Abrir menu principal
Domínio de Shimotsuma

松 代 藩

Entrada do Parque onde anteriormente estava localizado o Castelo Tagaya
Entrada do Parque onde anteriormente estava localizado o Castelo Tagaya
Domínio de Shimotsuma está localizado em: Japão
Domínio de Shimotsuma
Coordenadas 36° 11' N 139° 57' E
Província Hitachi
Data de Criação 1591
Data de Extinção 1871

O Domínio de Shimotsuma ( 松代藩 , Shimotsuma-han?) foi um Han do Período Edo da História do Japão. Localizava-se na Província de Hitachi na atual Ibaraki.[1]

HistóriaEditar

Durante o período Sengoku, a região ao redor de Shimotsuma era controlada pelo Ramo Tagaya do clã Yūki. Embora os Tagaya prometessem lealdade a Tokugawa Ieyasu após a Batalha de Odawara em 1590, seu apoio aos Tokugawa era ínfimo, e durante a Batalha de Sekigahara, os Tokugawa passaram para o lado do clã Uesugi, sendo portanto destituído de seus 60.000 koku.

O domínio foi então atribuído ao 11º filho de Tokugawa Ieyasu, Tokugawa Yorifusa, que mais tarde se tornou o fundador do Domínio de Mito. Ele foi substituído em Shimotsuma por Matsudaira Tadamasa, o filho de Yūki Hideyasu, e este substituído por Matsudaira Sadatsuna. Após sua transferência para o Domínio de Kakegawa em 1619, o domínio tornou-se território tenryō controlado diretamente pelo xogunato até 1712.

Em 1712, Inoue Tadanaga, um vassalo e confidente de Tokugawa Ienobu numa época anterior a este se tornar Shogun, subiu através da hierarquia do governo e através de mérito e herança, alcançou os 10.000 koku necessários para se tornar de daimiô. Então o Domínio de Shimotsuma foi reativado para se tornar seu feudo, e permaneceu nas mãos do clã Inoue até a restauração Meiji. Um dado interessante é que dez dos 14 daimiôs Inoue foram adotados por outras famílias, devido à tendência dos governantes de morrer jovem e sem herdeiro.

Durante a Guerra Boshin, o último daimiô Inoue, Inoue Masaoto inicialmente ficou do lado das forças pró-Tokugawa, mas depois mudou de lado para a causa imperial. No entanto, muitos de seus samurais se opuseram a essa mudança e desertaram para lutar ao lado do Domínio de Aizu durante a Batalha de Aizu. Por causa disso, o governo Meiji declarou inicialmente que ele era um traidor e que perderia seu domínio, mas devido aos fortes argumentos de seu karō e do seppuku dos líderes pro-Tokugawa, a decisão foi rescindida. Mais tarde, quando foi instituído o Kazoku passou a ter o título de shishaku (visconde) durante o período Meiji.

O domínio era constituído por 329 famílias num total de 2.055 pessoas em de acordo com um censo realizado em 1855.[2]

Lista de DaymoEditar

  1. Tagaya Shigetsune (1591-1601)
  1. Tokugawa Yorifusa (1606-1609)
  1. Matsudaira Tadamasa (1615-1616)
  1. Matsudaira Sadatsuna (1616-1618)
  1. Inoue Masanaga (1712-1720)
  2. Inoue Masaatsu (1720-1753)
  3. Inoue Masatoki (1753-1760)
  4. Inoue Masamune (1760-1784)
  5. Inoue Masaki (1784-1789)
  6. Inoue Masahiro (1789-1814?)
  7. Inoue Masanori (1814? -1816)
  8. Inoue Masatomo (1816-1819)
  9. Inoue Masatami (1819-1828)
  10. Inoue Masakata (1828-1845)
  11. Inoue Masayoshi (1845-1852)
  12. Inoue Masanobu (1852-1856)
  13. Inoue Masakane (1856-1866)
  14. Inoue Masaoto (1866-1871)

Referências

  1. "Província de Hitachi" em Japanese Castle Explorer; (em inglês) página visitada em 23/8/2013
  2. Clã Inoue in Shimotsuma-han (em japonês) página acessada em 30/01/2019
  3. Edmund Papinot , (2003). Matsudaira (Echizen) in Nobiliare du Japon (em francês) pp. 30 página visitada em 21/08/2013
  Este artigo sobre História do Japão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.