Diógenes da Cunha Lima

Diógenes da Cunha Lima (Nova Cruz, 1937) é advogado, professor, poeta, ensaísta brasileiro.

Atuação profissionalEditar

Diógenes da Cunha Lima exerceu ou exerce as seguintes funções:

Atuação literáriaEditar

Livros publicadosEditar

  • Luz quatro vezes sol (1968);
  • Câmara Cascudo, um brasileiro feliz, (1968);
  • Tradição e cultura de massa, (1973);
  • Instrumento dúctil, (1975);
  • Caracterização das sociedades de economia mista, (1977);
  • Corpo breve, (1980);
  • A universidade criativa, (1980);
  • Tendresse - Poèmes d´un amour tourmenté (1982);
  • Perfis parlamentares: Djalma Marinho - Seleção e introdução, (1982);
  • Poemas versus prelúdios, (1983);
  • Os pássaros da memória, (1994);
  • Memória das cores, (1999);
  • Natal - biografia de uma cidade, (1999);
  • Solidão, solidões - Uma biografia de Dinarte Mariz, (2002);
  • O livro das respostas, (2002).

Ligações externasEditar

 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Diógenes da Cunha Lima
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.