Enragés

No contexto da Revolução Francesa, os enragés (em português, raivosos) eram um grupo de revolucionários radicais cujo representante mais notório foi o padre constitucional Jacques Roux. Reivindicavam não só a igualdade civil e política[1], mas também a social, preconizando a taxação dos gêneros alimentícios, a requisição dos grãos e o pagamento de tributos pelos ricos. Podemos situá-los à esquerda do grupo dos montanheses. Foram combatidos tanto por Robespierre quanto por Danton, Marat e os hebertistas. Suas idéias foram retomadas e desenvolvidas por Babeuf.[2][3]

Jacques Roux, em nome dos enragés, publicou em junho de 1793 um Manifesto com seus ideais, o Manifeste des Enragés[4].

Referências

  1. Guillon, Claude (2009). Notre patience est à bout : 1792-1793, les écrits des Enragé(e)s. Paris: Imho. OCLC 312635596 
  2. Kaci, Maxime (1 de dezembro de 2010). «Chanter la politique : partitions nationales et modulations septentrionales (1789-1799)». Annales historiques de la Révolution française (em francês) (362): 79–100. ISSN 0003-4436. doi:10.4000/ahrf.11850 
  3. «Enragés et situationnistes dans le mouvement des occupations — Témoins, Gallimard». www.gallimard.fr. 1968. 320 páginas. ISBN 2070274187. Consultado em 12 de setembro de 2019 
  4. Manifeste des Enragés, escrito por Jacques Roux em 1793 e disponível aqui: https://fr.wikisource.org/wiki/Manifeste_des_Enrag%C3%A9s

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre História da França é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.