Emmanuel Chabrier

Emmanuel Alexis Chabrier (Ambert, 18 de janeiro de 1841Paris, 13 de setembro de 1894) foi um compositor francês da era romântica.

Emmanuel Chabrier
Nascimento Alexis-Emmanuel Chabrier
18 de janeiro de 1841
Ambert (Monarquia de Julho)
Morte 13 de setembro de 1894 (53 anos)
9.º arrondissement de Paris
Sepultamento Cemitério do Montparnasse
Cidadania França
Alma mater
Ocupação compositor, pianistapiano
Obras destacadas Le roi malgré lui, Bourrée fantasque, España, rhapsody for orchestra
Movimento estético música do romantismo, romantismo
Causa da morte sífilis
Assinatura
Chabrier Emmanuel signature 1873.jpg

BiografiaEditar

Chabrier estudava piano como amador desde os seis anos de idade, e também mostrava-se muito habilidoso como compositor. Apesar disto, seu pai o fez estudar Direito. Começou a trabalhar no ministério francês do interior em 1862.

Fez sua primeira visita a Alemanha em 1879, acompanhado de Henri Duparc, onde assistiu a uma apresentação da obra Tristan und Isolde de Richard Wagner na cidade de Munique. Impressionado com a obra, decide se dedicar inteiramente música, pedindo demissão ao cargo que mantinha no Ministério do Interior em 1880.

No período em que estava trabalhando no ministério, Chabrier compôs suas primeiras óperas: L'Étoile, em 1877, e Une Éducation manquée, em 1879.

Juntamente com Vincent d'Indy, Henri Duparc e Gabriel Fauré, fundou o grupo conhecido como Le Petit Bayreuth. Também identificava-se muito com os pintores impressionistas.

ObrasEditar

ÓperasEditar

  • L'étoile (1877)
  • Une éducation manquée (1879)
  • Gwendoline (1885, UA 1886)
  • Le roi malgré lui (König wider Willen) (1887)
  • Briséïs (1888-91, terminou apenas o primeiro ato)

Obras para orquestraEditar

  • Lamento (1874)
  • Larghetto para trompa e orquestra (1875)
  • España (1883)
  • Joyeuse marche (1888)
  • Prélude pastorale (1888)
  • Suite pastorale (1888, Bearbeitung von 4 Stücken aus den Pièces pittoresques für Klavier)

Obras para pianoEditar

  • Rêverie (1855)
  • Julia. Walzer op.1 (1857)
  • Le Scalp (1861)
  • Souvenirs de Brunehaut. Walzer (1862)
  • Marche des Cipayes (1863)
  • Pas redoublé (Cortège burlesque) (1871)
  • Suite de valses (1872)
  • Impromptu C-Dur (1873)
  • 10 Pièces pittoresques (1881)
  • Trois valses romantiques para dois pianos (1883)
  • Habanera (1885, também orquestrado)
  • Souvenirs de Munich. Quadrille on Themes from Tristan und Isolde para piano a quatro mãos (1885-86)
  • Bourrée fantasque (1891, também orquestrado)
  • Cinq morceaux (póstuma)

CançõesEditar

  • 9 Canções (1862)
  • Sérénade de Ruy Blas (1863)
  • L'invitation au voyage (1870)
  • Sommation irrespectueuse (1880)
  • Tes yeux bleus (1883)
  • Credo d'amour (1883)
  • Chanson pour Jeanne (1886)
  • 6 mélodies (1890)
  • Lied. Nez au Vent (postum)

Outras obras vocaisEditar

  • Cocodette et Cocorico. Dueto cômico para duas vozes e orquestra (1877-79)
  • Monsieur et Madame Orchestre. Dueto cômico para duas vozes e orquestra (1877-79)
  • La sulamite. Scène lyrique para mezzo-soprano, coro feminino e orquestra (1884)
  • Duo de l'ouvreuse de l'Opéra-Comique et de l'employé du Bon Marché (1888)
  • Ode à la musique para soprano, coro feminino e orquestra (piano) (1890)

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um(a) compositor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.