Diferenças entre edições de "Porfiriato"

3 bytes removidos ,  22h36min de 8 de fevereiro de 2012
m
clean up e ajustes utilizando AWB
m (clean up e ajustes utilizando AWB)
Foi um período de estabilidade e progresso econômico do país, mas também graves desigualdades sociais, que concluiu com um movimento social que interrompeu as estruturas sociais e políticas econômicas do México. Percebendo que o presidente Lerdo de Tejada tentaria a reeleição, Diaz voltou a pegar as armas. Formado na luta pela [[Guerra da reforma]] e contra a intervenção estrangeira, Díaz gozava de grande prestígio entre os militares e uma reputação nos círculos políticos do país. Com o triunfo do Plano de Tuxtepec, que o levou à presidência do México para governar o período [[1876]]-[[1911]] com um breve interlúdio durante o governo de Manuel González.
 
Nos 31 anos de Porfiriato ou Porfirismo foram construídos no México mais de 19.000 quilômetros de [[ferrovia]]s para o investimento estrangeiro, o país estava ligado na rede de telegrafica, os investimentos de capital foram feitos no exterior e promoveu a indústria. Desde [[1893]] foram limpas e as finanças, o crédito nacional foi melhorado e não havia muita confiança nos estrangeiros, organizou o sistema bancário, que foi derrubado na [[década de [[1940]] pelo o governo de [[Lázaro Cárdenas del Río]].
 
Durante esse período, continuou o esforço iniciado com Manuel González para superar a educação em todos os níveis, os homens da estatura de Joaquín Baranda, Ezequiel Chávez, Enrique C. Rébsamen , [[Ignacio Manuel Altamirano]] e Justo Sierra Méndez deu brilho a este processo que vai desde jardins de infância ao ensino superior, através da formação de professores.
 
Enquanto Porfírio Diaz reiterou que o país estava pronto para a [[democracia]], ele nunca quis deixar o poder, e em [[1910]] já com 80 anos de idade, candidatou-se áà [[reeleição]], que foi rejeitada pelos trabalhadores públicos. Diante deste feito, Francisco I. Madero convocou a rebelião, que surgiu em 20 de novembro daquele ano, e terminou com a entrada triunfal na cidade, derrotando o chamado naquele momento ditador.
 
O estado de [[Chihuahua]] foi o palco principal para a derrota Porfiristas, como [[Pancho Villa]] e [[Pascual Orozco]] ganharam [[Guerrero (Chihuahua)|Ciudad Guerrero]] e [[Mal Paso]], ganhou a batalha de Casas Grandes, [[Chihuahua]] e [[Ciudad Juárez]], fazendo ao sul Emiliano Zapata levou suas tropas de agricultores, ameaçando a capital e a batida na quinta Cuautla. O Regimento de Ouro (batalhão do exército foderal), mas irrelevante para os militares, foram as batalhas que pavimentaram o caminho para a vitória dos [[revolucionário]]s contra a [[ditadura]]. Após ter obtido esses fracassos militares, e outros em termos de negociações, Porfírio Díaz optou por renunciar à presidência e deixou o país em maio de [[1911]].<ref>{{citacitar web
|url=http://html.rincondelvago.com/educacion-en-la-epoca-de-porfiriato.html |autor= Rincondelvago|título = História da época do porfirismo |languagelíngua=espanhol |acessodata=23 de abril de 2010 }}</ref>
 
== Atividade Marítima e Portuária ==
Durante essa época, a marinha mercante recebeu um impulso sem precedentes. Foi regulamentada em [[1884]] e [[1889]], foi reconhecido naquele tempo, que a Marinha estava num estado deplorável.
 
O chefe do Departamento da Marinha, o Secretário da Guerra e da Marinha, acreditava que a Marinha Mercante é uma idéiaideia nobre como e teve portanto, que incentivar a construção de [[estaleiro]]s e [[navio]]s.
 
Foi inaugurado em [[1897]] a Academia Naval, onde os funcionários se preparavam para a Marinha. Também criou empresas Transatlantica mexicana, a navegação do México e Envio do Pacífico, que durou várias décadas.
162 246

edições