Erasmo de Formia

Disambig grey.svg Nota: "São Telmo" redireciona a este artigo. Para o santo que também é conhecido como "São Telmo", veja Pedro González Telmo.

Erasmo de Formia, morto cerca de 303, também conhecido como Santo Elmo ou São Telmo, é o Santo padroeiro dos marinheiros. O fenómeno designado fogo-de-santelmo deve o seu nome a Santo Erasmo (São Elmo). Erasmo é um dos catorze santos auxiliares das lendas cristãs, invocados na Europa Central como intercessores.[1]

Santo Erasmo ou
Santo Elmo/São Telmo
Fresco do século XV mostrando os tormentos de Santo Erasmo. Igreja Maria de Bastad, Suécia.
Santo auxiliar
Morte  
c. 303
Veneração por Igreja Católica, Igreja Ortodoxa
Beatificação
Canonização
Festa litúrgica 2 de junho
Padroeiro Enfermidades no estômago e intestinos; dores do parto; marinheiros.
Gloriole.svg Portal dos Santos

Vida e obrasEditar

A católica descreveu a vida de Erasmo com passagens surpreendentes. Ele pertencia ao clero da Antioquia. Foi forçado, durante a perseguição do imperador Diocleciano, a esconder-se numa caverna no Monte Líbano durante sete anos. Capturado e longamente torturado, foi levado para ser julgado pelo imperador, que tentou de todas as formas fazer com que renegasse a fé em Cristo. Porém Erasmo manteve-se firme e por isso novamente voltou para a prisão. De lá, foi milagrosamente libertado por um anjo que o levou para a Dalmácia, onde fez milhares de conversões durante mais sete anos.[1]

Na época do imperador Maximiano, novamente foi preso e no tribunal, além de destruir um ídolo falso, declarou sua incontestável religião cristã. Tal atitude de Erasmo fez milhares de pagãos converterem-se, os quais depois foram mortos pela perseguição desse enfurecido imperador. Outra vez teria sido horrivelmente torturado e também libertado, agora pelo arcanjo Miguel, que o conduziu para a costa do sul da Itália. Ali se tornou o bispo de Fórnia, mas por um breve período. Morreu pouco depois devido às feridas de seus dois suplícios, por este motivo recebeu o título de mártir.[1]

As muitas tradições descreveram algumas particularidades sobre as crueldades impostas nas suas torturas. Dizem que seu ventre foi cortado e aos poucos os seus intestinos foram retirados. Devido a esse suplício, Santo Erasmo tornou-se, para os fiéis, o protetor das enfermidades do ventre, dos intestinos e das dores do parto.[1]

Os marinheiros ainda hoje são muito devotos de santo Erasmo, ou santo Elmo ("sant'Elmo"), como também o chamam. Desde a Idade Média eles o tomaram como seu padroeiro, invocado-o especialmente durante as adversidades no mar.[1]

As fontes históricas da Igreja também comprovam a existência de Erasmo como mártir e bispo de Fórnia, Itália. Dentre elas estão o Martirológio Gerominiano, que indicou o dia 2 de junho para sua veneração e a inscrição do seu nome entre os mártires no calendário marmóreo de Nápoles.[1]

O papa São Gregório Magno, no fim do século VI, escrevendo ao bispo Bacauda, de Fórnia, atestou que o corpo de santo Erasmo estava sepultado na igreja daquela diocese. No ano 842, depois de Fórnia ser destruída pelos sarracenos muçulmanos, as suas relíquias foram transferidas para a cidade de Gaeta e escondidas num dos pilares da igreja, de onde foram retiradas em 917. A partir de então, santo Erasmo foi declarado padroeiro de Gaeta e, em sua homenagem, foram cunhadas moedas com a sua efígie.[1]

Após a recente revisão do calendário litúrgico, a Igreja manteve a festa deste Santo no dia em que sempre foi tradicionalmente celebrado.[1]

Referências

  1. a b c d e f g h Guiley, Rosemary (2001). The Encyclopedia of Saints. Fourteen Holy Helpers (em inglês). [S.l.]: Infobase Publishing. p. 109. 419 páginas 
  • «Santo Erasmo». Pia Sociedade Filhas de São Paulo Paulinas www.paulinas.org.br 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Erasmo de Formia
  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.