Escavação retouterina

A escavação retouterina, bolsa de Douglas, saco de Douglas ou ainda espaço de Douglas é uma extensão da cavidade peritoneal localizada posteriormente ao útero. Separa a parte supravaginal do colo do útero e o corpo do útero do colo sigmoide e do reto.[1] Foi descrito pelo anatomista escocês James Douglas (1675–1742).[2]

Excavatio recto-uterina ou fossa douglassi em latim.

Nas mulheres pode ser palpada posteriormente na parte superior de um toque vaginal. É normal ter até 5ml de líquido nessa bolsa, após a ovulação, mais do que isso pode indicar um sangramento abdominal. [3]

Nos homens, a bolsa de Douglas corresponde a bolsa reto-vesical, o fundo do peritônio entre a bexiga urinária e o reto. A bolsa pode ser palpada em anteriormente em toque retal.

Importância clínicaEditar

Como os líquidos tendem a descer a essa bolsa, examinar a presença de líquido na bolsa/saco de Douglas é importante para o diagnóstico de hemorragia abdominal, ascite, endometriose, peritonite e outras doenças que causem secreção de líquido intra-abdominal como tumores e infecções purulentas na cavidade abdominal.

O exame que retira o líquido dessa região para ser examinado é chamado de culdocentese ou culdotomia.

Referências

  1. MOORE, Keith. Anatomia orientada para clínica. 4ª ed. 2001. Editora Guanabara Koogan. Pg. 333.
  2. synd/2937 at Who Named It?
  3. Severi FM, Bocchi C, Vannuccini S, Petraglia F (2012). "Ovary and ultrasound: from physiology to disease" (PDF). Archives of Perinatal Medicine. 18 (1): 7–19.