Hanlon, Rip Van Ronkel e Robert A. Heinlein baseado no romance Rocketship Galileo, de Heinlein.[4]

Prêmios e indicaçõesEditar

Prêmio Categoria Recipiente Resultado
Oscar 1951 Melhor direção de arte Ernst Fegté, George Sawley Indicado[5]
Melhores efeitos visuais George Pal Productions Venceu[5]
Globo de Ouro 1951 Melhor trilha sonora Leith Stevens Indicado[6]

EnredoEditar

Os testes com foguetes V-2 de grande porte falham e o governo americano desiste de continuar as pesquisas sob os rumores de sabotagem. O cientista de foguetes Dr. Charles Cargraves e o militar entusiasta pelo Espaço General Thayer então procuram o magnata da aviação Jim Barnes que convence outros empresários americanos patriotas a reunirem os fundos necessários para a construção de um novo foguete que será lançado para a Lua, sob a notícia de que ocorre uma corrida espacial com outros paises e o temor de que podem querer usar aquele satélite como base de lançamento de mísseis. Mas o projeto causa controvérsia popular devido a utilização de um motor atômico e pouco antes do lançamento aparece um oficial com um mandado para a interrupção do procedimento. A tripulação se completa com o operador de rádio Joe Sweeney que substitui de última hora o tripulante anterior. O lançamento é feito e apesar dos problemas com a antena de rádio o foguete seguirá com sucesso rumo à Lua.

ElencoEditar

ControvérsiaEditar

Em função das posições políticas de Heinlein, muitos criticaram o filme interpretando-o como instrumento de propaganda militar americana [nota 1]

Notas e referências

Notas

  1. "Utopische Unterhaltung im Dienste amerikanischer Militärstrategie. Einige belehrende Zeichentricks für alt und jung." (tradução aproximada do alemão: "Entretenimento instrutivo propagandístico da estratégia militar americana com alguns truques para velhos e jovens"[7]

Referências

  1. «A Conquista da Lua». Brasil: CinePlayers. Consultado em 11 de setembro de 2020 
  2. «A Conquista da Lua». Portugal: SapoMag. Consultado em 11 de setembro de 2020 
  3. «A Conquista da Lua». Portugal: CineCartaz. Consultado em 11 de setembro de 2020 
  4. «Destination Moon (1950)». American Film Institute. Consultado em 11 de setembro de 2020 
  5. a b «The 23rd Academy Awards | 1951». Oscars.org. Consultado em 11 de setembro de 2020 
  6. «Winners & Nominees 1951». GoldenGlobes.com. Consultado em 11 de setembro de 2020 
  7. 6000 Filmes. Notas críticas de Cinema 1945 - 1958. V Manual dos críticos católicos de filmes, 3ª edição. Editora Altenberg, Düsseldorf 1963, p. 96
  Este artigo sobre um filme de ficção científica é um esboço relacionado ao Projeto Entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.