Escola de Escândalos

Escola de Escândalos foi uma banda de punk rock formada em 1982 e extinta em 1986, na cidade de Brasília.

Escola de Escândalos
Informação geral
Origem Brasília, Distrito Federal
País Brasil
Gênero(s) Metal
Punk[1]
Período em atividade 1982 - 1986
Integrantes Marielle Loyola
Geraldo "Geruza" Ribeiro
Alexandre Parente
Helder Bomfim

HistóriaEditar

A Escola de Escândalo fazia parte do quarteto de bandas que surgiram na década de 1980 em Brasília, junto com Legião Urbana, Capital Inicial e Plebe Rude. A banda não conseguiu emplacar como as outras bandas da tríade, fazendo um relativo sucesso mas encerrando suas atividades em 1986.[2]

A banda lançou o primeiro álbum em 2014, após trinta anos de carreira.[3]

A banda Escola de Escândalo, nome retirado de The School for Scandal, clássico literário do irlandes Richard Brinsley Sheridan foi criada em 1983 por Bernardo Mueller e Geraldo "Geruza" Ribeiro, ex integrantes da Banda XXX.[4]

A formação inicial da banda era a seguinte: "Fejão" (guitarrista); Alessandro "Itália" (baterista) e Marielle Loyola (apoio vocal para Bernardo).[5]

A banda brasiliense teve somente um registro fonográfico em vinil com distribuição nacional: coletânea "RUMORES" (Sebbo do Disco/Bsb/84), com as canções Luzes e Complexos. Nessa coletânea também há canções dos conterrâneos Detrito Federal, Finis Africae e Elite Sofisticada, e foi executada com destaque nas maiores rádios de rock do Brasil na época.[6]

Como repercussão a banda foi convidada para muitos shows em todo o Brasil. Em 1985 se apresentaram no programa Mixto Quente da Rede Globo.[7]

"Totoni" Fragoso assume as baquetas da banda e participa da maioria das novas composições da banda quando Alessandro foi morar na Itália. Também passaram pela banda os bateristas Rogério Ribeiro e Eduardo "Balé" Raggi. Em 1986, Marielle é "expulsa", por Bernardo, da banda. E no início de 1987 passa a integrar a banda Arte no Escuro. Foi convidada para substituir o vocalista Lui[8]. O show de estreia da banda, ainda com Lui como vocalista, ocorreu no circuito da Turma da Colina: Departamento de Arquitetura da UnB, cenário de festas e shows de várias bandas da cidade. Pouco tempo depois desse show o vocalista Lui partiu para o Rio de Janeiro para trabalhar com as Artes Plásticas (ele tinha aparecido no título e na capa do segundo álbum dos Paralamas do Sucesso, O Passo do Lui.). A Arte no Escuro gravou um CD pela gravadora EMI, chamado Arte no Escuro, em 1988. O livro Dias de Luta relata que a gravadora preferiu apostar em sua nova "aquisição", a banda Arte no Escuro, e deixou a Escola de Escândalo (banda que expulsou Marielle) para escanteio. Quando terminou de gravar o CD da Escola de Escândalos, Marielle já havia formado a banda Volkana. Depois do lançamento do CD é fundada a banda de trash metal Volkana e Marielle muda-se para São Paulo. Resultando no término da Arte no Escuro. O contrato com a EMI expirou em 2004, deixando o único CD gravado disponível para negociações. Já a Volkana encerrou as atividades em 1996. Mas voltou a se apresentar em 2008.[9]

"A vontade de fazer música, de dizer o que sentíamos. Era muito diferente de hoje, quando as bandas fazem música para fazer sucesso, para tocar em rádio, naqueles dias nunca nem se imaginava uma banda como as de Brasília tocando em rádio. Fazíamos música porque gostávamos de fazer música, sem base nenhuma, sem estudo musical. Era tudo muito de sentimento, de notas que achávamos legais, acho até que essa sinceridade foi o maior motivo do reconhecimento pela mídia e produtores nacionais aos artistas da cidade, pois a sinceridade leva tudo mais longe, dá mais vida!" (Marielle em entrevista ao rockbrasilia) [10]

Escola de Escândalo: o RetornoEditar

Os ex-integrantes continuaram mantendo contato, principalmente Geraldo e Marielle. O guitarrista Fejão, segundo Marielle um dos maiores guitarristas do Brasil, morreu em 1996, inviabilizando uma volta da banda.

Porém, em 2010, Geraldo e Marielle resolvem realizar um registro musical da Escola de Escândalo. Convidaram Totoni e Alexandre Parente, grande amigo e parceiro de Fejão (foram guitarristas da Banda de Heavy Metal Fallen Angel por mais de 10 anos).

Bernardo Mueller, apoiou o revival, mas não quis voltar aos palcos.

A gravação do "primeiro" CD da Escola de Escândalo foi iniciada em outubro de 2010. Dez faixas foram gravadas: Caneta Esferográfica; Luzes; Complexos; Grande Vazio; Popularidade; Lavagem Cerebral; 4 Paredes; Más Línguas; Só mais uma Canção de Soldados e Guerras e Celebrações (Arte no Escuro)

Por fim Hélder Bomfim substituiu Totoni nas baquetas, que envolvido com outros trabalhos não pôde continuar com as gravações. Uma prévia desse trabalho aconteceu em 2013, em Brasília, quando a banda tocou nove músicas do CD.[11]

Novíssima formação da Escola de EscândaloEditar

○ Geraldo Geruza Ribeiro - baixo

○ Helder Bomfim - Bateria

○ Alexandre Parente - Voz e guitarra

○ Marielle Loyola - voz

Referências

  1. «Escola de Escândalo, o crossover secreto entre o metal e punk». Senhor F. Consultado em 6 de setembro de 2015 
  2. Mori, Rafael (24 de julho de 2019). «205. Escola De Escândalo: "Complexos"». 365 Canções Brasileiras. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  3. «Escola de Escândalo, sucesso nos anos 1980, lança 1º álbum em show». Correio Braziliense. Consultado em 6 de setembro de 2015 
  4. «Cult 22 On Tour com Escola de Escândalo | Cult 22». Consultado em 7 de setembro de 2020 
  5. Lima', 'Irlam Rocha. «Escola de Escândalo, sucesso nos anos 1980, lança 1º álbum em show». Acervo. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  6. Rock, Programa De (22 de novembro de 2011). «programa de rock: Marielle e a Escola de Escândalo». programa de rock. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  7. «ESCOLA DE ESCANDALOS - ROCK ANOS 80». sites.google.com. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  8. Rock, Programa De (22 de novembro de 2011). «programa de rock: Marielle e a Escola de Escândalo». programa de rock. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  9. Rock, Programa De (22 de novembro de 2011). «programa de rock: Marielle e a Escola de Escândalo». programa de rock. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  10. «RÁDIO RUÍDO URBANO». Rádio Ruído Urbano - Rádio Rock de Brasília. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  11. «Cult 22 On Tour com Escola de Escândalo | Cult 22». Consultado em 12 de agosto de 2020 
  Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.