Diferenças entre edições de "Torre de Penegate"

2 152 bytes adicionados ,  00h21min de 11 de julho de 2008
m
 
==História==
===Antecedentes===
Foi erguida em [[1360]].
A primitiva toponímia do lugar foi "Penela", sendo o de "Penegate" utilizado desde [[1064]]. Por essas razões, os estudiosos acreditam que o topónimo esteve associado, em suas origens, à ocupação deste monte rochoso elevado ("penha" ou "pena"), embora não haja informações ou vestígios sobre ela, possivelmente por uma torre em [[estilo românico]] erguida por D. [[Egas Pais de Penegate]], valido do [[Henrique de Borgonha, conde de Portucale|Conde D. Henrique de Borgonha]].
 
===A torre medieval===
Encontra-se em Vias de Classificação por Despacho de [[24 de Setembro]] de [[1990]].
A atual estrutura foi erguida por [[Mem Rodrigues de Vasconcelos]], cavaleiro de [[Dinis de Portugal|D. Dinis]] na guerra que opôs este monarca ao seu filho, o futuro rei [[Afonso IV de Portugal|D. Afonso IV]]. D. Dinis autorizou a construção de uma "''domus fortis''", em documento datado de [[5 de Outubro]] de [[1322]], onde se refere que ele "''havia proibido a construção destas casas fortificadas a não ser com sua expressa autorização''". Esta fortificação tinha a função de proteger Mem Rodrigues no cargo que então ocupava, o de Meirinho-mor do soberano na região de Entre-Homem-e-Cávado, onde a autoridade real era contestada por [[Pedro Anes de Vasconcelos]], tio de Mem Rodrigues:
 
:"''Desta forma, conpria huma casa forte (...) para teer hy o corpo em salluo quando lhy conprise e outro ssy pera teer hy a molher e os filhos que non possam Receber dano daquelles que lhy a el mal querem polo meu serviço''" (SILVA, José Custódio Vieira da. ''Paços Medievais Portugueses''. Lisboa: 1995. p.48-49.)
 
Em princípios do [[século XVII]] o então proprietário [[Miguel Valadares]], cónego de [[Guimarães]] e desembargador em [[Braga]], fez erguer a Capela de Nossa Senhora da Penha para sua [[sepultura]], conforme inscrição epigráfica na fachada principal.
 
No início do [[século XX]], em [[1907]], a [[torre]] passou para a família dos actuais proprietários, tendo tido lugar, em décadas posteriores, obras de consolidação e restauro. Entre elas, foram colocadas [[ameia]]s em [[1939]], o que lhe descaracterizou a feição original, sendo edificado um segundo corpo, de carácter residencial.
 
EncontraO conjunto encontra-se em Vias de Classificação por Despacho de [[24 de Setembro]] de [[1990]].
 
==Características==