Abrir menu principal
Diamondog
Informação geral
Nome completo Diamantino Edgar Capacassa Feijó
Nascimento 23 de agosto de 1980 (38 anos)
Origem Luanda
País  Angola
Gênero(s) Hip Hop Alternativo, Reggae, Ragga
Instrumento(s) vocal
Período em atividade 1998 - presente
Gravadora(s) Phantanoise Records, Acla
Afiliação(ões) Afrika Bambaataa, DJ Primo, Marcelo D2, Olodum, Kool Klever, DJ Werd, Arrebite, Godessa, Black Sonora, Marku Ribas
Página oficial Diamondog Site

Diamondog, Luanda, 23 de Agosto de 1980 é um Rapper Angolano residente em Berlim [1] na Alemanha, conhecido por fazer um estilo de rap político e consciente. Diamondog também é jornalista, documentarista e mestre em Visual Mídia e Antropologia pela Freie Universität Berlin.

Índice

BiografiaEditar

Rapper desde 1998, Diamondog conheceu a cultura Hip Hop aos 16 anos quando entrou para o curso de jornalismo no Instituto Médio de Economia de Luanda (IMEL). Influenciado por amigos e colegas que já conheciam a cultura Hip Hop a mais tempo, Diamondog passou de ouvinte a mestre de cerimonia (MC).

Diamondog já esteve em turnê por Barcelona - Espanha, Porto, Braga, Gaia e Matosinhos em Portugal [2] e se apresentou em shows em Cracóvia na Polônia e em cidades brasileiras tais como: Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador-Bahia, Curitiba e Belo Horizonte, na companhia de Afrika Bambaataa, Marcelo D2 , Thaide da dupla Thaide e DJ Hum, Tianastacia, Wilson Sideral, Leandro Ferrari, Marku Ribas, Black Sonora, Tambolele, Dj Primo, Escola Criativa Olodum, Shameema - Godessa (South Africa) e muitos outros.

As participações de Diamondog em concertos incluem: Carnaval Revolução (duas edições), Festival Pop Rock Brasil 2004, na companhia de Marcelo D2 e DJ Primo, se apresentando para mais de 25 mil pessoas no estádio " independência" em Belo Horizonte (Brasil), Eletronika em Belo Horizonte, Festival de Artes Negras a convite de Africa Bambaataa com quem dividiu o palco por duas vezes, Respetivamente no Brasil e em Berlim na Alemanha, FILE (Festival Internacional de Linguagem Eletrônica), Bread and Butter em Barcelona, Coca cola Music Festival, Fete de la Musique,[3] Karneval der Kulturen, Wolfsburg Festival dentre outros eventos.

Trajetória MusicalEditar

1998: Primeiros PassosEditar

Juntamente com o rapper angolano MC Kamba, atualmente radicado na Espanha e com quem formava dupla na época, Diamondog grava em Luanda a primeira música que se chamou "Se você quer ser Feliz". A música foi pela primeira vez ao ar no extinto programa de Hip Hop "FM Expresso", que era apresentado pelo radialista Moisés Luis e que na época era o mais ouvido na capital angolana.

1999-2000: Asilo Politico (Brasil) e ClandestinoEditar

Devido a guerra civil em Angola que até então já durava 24 anos, Diamondog se muda para o Brasil onde recebe asilo político. Logo após a sua chegada no Brasil, Conhece Alexandre Muzzillo Lopes mais conhecido como DJ Primo, Jonathan o Gralha e Bill, que formavam o grupo Blackout e com os quais em contato, imerge na cena Hip Hop em Curitiba, cidade na qual viveu após a sua chegada no Brasil, e grava no ano seguinte a convite do rapper curitibano Maskot, a sua primeira participação musical no Brasil, produzida por Dj Primo e que contou igualmente com a participação do rapper Tio Fresh, do grupo de rap paulistano SP Funk.

Ainda em 2000, Diamondog forma junto com o rapper brasileiro Jazzrell AKA Mic Forté, a dupla chamada "Clandestino", que significa família unida pelo destino. Uma analogia à escravidão que separou africanos e seus descendentes, e ao destino que os voltou a unir.

2004: Um Tributo às Nossas NaçõesEditar

Em 2004 a dupla "Clandestino grava o álbum independente que se intitulou: "Um Tributo às Nossas Nações". O disco contou com as participações especiais dos rappers, Cubanito (Havana), Kunkalopi (Cabo Verde), Kaio Estrao (Estados Unidos), Toaster Eddie e Rena Engels, respetivamente do Brasil, e trazia na sua maioria cancões de cunho social e antiguerra com destaques para as músicas: Mãos Empunhando Canetas e Espalhe a Paz.

2005-2006: Comida de Comer e CompadresEditar

Em 2005 Diamondog participa do CD "Comida de Comer", álbum filantrópico organizado por Podé Nastacia, no qual também participaram músicos e grupos como Uakti, Marina Machado, Glauco Nastacia dentre outros. No ano a seguir, Diamondog é convidado pelo músico brasileiro Leandro Ferrari, a participar do projeto "Compadres" no qual Diamondog participa em 3 faixas, sendo uma delas em parceria com o rapper Cubanito.

2007: Arrebite/Documentário/WFD e Input-JunkiesEditar

No ano de 2007 a convite dos produtores brasileiros Rafael Ferreira e Raul Costa, Diamondog integra o coletivo Arrebite como MC e juntos gravam o Vinil com o mesmo nome do grupo "Arrebite". O LP lançado na Alemanha pela Phantanoise Records foi distribuído pela Juno Records, Alphacut Records, pela SBMONLINE, e foi destaque na revista inglesa especializada em música eletrônica XLR8R, que disponibilizou em seu web site 3 faixas para escuta.

Convidado no mesmo ano pelo diretor de fotografia Marcelo Trotta (Cidade de Deus), Diamondog participa do documentário "Além do café petróleo e diamantes". Que concorrendo em festivais ganhou o premio de melhor direção no Festival de Pernambuco e a Menção Honrosa no Festival dos Direitos Humanos de São Paulo.

Em meados de 2007 Diamondog se muda para Berlim a convite da ONG alemã WFD Weltfriedensdienst) Serviço pela Paz Mundial,[4] para realizar Workshops na Polônia e na Alemanha mostrando aos jovens que o Hip Hop pode ser uma ferramenta poderosa de expressão e de resolução de conflitos.[5]

Ainda em 2007 Diamondog integra o projecto "Input-Junkies" e grava juntamente com a rapper Sul Africana Shameema, do grupo Godessa a música "International Monkey Business", que retrata de forma irônica a ignorância de muitos ocidentais quanto ao chamado Terceiro Mundo.

2008: MalucofoniaEditar

Apesar de ter gravado ainda no Brasil em 2007 a Música "Eu quero uma dama", só em 2008 a mesma foi lancada, pela editora Acla na coletânea "Malucofonia". A música, escrita e interpretada por Diamondog, contou com a participação especial do rapper Cubanito nos refrões.

2009: Volkswagen Sound Foundation e Nomadic WaxEditar

Em 2009 o trabalho de Diamondog ganha reconhecimento da Volkswagen ao ser escolhido como um dos artistas do ano de 2009. Assim sendo, Diamondog foi patrocinado pela companhia automobilística Alemã através do projeto, Volkswagen Sound Foundation,[6] que para além de vários incentivos artísticos, lhe agraciou com um mini ônibus para turnês num período de um ano.[7]

Ainda no mesmo ano a convite da editora americana Nomadic Wax, Diamondog gravou a música "Alexis Sinduhije needs freedom" em prol da libertação do jornalista Burundes Alexis Sinduhije, nomeado pelaTime Magazine uma das 100 pessoas mais influentes de 2009, e que estava detido pelo governo do Burundi, pelo seu trabalho humanista de tentar reconciliar Hutus e Tútsis.

2010: Evolução do Hip Hop no Mundo e CopticEditar

No começo de 2010 Diamondog foi incluído pela BBC [8] no mapa sobre a evolução da cultura Hip Hop no Mundo. No mapa em questão, Diamondog interpreta em áudio sobre o mapa de Angola a música Time and Money [9] que fala sobre corrupção e a ganancia dos seres humanos, frente a miséria cronica que abunda no mundo. A música foi produzida pelo rapper e produtor alemão LMNZ e conta também com a participa da cantora americana de R&B e Soul Lady Daisey.

Ainda em 2010 Diamondog tem participação confirmada no álbum do produtor americano Coptic, que tem no seu currículo produções para rappers como Notorious BIG, Puff Daddy, KRS One, Buckshot, G-Dep, Jermaine Dupri dentre outros. O álbum que ainda está em estúdio chamar-se-a "Close to my Roots" e visa unir rappers africanos e americanos reconhecidos no mercado musical mundial.

Atualmente Diamondog trabalha em seu primeiro álbum solo, sem data de lançamento prevista, mas que a princípio se chamará "Amordaçados Jamais" e será provavelmente em inglês.

Discografia/Coletâneas e ParticipaçõesEditar

  • Clandestino - Um Tributo às Nossas Nações 2004
  • Coletânea - Comida de Comer 2005
  • Input - Junkies 2007
  • Arrebite 2007
  • Malucofonia 2008
  • Mixtape - Democracy in Burundi 2008
  • Gimme my Microphone Check 2009
  • LMNZ - Hip Hop World Wide 2010

Ligações externasEditar

Referências

  1. «'Diamondog' concede entrevista a Revista alemã Vice». Vice. Consultado em 10 de junho de 2010 [ligação inativa]
  2. «Diamondogs europe tour». angoladicas. Consultado em 10 de junho de 2010. Arquivado do original em 7 de julho de 2011 
  3. «Diamondogs in the top 10 presentations of Fete dela musique Berlin». angoladicas. Consultado em 10 de junho de 2010 
  4. «Peace Exchange». All Africa. Consultado em 10 de junho de 2010 
  5. «(Weltfriedensdienst) Service for World Peace» (PDF). All Africa. Consultado em 10 de junho de 2010 [ligação inativa]
  6. «'Diamondog' Gets Volkswagen Sponsorship». All Africa. Consultado em 10 de junho de 2010 
  7. «Demotix - Diamondog new talent from Volkswagen Sound Foundation». Consultado em 10 de junho de 2010 [ligação inativa]
  8. «Evolução do Hip Hop no Mundo - BBC». BBC. Consultado em 10 de junho de 2010 
  9. «Diamondog LMNZ and Lady Daisey - BBC». BBC. Consultado em 10 de junho de 2010. Arquivado do original em 14 de dezembro de 2013