Abrir menu principal

Alterações

corr. links; recicl utilizando AWB
{{Info/Partido Político
| nome=Partido Operário de Unificação Marxista
| cor=#FF0000
| logo=[[Ficheiro:Partido_Obrero_de_Unificación_Marxista_flagPartido Obrero de Unificación Marxista flag.svg|250px]]
| presidente=
| secretário=
| aparições=
| fundação=[[1935]]
| dissolução=[[1980]]
| ideologia=[[Socialismo]], [[comunismo]], [[marxismo]], [[trotskismo]]
| coligação=
Apesar da diferença numérica de militantes entre os dois partidos (cerca de 500 da ICE diante de 5000 do BOC), a fusão no POUM foi em igualdade de condições entre ambos. Nin e Maurín passaram a ser os dois grandes "líderes carismáticos" do POUM.
 
A maior implantação do POUM esteve na Catalunha (graças aos militantes vindos do BOC) e no País Valenciano. Tinha ainda umha implantação minoritária em Madrid, e uma presença menor ou até testemunhal noutras partes do Estado espanhol, como a [[ExtremaduraEstremadura (Espanha)|Estremadura]], o [[País Basco]], a [[Galiza]] (em âmbitos marinheiros e intelectuais) ou as [[Astúrias]].
 
Ambas as organizações fundadoras do POUM eram na origem facções discrepantes do Partido Comunista de Espanha e dos métodos da [[Internacional Comunista]] ([[Komintern]]) na altura, dirigida por [[Estaline]]. A sua heterodoxia em relação a Moscovo fez com que ficassem marginalizados e inimizados com uma Komintern submetida à linha oficial marcada pela URSS.
Após o fim da Segunda Guerra Mundial, a tendência catalanista do POUM, chefiada por Josep Rovira, cindiu-se do partido, unindo-se com uma cisão catalanista do PSUC para formar o ''Moviment Socialista de Catalunya'' (Movimento Socialista da Catalunha, MSC) como partido nacionalista e socialista catalão. O MSC redefinir-se-á logo como social-democrata, convertendo-se com o passar dos anos num dos grupos políticos fundadores do Partido Socialista da Catalunha (organização territorial catalã do [[PSOE]]).
 
Uma segunda cisão ocorreu na [[década de 1950]]: no contexto da [[Guerra Fria]], alguns destacados militantes históricos (como Julián Gorkín, Ignacio Iglesias ou Víctor Alba), abandonaram o POUM e declararam-se partidários da social-democracia face ao "imperialismo soviético". Muitos desses militantes históricos acabariam por entrar no PSOE (caso dos próprios Gorkín e Iglesias). A estas cisões, acrescentou-se ainda uma série de detenções de militantes no interior do Estado espanhol que, na prática, reduziu o POUM a uma organização de exilados. E o "líder carismático" sobrevivente, [[Joaquín Maurín]], saiu da prisão em [[1946]], partindo para o [[Exílio republicano espanhol|exílio]] e ficando afastado da política activa, crítico tanto com o papel do [[PCE]] como com o do POUM durante a guerra.
 
== O POUM durante a chamada "Transição" (1975-1980) ==