Enguerrand de Monstrelet

Enguerrand de Monstrelet (c. 140020 de julho de 1453) foi um cronista francês. Nasceu na Picardia, provavelmente em uma família da pequena nobreza.[1]

Enguerrand de Monstrelet
Nascimento 1390
Fieffes-Montrelet
Morte 20 de julho de 1453 (62–63 anos)
Cambrai
Cidadania França
Ocupação historiador, escritor
Batalha de Azincourt na Chronique de France, de Enguerrand de Monstrelet, mostrada em uma miniatura do Mestre dos Livros de Oração de 1500.

Em 1436 e posteriormente, ocupou o cargo de tenente da gavenier (isto é, recebedor da gave, uma espécie de taxa da igreja) em Cambrai, e parece ter feito esta cidade seu lugar de residência habitual. Foi durante algum tempo oficial de justiça do cabido da catedral e depois reitor de Cambrai.[2] Era casado e deixou alguns filhos, antes de morrer.

Pouco se sabe sobre Monstrelet, exceto que ele estava presente não na captura, mas no interrogatório posterior de Joana d'Arc, com Filipe, o Bom, duque da Borgonha.[1] Dando continuidade ao trabalho do também cronista Jean Froissart, Monstrelet escrever uma Crônica (Chronique), que se estende a dois livros e abrange o período entre 1400 e 1444, quando, de acordo com outro cronista, Mathieu d'Escouchy, deixou de escrever. Porém seguindo um costume que não era incomum na Idade Média, uma sequela desastrada, estendendo-se até 1516, foi formada a partir de várias crônicas e cruzada com seu trabalho.

Os próprios escritos de Monstrelet, lidando com a última parte da Guerra dos Cem Anos, são valiosos porque contêm um grande número de documentos que são certamente, e relatou discursos que são, provavelmente, autênticos.[1] O autor, no entanto, mostra pouco poder de narração; seu trabalho, apesar de claro, é maçante, e é fortemente tingido com o pedantismo de seu século, o mais pedante na história francesa. Suas afirmações um tanto ostensivas de imparcialidade não disfarçam uma preferência marcada pelos Borguinhões em sua luta com a França.

Entre as muitas edições da Chronique pode ser mencionado a editada pela Société de I'histoire de France de M Douet d'Arcq (Paris, 1857-1862), que, no entanto, não é muito boa. Veja Auguste Molinier, Les Sources de I'histoire de France, volumes iv. e v. (Paris, 1904).

ObrasEditar

Referências

  1. a b c Dacier, Bon-Joseph; Baron Dacier, Joseph Bonaventure. The Chronicles of Enguerrand de Monstrelet. Longman, Hurst, Rees, Orme, and Brown, 1810. pp. 110.
  2. Wijsman, Hanno.History in Transition. Enguerrand de Monstrelet’s Chronique in Manuscript and Print (c.1450-c.1600). Academia.edu. Página visitada em 16 de abril de 2015.

FonteEditar

Ligações externasEditar