Edward Burne-Jones

Sir Edward Coley Burne-Jones (Birmingham, 28 de agosto de 1833Londres, 17 de junho de 1898) foi um artista britânico e designer associado com a fase da Irmandade Pré-Rafaelita, que trabalhou com William Morris em artes decorativas como um parceiro de fundação, da Morris, Marshall, Faulkner & Co.

Edward Burne-Jones
Nascimento 28 de agosto de 1833
Birmingham
Morte 17 de junho de 1898 (64 anos)
Londres
Cidadania Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda
Etnia britânico
Progenitores
  • Edward Richard Jones
  • Elizabeth Coley
Cônjuge Georgiana Burne-Jones
Filho(s) Margaret Mackail, Philip Burne-Jones, Christopher Burne-Jones
Irmão(s) Edith Jones
Alma mater
Ocupação pintor, desenhista, designer, desenhista, relator de parecer
Obras destacadas The Legend of Briar Rose, The Beguiling of Merlin, Hope
Movimento estético Irmandade Pré-Rafaelita
Título Sir
Edward Burne-Jones

Burne-Jones esteve envolvido no rejuvenescimento da tradição da arte com vitrais na Grã-Bretanha; suas obras incluem janelas na St. Philip's Cathedral, Birmingham, St Martin em the Bull Ring, Birmingham, Holy Trinity Church, Sloane Square, Chelsea, St Peter and St Paul parish church em Cromer, St Martin's Church em Brampton, Cumbria igreja projetado por Philip Webb), St Michael's Church, Brighton, Trinity Church em Frome, All Saints, Jesus Lane, Cambridge, St Edmund Hall e Christ Church, duas faculdades da Universidade de Oxford. Seus vitrais também aparecem na Igreja de St Anne, Brown Edge, Staffordshire Moorlands e na igreja de St Edward the Confessor em Cheddleton Staffordshire. As primeiras pinturas de Burne-Jones mostram a inspiração de Dante Gabriel Rossetti, mas na década de 1860 Burne-Jones estava descobrindo sua própria "voz" artística.

Em 1877, ele foi persuadido a mostrar oito pinturas a óleo na Grosvenor Gallery (um novo rival da Royal Academy). Isso incluía A sedução de Merlin. O momento era certo e ele foi considerado arauto e estrela do novo Movimento Estético. Burne-Jones trabalhou com artesanato; incluindo o design de ladrilhos de cerâmica, joias, tapeçarias e mosaicos.[1][2][3][4][5]

GaleriaEditar

Vidro pintadoEditar

DesenhosEditar

PinturasEditar

Trabalhos iniciais

Pigmalião (primeira série)

Pigmalião e a Imagem (segunda série)

Os anos da Galeria Grosvenor

The Legend of Briar Rose (segunda série)

Trabalhos posteriores

Artes decorativasEditar

TeatroEditar

FotografiasEditar

Outras obrasEditar

Outras leiturasEditar

  • John William Mackail, The Life of William Morris in two volumes, London, New York and Bombay: Longmans, Green and Co., 1899
  • Marsh, Jan, Jane and May Morris: A Biographical Story 1839–1938, London, Pandora Press, 1986 ISBN 0-86358-026-2
  • Marsh, Jan, Jane and May Morris: A Biographical Story 1839–1938 (updated edition, privately published by author), London, 2000
  • Robinson, Duncan (1982). William Morris, Edward Burne-Jones and the Kelmscott Chaucer. London: Gordon Fraser 
  • Spalding, Frances (1978). Magnificent Dreams: Burne-Jones and the Late Victorians. Oxford: Phaidon. ISBN 0714818275 

Referências

  1. Wildman, Stephen (1998). Edward Burne-Jones: Victorian Artist-Dreamer. Metropolitan Museum of Art. ISBN 0-87099-859-5
  2. Flanders, Judith (2001). A Circle of Sisters: Alice Kipling, Georgiana Burne-Jones, Agnes Poynter and Louisa Baldwin. W.W. Norton. ISBN 978-0-393-05210-7
  3. Rose, Andrea (1981). Pre-Raphaelite portraits. Oxford: Oxford Illustrated Press. ISBN 0-902280-82-1
  4. Daly, Gay (1989). Pre-Raphaelites in Love. Ticknor & Fields. ISBN 978-0-89919-450-9
  5. Dale, Antony (1989). Brighton churches. London: Routledge. ISBN 0-415-00863-8

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Edward Burne-Jones