Emelian Iaroslavski

Emelian Mikhailovitch Iaroslavski (em russo: Емельян Михайлович Ярославский), nascido com o nome de Minei Israilevitch Gubelman (em russo: Мине́й Изра́илевич Губельма́н) em 19 de fevereiro (c.j.) de 1878; e morto em 4 de dezembro de 1943. Foi um revolucionário russo, político soviético, jornalista e historiador. É provavelmente mais conhecido pelo seu ativismo ateu, como editor do jornal satírico ateu Bezbojnik (O Ateu, literalmente "O Sem-deus"), como líder da Liga dos Ateus Militantes e também como dirigente do Comité Anti-Religioso do Comité Central do Partido Comunista da União Soviética.

Emelian Iaroslavski
Nascimento Миней Израилевич Губельман
19 de fevereiro de 1878
Tchita
Morte 4 de dezembro de 1943 (64–65 anos)
Moscou
Sepultamento necrópole da Muralha do Kremlin
Cidadania Império Russo, Rússia bolchevique, União Soviética
Cônjuge Klavdiya Ivanovna Kirsanova
Ocupação revolucionário, político
Prêmios
Empregador Escola Superior do Partido no Comitê Central do PCUS
Religião ateísmo
Causa da morte cancro do estômago

BiografiaEditar

Iaroslavski nasceu em uma família judaica com o nome de Minei Israilevitch Gubelman em Chita, no Krai de Zabaikalskiem 3 de março de 1878. Ingressou ao Partido Operário Social-Democrata Russo (POSDR) em 1898, organizando as células comunistas entre os trabalhadores da ferrovia Trans-Baikal. Em 1901 converteu-se em correspondente do jornal revolucionário Iskra, e no ano seguinte foi nomeado membro do Comité do POSDR na cidade de Tchita como um dos líderes da ala militar, aderindo ao grupo bolchevique durante a cisão entre eles e os mencheviques.

Iaroslavski participou na Revolução de 1905, na qual a sua esposa, a revolucionária Olga Mikhailovna Genkina, foi assassinada por um membro das Centenas Negras. Depois disso, Iaroslavski dirigiu a atividade revolucionária em Petrogrado, Ekaterinoslav e Tampere e editou o jornal Kazarma. Em 1907 foi arrestado e setenciado a trabalho forçado na prisão de Gorny Zerentu, na região de Nertchinsk e depois foi exiliado na Sibéria oriental.

Após a Revolução de Fevereiro de 1917, é nomeado membro do Comité de Segurança Geral de Iakut e, entre 26 de julho e 3 de agosto desse ano, participa no VI Congresso do POSDR. Durante a Revolução de Outubro de 1917, Iakovslavski é membro do Comité Militar-Revolucionário no Distrito Militar de Moscovo.

Iakoslavski foi um dos redatores das gazetas moscovitas Sotsial-Demokrat e Derevenskaia pravda, e aderiu ao grupo de esquerdistas que se manifestaram contrários ao Tratado de Brest-Litovski. Entre 1919 e 1920, é nomeado membro candidato ao Comité Central do Partido. Ainda, entre 1919 e 1922, é secretário do Comité Regional do Partido em Perm e membro do Comité Central do Partido no oblast de Sibirsk. Em 1921 é eleito membro do Secretariado do Partido e membro do Comité Central até 1922. Também, em 15 de setembro de 1921, Iaroslavski foi o promotor de justiça do processo contra o General do Exército Branco Roman Ungern von Sternberg, celebrado em Novonikolaevsk.

Com o início da Segunda Guerra Mundial, o Estado reduziu as suas atividades anti-religiosas até o ponto de a Igreja Ortodoxa russa ser considerada uma instituição útil para movimentar a população para a defesa da nação. Os jornais Bezbojnik e Antireligionznik deixaram de publicar-se e a Liga de Ateus Militantes caiu na inatividade, oficialmente devido aos necessários esforços requeridos pela guerra.

Iaroslavski morreu em 4 de dezembro de 1943 em Moscovo e os seus restos foram levados à Necrópole da Muralha do Kremlin.

Outros artigosEditar